SANTA CATARINA EM ESTADO DE CHOQUE

Exército em Santa Catarina

Exército em Santa Catarina

Fernando André Schmitt (autor da foto), 21, mora em Blumenau (SC) e conta, neste videocast, como está a situação na região.

VÍDEO: “Tem pessoas da família que não sabemos se estão vivas”, relata morador

Neste videocast, veja imagens e relato cedidos pelo administrador Everton Barneche Cardoso, 28, morador de Balneário Camboriú (SC).

VÍDEO: Morador diz que amigos estão desaparecidos; veja relato

Videocast“Estradas viraram rios e a terra desceu como lava de vulcão”, diz morador

VideocastVítimas são resgatadas por meio de cordas em SC; veja relato e imagens

A Mãe Natureza faz, o homem completa

Ninguém pode ser responsabilizado pela tragédia que está fazendo Santa Catarina submergir sob a água, os escombros, a dor e uma centena de mortes. Não se trata de questão política, nem de administração. Mas há uma série de lições a se retirar.

A sensação para nós, os leigos, é que Sua Excelência, a Mãe Natureza, está enviando sinais de insatisfação. Já chacoalhou a Índia, a China, os Estados Unidos, o Caribe, entre outros, e está chegando ao Brasil, autoproclamado santuário com sol o ano inteiro e sem furacões e terremotos.

O sinal mais claro que a Natureza nos envia é que não se pode mais brincar com o aquecimento global e com as mudanças climáticas. Isso não é brincadeira. Não é tese de sonhador. Não é discussão para quem não tem o que fazer. Não é coisa para os inimigos das indústrias e do desenvolvimento. É, sim, questão de vida ou morte. Ameaça não apenas as futuras gerações e já começa a ameaçar a nossa, aqui, agora. Mundo, acorda enquanto é tempo!

O Brasil precisa começar a se preparar para as catástrofes’, diz geógrafo

http://noticias.uol.com.br/cotidiano/2008/11/27/ult5772u1841.jhtm

Guilherme Balza
Ao longo dos últimos 40 anos, mais de 400 pessoas morreram em Santa Catarina vítimas de desabamentos, deslizamentos de terra e inundações decorrentes de fenômenos climáticos. Os desastres naturais, no período citado, desabrigaram ou desalojaram cerca de 600 mil pessoas no Estado e causaram danos econômicos inestimáveis.

Para Júlio César Wasserman, geógrafo e professor do Departamento de Análise Geoambiental da Universidade Federal Fluminense (UFF), os impactos da atual tragédia em Santa Catarina poderiam ter sido minimizados, caso o poder público adotasse medidas preventivas, algumas delas de baixo custo. “Deixar a situação chegar a esse nível é culpa do Estado. É impossível reduzir as mortes a zero diante de um evento desse porte, mas dava para ter reduzido muito o impacto da tragédia. Daqui para frente é necessário priorizar as verbas públicas para evitar tragédias como essa”.

Polícia Rodoviária recomenda “kit de sobrevivência” a quem pega estrada em SC

Leia cobertura completa sobre a chuva em Santa Catarina

Fonte: da Folha Online

Ai, minha Santa e Bela Catarina…

~ por arauto do futuro em novembro 27, 2008 quinta-feira.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s