E quem é que paga a conta???

Bancos privados controlam o Fed

16/01/2009 – 19:01

Fonte: monitor mercantil

Instituição privada, capaz de manter refém o poderoso tesouro americano, o Fed (Federal Reserve, o banco central americano) é controlado por um grupo que está no centro do processo de desregulamentação do sistema financeiro mundial, que resultou na crise financeira que o mundo está vivendo.

Em entrevista exclusiva ao MM, o economista Armindo Abreu, que foi executivo financeiro da Petrobras em Nova Iorque, revela os bastidores da criação do principal banco central do mundo e as origens da idéia de banco central independente, que nasceram após a criação do Banco da Inglaterra.

“Os banqueiros conseguiram que os reis lhes entregassem a atividade de emitir moedas”, contou Abreu ao Monitor Mercantil.

De onde vem seu interesse pelo tema?

Começou quando fui executivo financeiro da Petrobras em Nova Iorque. Nunca encontrei apoio na mídia. Percebo que há uma força muito grande contrária à divulgação desses assuntos, por se tratar de um terreno complicado.

Qual a origem do Fed?

Edward Mandell House, tenente coronel da guarda nacional do Texas, que considero o primeiro marqueteiro da história, coordenou os esforços de criação do Fed. Seu pai já era representante da Casa Rothschild – expressão alemã que significa escudo vermelho – que já controlava a Europa. Mandell House fez três governadores e um presidente, Woodrow Wilson, figura apagada, mas digno, sem mácula, e um cristão honrado, porém totalmente alheio às complexidades das finanças internacionais e do governo federal. Com a eleição de Wilson, Mandel House torna-se a eminência parda do poder e responsável direto pelas providências que facilitariam a influência da banca internacional sobre a liberdade e a integridade patrimonial e política da América. Paul Warburg é outro nome importante para a história do Fed. Os Warburg, originalmente, saíram do Mediterrâneo, foram a Alemanha e se associaram aos Rothschild.

Mandell House defendia interesses de grupos estrangeiros dentro dos EUA?

O movimento que controla as finanças mundiais é apátrida e não tem qualquer conotação racial. É um conluio de pessoas pertencentes a todas religiões e etnias, mas todos são associados ao grupo Rothschild. Financiaram, inclusive, o comunismo. Uma das propostas do Manifesto Comunista é justamente a criação de um banco central. Para Lenin, ela representa 90% da “comunização” de um país, pois quem controla o banco central controla o país. Os EUA, que são criados sob regime federativo, passaram a ser obedientes ao banco central. Antes do Fed, quem tivesse carta patente e ouro podia emitir. A legislação do que criou o Fed unificou tudo isso.

Que legislação é essa?

Em pleno recesso do Congresso, no Natal de 1913, já com Woodrow Wilson eleito, foi aprovado o projeto de criação de um conjunto de doze bancos regionais, de controle acionário privado, constituindo um sistema integrado (Federal Reserve System). Este, por sua vez, governado por um “board”, com membros indicados pelos acionistas privados e pelo governo central, denominado Federal Reserve Board.

O Fed não é uma instituição pública?

Não. É um cartel de 12 bancos regionais privados. São regionais, para não haver um banco em cada ente federativo, porque os estados são independentes nos EUA. O Fed se multiplica em três instituições distintas: o Fed de cada região, O Fed Sistem (cartel) e o Fed Board, agência federal financeira. O próprio dólar não é moeda privada, mas terceirizada.

Essa agência não é pública?

Sim, mas só funciona com nomes indicados pelo Sistem, que, por sua vez, é controlado pelo Fed de Nova Iorque. Já o Fed de Nova Iorque é formado por bancos controlados por famílias, das mais variadas origens. O presidente dos EUA escolhe o presidente do Fed a partir de uma listra tríplice, indicada pelo cartel.

Barack Obama pode representar uma mudança dessa estrutura?

A equipe de Obama é toda de ex-presidentes do Fed. Daí já se sabe que ele é ligado à oligarquia privada.

O Fed emite moeda?

Sim. Contra letra do tesouro americano ou qualquer empréstimo nacional ou internacional. Se emprestar ao Brasil, o Fed pode emitir em cima do contrato. Isto provoca um descolamento da economia virtual da economia real. Fed pode emitir, pois é um banco particular, cuja origem é essa coligação capitaneada pelo grupo Rothschild,. A legislação que criou o Fed, na noite de Natal, garantiu a emissão privada da moeda, moedas fiduciárias criadas dentro do banco. Ele cria moeda ao emprestar alavancando, a partir de uma pequena reserva. Por isso os bancos estão sempre à beira de uma crise sistêmica. Se há corrida ao banco o dinheiro não existe para reembolsar.

Breton Woods não conseguiu dar limites à banca privada?

O acordo foi tentativa de organizar o sistema. Pensou-se em criar uma moeda internacional lastreada, mas como EUA venceram a guerra, o dólar se tornou a moeda padrão.

De onde vem a idéia de banco central independente?

A matriz para a formação dos bancos centrais foi o Banco da Inglaterra. Ele passou a ser modelo na medida que os reis abdicaram da vontade de perseguir o ouro através de guerras e piratarias. Na medida que essa atividade foi se massificando, os banqueiros passaram a armar os piratas e fazer, eles mesmos, suas buscas pelo metal. A Holanda, onde as forças de maior poder estavam abrigadas sob o cauvinismo, e o Vaticano têm parte nesse processo, bem como a casa saudita. Por isso não se pode atribuir a um grupo específico. A origem do Banco da Inglaterra é a coligação que colocou um rei anti-católico na Inglaterra. Esses cidadãos conseguiram fornecer aos reis os metais que consolidavam as moedas. Dado mais importante: houve uma mudança total de essência da moeda no mundo.

Por quê?

Ela passou de um ativo – metais monetários – para o papel, sem qualquer lastro. Essa coligação conseguiu isso primeiro lembrando ao rei que a busca do metal levava a guerras, sacrificando a população. Então, em vez dos reis fazerem a guerra e invadirem o mundo novo, os banqueiros se ofereceram como alternativa. Mostravam, ainda, que não era necessário usar moeda metálica no dia-dia – na época, muitos roubavam para usar o metal. Criou-se um esquema de emissão de moeda contra dívida pública ou moeda em poder do governo. Uma moeda de papel conversível em prata e ouro a qualquer momento.

Qual a relação com a crise financeira mundial que estamos vivendo hoje?

A mágica do sistema bancário hoje é que é exigida reserva de apenas 10%. “Se você puder criar moeda e emprestar a juros, faça”. Essa máxima, atribuída à família Rothschild, passou a valer hoje em dia. Tudo isso ocorre contra a dívida do Estado, pois a cada emissão exige outra correspondente em títulos. A moeda deixou de ser ativo real para ser déficit público.

********************************************** Fim da Entrevista*******

Então, quem paga a conta?

O sistema financeiro permanece sob “stress intenso” e o aprofundamento da crise econômica deverá ditar novas perdas para a banca mundial, revela o Fundo Monetário Internacional no relatório de estabilidade financeira, divulgado hoje.

Com tanta injecção, a indústria das seringas vai ter lucros astronómicos!!!

PORQUE NÃO SE CASTIGA OS CULPADOS DA CRISE?  28  Jan  2009

Anúncios

~ por arauto do futuro em janeiro 28, 2009 quarta-feira.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s