HO’OPONOPONO

HO’OPONOPONO

Ho’oponopono, sabe o que é?

Eu também não sabia, fomos apresentados a alguns poucos anos só sei dizer que é algo quase mágico, incrível e muito simples, é a prática do perdão.

Como muitos conheci através de um email que recebi, assinado por Joe Vitale, o mesmo que está no ínicio do livro de Al McAllister HO’OPONOPONO (clique para donwload) recomendado!

Seguem algumas passagens intertessantes para refletir neste domingo:

“Divino Criador, pai, mãe, filho em um…
Se eu, minha família, meus parentes e ancestrais lhe ofenderam,
à sua família, parentes e ancestrais em pensamentos,
palavras, atos e ações do início da nossa criação até o presente,
nós pedimos seu perdão…
Deixe isto limpar, purificar, liberar, cortar todas as lembranças, bloqueios,
energias e vibrações negativas
e transmute estas energias indesejáveis em pura luz…
E assim está feito.”
Morrnah Nalamaku Simeona
Criadora do Ho’oponopono Identidade Própria

“Ho’oponopono significa “corrigir um erro” ou “tornar certo” na língua original dos havaianos. Embora não muito conhecido no Brasil, o Ho’oponopono tradicional faz parte do sistema de cura Huna.

100% responsável

Ao fazer o Ho’oponopono você pede a Deus, a Divindade, para limpar, purificar a origem destes problemas, que são as recordações, as memórias. Você assim neutraliza a energia que você associa à determinada pessoa, lugar ou coisa.
No processo esta energia é libertada e transmutada em pura luz pela Divindade. E dentro de você o espaço vagado é preenchido pela luz da Divindade. Então, no Ho’oponopono não há culpa, não é necessário reviver sofrimento, não importa saber o porquê do problema, de quem é a culpa, nem sua origem. No momento que você nota dentro de si algum incômodo em relação a uma pessoa, ou lugar, acontecimento ou coisa, inicie o processo de limpeza, peça a Deus:

“Divindade

limpe em mim o que está contribuindo para este problema.”

Então use as frases desta seqüência:

“Sinto muito. Me perdoe. Te amo. Sou grato.”

várias vezes, você pode destacar uma que lhe toca mais naquele momento e repeti-la. Deixe sua intuição lhe guiar. Quando você diz “Sinto muito” você reconhece que algo (não importa se saber o que) penetrou no seu sistema corpo/mente. Você quer o perdão interior pelo o que lhe trouxe aquilo. Ao dizer “Me perdoe” você não está pedindo a Deus para te perdoar, você está pedindo a Deus para te ajudar se perdoar. “Te amo” transmuta a energia bloqueada (que é o problema) em energia fluindo, religa você ao Divino. “Sou grato” é a sua expressão de gratidão, sua fé que tudo será resolvido para o bem maior de todos envolvidos.

A partir deste momento o que acontece a seguir é determinado pela Divindade, você pode ser inspirado a tomar alguma ação, qualquer que seja, ou não. Se continuar uma dúvida, continue o processo de limpeza e logo terás a resposta quando completamente limpo.

Lembre-se sempre que o que você vê de errado no próximo também existe em você, somos todos Um, portanto toda cura é auto cura. Na medida em que você melhora o mundo também melhora. Assuma esta responsabilidade. Ninguém mais precisa fazer este processo, só você.”

Fonte: www.hooponopono.com.br – Al McAllister

HO’OPONOPONO (clique para donwload)

Anúncios

~ por arauto do futuro em maio 31, 2009 domingo.

14 Respostas to “HO’OPONOPONO”

  1. […] 2: HO’OPONOPONO […]

  2. […] Ho’oponopono […]

  3. […] sinto muito, me perdoe, te amo , sou grato […]

  4. Aqui eu tenho na verdade uma dúvida, não um comentário. Porque seria que tudo aquilo que nos incomoda nos outros teria que fazer parte de mim mesmo também?
    Não creio que seja assim. O que mais ocorre é que geralmente, quando somos atacados ou assim nos sentimos, incorporamos aquele ataque e o devolvemos. Ou seja, o problema do mal aqui é incorporá-lo, quando alguém o envia para nós.
    Se a gente não incorpora, ele fica onde estava, ou volta para lá.
    Mas eu não me culpo pelo o que é manifestação alheia e não gosto. O problema é me deixar levar por aquilo que não gosto, de tal forma que posso chegar a reproduzí-lo.
    De qualquer modo, Te amo, Me perdoe e Sou grato, desarma qualquer atitude desconfiada ou belicosa. Mil pontos para a amiga havaiana.

    • Beijamim,

      Porque seria que tudo aquilo que nos incomoda nos outros teria que fazer parte de mim mesmo também?

      Simples, somos espelhos.

      Só enxergamos no outro aquilo que existe em nós.

      O que não existe em nós nem sequer conseguimos identificar no outro, por que é desconhecido, se ‘re’conhecemos que no outro – que é meu espelho – há algo que me incomoda é justamente aí o caminho para trabalhar internamente, o outro nos dá a valiosa pista, o ‘pulo do gato’ para o trabalho interno. E uma vez que curamos em nós a parte que reconheço no outro como incômoda a mim, mesmo que agora não esteja aparente conscientemente, a curamos, em nós e no outro também.

      Deixará de se manifestar.

      Indo mais além, só projetamos no outro o que existir em nós.

      O que “incomoda” não é a toa que incomoda, senão não seria um incômodo.
      É um sinal, um aviso colocado ‘ali no outro’ por nós mesmos, para nos lembrar que temos que trabalhar em nós este desequilíbrio, que fica oculto, mascarado pelas rédeas do ego e da racionalidade.

      A questão não é se ‘culpar’ pela manifestação alheia do que você não gosta, mas ser responsável pela parte em você que cria o que você não gosta no outro. Se responsabilizar, ter ou cultivar a habilidade de responder por tudo que acontece na sua vida, e agradecer, pois foi vc mesmo quem atraiu ou colocou na sua vida, para lhe ajudar a ‘tornar certo’.

      Assumir a responsabilidade 100% é uma mudança de paradigma, a partir do momento que tomamos tudo que nos acontece como criação nossa e portanto responsabilidade nossa, mudamos o ponto de vista, as lentes sob as quais enxergamos nossa vida se ampliam. A vida flui, torna-se sana.

      Enquanto não curar em você, a parte em você que reconhece que algo te incomoda no outro, o que te incomoda no outro ficará se repetindo indefinidamente, até que libertando, limpando, ‘sinto muito, me perdoe, te amo, sou grato’, vc deixará de se incomodar, e então, outras pessoas que tenham algo que te incomoda vão surgir, com incômodos diferentes, só para que vc cure em si as partes que vc sozinho não consegue identificar como suas também. E no ‘outro’.

      É um bálsamo.

      É quase mágica, passamos a reconhecer os milagres do dia a dia. Colocar em prática é a única maneira de ver os resultados, simplesmente deixamos de ‘ser atacados, ou nos sentirmos incomodados’. Sabedores que fomos nós que trouxemos a ‘tona’ o incômodo que o ‘outro’ veio caridosamente me mostrar (mesmo que ele ou eu não saibamos disso), o incomôdo passa a ter outro conceito.

      E, em silêncio ou claramente, o emprego dessas palavrinhas ‘mágicas’ nas situações ‘incomodadas’, entregando para que a ‘divindade’ (a que vc confia) cure da melhor maneira (mesmo que não seja a que eu pensava) para todos os envolvidos, quando surgir algum ‘incômodo’ no ‘outro’, é a chave mestra que opera os ‘milagres’ da transevolução que estamos já estamos a experimentar.

      Sinto muito, me perdoe, te amo, somos gratos!
      Precisamos desarmar as atitudes belicosas para sanar as nossas interrelações e reencantar o mundo.

  5. Bem, todos temos alguma teoria pessoal, já que somos todos potencias individualizadas, verdadeiros dinamos da vida.

    Para mim, existem inumeros perfis em que as pessoas podem ser agrupadas, mas exite dois grandes grupos que servem para todos: os pacificos e os belicosos.

    O professor, fisico, maluco e etc.. num de seus livros comenta que, nós temos ainda traços de uma a agressividade impressa no DNA que teria nos servido para proteção e preservação, ou em miudos, o famos instinto de sobrevivencia. Ele refere-se a isso como justificativa para sua teoria que o homem deve colonizar o espaço. Porém ao se analizar sob um outro ponto de vista, que não participa de suas teorias, fica um pouco obscuro a forma como esta condição quase “animal” que ainda temos em nós se manifesta na mente consciente. O que gostaria de dizer com isso, é que, não acredito que seja possivel mudar o nosso codigo genetico apartir de nossa força de vontade, pensamento positivo, etc… ou, esta predisposição a agressividade de alguns não seja genetica??? estaria o dr. stephen totalmente enganado a esse respeito??? se ele estiver certo, não há nada que se possa fazer, se ele estiver errado, de onde vem nossa hostilidade? da alma?…..

    • Luis,

      veja bem, no que entendo não é possível ‘acabar’ com a belicosidade, a agressividade interior que nos impulsiona a vida, se não fosse por essa agressividade não estaríamos nós aqui, afinal foi essa agressividade impressa no DNA que fez cada um ser o ‘vencedor’ de uma corrida ao óvulo. Essa agressividade natural é natural e necessária a vida. Por sua vez, nascer é uma agressão a comodidade que estávamos no útero materno. E assim poderia citar milhares de situações. Até mesmo os ‘pacíficos’ são belicosos e os ‘belicosos’ são pacíficos, essa divisão em dois grande grupos são uma teoria. Nada mais.

      Não é possível acabar, mas é possível colocar cada qual em sua função. Ao compreender que a ‘guerra’ é interna e não externa, que o meio externo é só isso, o meio, para que possamos forjar a nossa caminhada interna , a agressividade toma seu lugar, e larga as ‘rédeas’ que por aeons sustentára nas mãos, e passa a ser manifestada apenas quando se tratar de um assunto de sua alçada e não mais errática como vemos nos dias atuais.

      O outro ponto que considero válido e impressionante, é que sim, não só podemos mudar nosso ‘código genético’ como o fazemos diariamente com a manutenção dos pensamentos, atos, palavras que nos regem o dia a dia. Não digo isso empiricamente, os ‘estudos’ e pesquisas que comprovam isso não são poucos, nem são teorias. Mas não tem, ou tem pouca visibilidade e lugar nas revistas científicas ‘popstars’

      Stephen Hawking pode estar enganado, é humano é passível de erros, e como muitos ainda está no esquema ‘colonizadores/colonizados’ , têm seus méritos e investigações científicas mas é limitador e ignora evidências de outros pesquisadores e cientístas que apontam outras direções, e nem aceita investigá-las, pois isso acabaria por ter que mudar seus conceitos e destruir definitivamente algumas de suas teorias. Hawking não é o tipo de pesquisador/cientista a qual considero ‘ético’, tem muitos interesses que ‘moldam’ suas pesquisas.

  6. Stephen Hawking: http://www.youtube.com/watch?v=xjBIsp8mS-c&feature=related

  7. Oi Gente! Valeu. Gostei de tudo o que está escrito, o Arauto é um ótimo professor em sua esfera, que bom que está mais participativo, tem muito para acrescentar e nortear. Não estava entendendo e, à partir dessa bem explicada resposta, sou obrigado felizmente à concordar: tenho um nó com minha família natal difícil de ser desfeito justamente por não compreender essa lógica do espelho. Vou me aprofundar nessa questão até ela fazer parte de mim, e de meu código genético.
    Meu caro Luis dos Pampas, um homem que provou ser muito amigo e capaz disso, vou te dizer que também acho que nossa mente e desejos alteram muita coisa dentro da matriz física. Creio que há correspondência inevitável, porque mesmo o átomo está fisicamente onde está sua consciência, e isso foi provado pela física quântica, mostrando que a realidade “acontece” juntamente ao foco de consciência empregado.
    De qualquer modo, a consciência e preparo físico de pessoas chamadas de mestres ou iluminados, geralmente são tão distintas e mais maleáveis que o do homem comum, que acredito que algo em seu físico foi atualizado, algo que antes “não existia”, porque estava sem condições de funcionamento.

  8. Concordo com os amigos, a medida que vamos plasmando nosso caminho vamos também interagindo com ele, somos estrada e caminho.

    Respondendo a sutil provocação do amigo Beijamin para falar sobre atomos, diria que é possivel que:

    1 – No plano inferior do mental, residem átomos inte
    ligentes que vibram de modo rápido, porém sempre atuados
    pelas vibrações do desejo, de tal maneira que podem servir
    para harmonia ou desarmonia de nosso universo.

    2 – O homem superior, pelo domínio de sua vontade
    sobre a natureza animal e pelo pouco uso de suas paixões,
    absorve a energia dos átomos superiores e emprega-a em todas
    as suas empreitadas; então, os inferiores se desintegram uma vez
    abandonados pela energia mental que lhes dava vida e uso.

    Somos assim: não nos basta achar caminhos, queremos é a razão da estrada.

  9. Gostei muito das mensagens deste blog, gostaria de receber seus artigos por e-mail.
    Gratidão
    Amanda

  10. Gostei muito das informações, sou nova na pr[atica do ho ponopono, e ja senti a diferença, gostaria de ter mais esclarecimentos, pois ainda fico meio confusa em como praticar em relaççao a outra pessoa.Gostaria de receber artigos em meu e-mail.
    Obrigada
    Nanci

  11. Sou apaixonada pelo Ho”ponopono, pratico e já estou notando muitas mudanças no meu comportamento, porém ainda não sinto segurança de recomendar para outras pessoas por que sempre fico achando que eu mudei apenas por sugestão, e se eu recomendar e a pessoa não tiver o mesmo resultado que eu ai eu ficarei frustrada e decepcionada… Por favor me ajude de alguma forma.
    sinto muito. me perdoe. sou grata. te amo…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s