Matrix

“Eh eh ôh vida de gado, povo marcado eh, povo feliz!” Zé Ramalho

É comum experimentar uma sensação de revelação ao assistir, pela primeira vez, o filme Matrix. Este outro vídeo fornece uma outra metáfora bastante reveladora.

O autor do vídeo, o anarco-capitalista Stefan Molyneux, é o anfitrião do show de filosofia Freedomain Radio. Vale a pena conhecer melhor os pontos de vista dele.

Tome a pílula vermelha. Acorde!

Você não tem que ser ‘gado’.

Parte 1

Errata tradução: Em 4:29 onde se lê correndo para, leia-se: se acumulando. Em 6:46 onde se lê espalham, leia-se espalhar.


Parte 2

Glossário: (Seguem algumas definições de Estadismo, sem distinguir de Estatismo como no inglês, que só tem uma palavra para isto: ‘Statism’)

[Posição que defende] um papel central do governo na direção da economia, tanto diretamente através de empresas estatais e indiretamente através de planejamento central da economia em geral.

[Ou então] um ponto de vista político “em que soberania é investida não nas pessoas, mas no Estado Nacional, e que todos os indivíduos e associações existem apenas para aumentar o poder, o prestígio, e o bem-estar do Estado. O conceito fascista de Estadismo repudia o individualismo e exalta a Nação como o corpo orgânico encabeçado pelo Líder Supremo nutrido pela unidade, força e disciplina.”

Para o vídeo original (True News 13: Statism is Dead – Part 3 – The Matrix, sem legendas em português), visite:
http://www.youtube.com/watch?v=P772Eb…

Fonte, tradução e legendas FightBadIdeas.

~ por arauto do futuro em junho 24, 2009 quarta-feira.

11 Respostas to “Matrix”

  1. Ser independente e responsável pela própria vida dá muito trabalho. É mais fácil ter alguém pra pensar por nós e nos dizer o que temos que fazer. Se caminharmos por nós mesmos não podemos colocar a culpa em ninguém, teremos que assumir as consequências boas ou ruins de todas as nossas atitudes. Infelizmente essa ainda é a mentalidade da grande maioria.

    Fa

  2. A história da humanida é muito antiga, e houve um tempo, em que a dominação, a interferência na vida do ser humano, a dita marix não existia, pois não havia como ela funcionar, não havia mecanismos. Neste tempo o homem foi livre, neste tempo tinhamos liberdade de falarmos diretamente ao nosso Deus. Sem dúvida a humanidade já viveu seu auge, ja tivemos nosso ponto máximo. Agora temos de nos contentar em viver-mos esta fase de declínio, até um novo ciclo…Aproveitem, a viagem é de graça!

  3. Monsieur, minha insaciável curiosidade quer pegar carona nessa tua explicação. Como foi esse tempo, quais os mecanismos que antes não existiam, podes falar disso um pouco?
    Outra coisa, me dê a fonte dessas informações, não para que a julgue, mas para buscar novas referências.
    Eu discordo de um detalhe, apenas, nesta tua apreciação. Será que não aconteceu algum “acidente” de percurso? Como pode uma humanidade livre e evoluída de repente começar a involuir.

  4. “Involuir”, nunca, pois a alma não regride. Sempre que avançamos, através das inúmeras iniciações que vamos tendo na vida (e considere-se iniciação as percepções da realidade sutil, quanda há condições para isso) este avanço se torna alicerce da nova geração que nos sucede.

    Quato as fontes, lamento, pois muitas fontes estão restritas nas mãos da M. e da I.C.A.R., mas podemos fazer algumas investigações, usando a lei da analogia e de um profundo exercício de desdobramento, para podermos “viajar” através do tempo e voltar ao passado.

    Os acidentes de percurso, que aliás ainda ocorrem, e vão continuar. São os cataclismos naturais, semelhantes ao que postei num comentário sobre os mapas da terra. Estes acidentes, retiraram e ainda podem acabar com a estrutura material que de certa forma da sustentação fisica ao ser humano e é de certa forma um expressão de sua evolução espiritual, fazendo que o homem aparentemente regrida e até se animalize, mas logo que consiga expressar e materializar seu pensamento, retorna sua jornada.

    Somos uma raça muito antiga, mas nossa jornada na existência é imensuravel, portanto estamos apenas no início desta caminhada. O homem terá muito, muito tempo para evoluir, porém seus passos ainda são lentos, e toda esta confusão e ansiedade demonstram, ou melhor, nos dão a pista que estamos evoluindo, pois sabemos que devemos evoluir, e isto nos causa estas impressões.

  5. Caro Beijamim, existe alguma confusão sobre a definição de ocultismo. Veja por exemplo as mais modernas teorias sobre a origem universo, a dos universos paralelos, das cordas, a teoria M, todas são análogas aos conhecimentos do dito ocultismo clássico, ensinado a muitas centenas de milhares de anos.

    Também não teria como te indicar uma fonte unica destes conhecimentos, pois muitos deles estão velados em obras de livre acesso, assim como nos livros de física e química, por exemplo.

    Posso te dizer que, parafraseando, terias que fazer analogamente um torrent de informações nos inúmeros seeds espalhados e juntá-los para formar o teu arquivo.

    Para muitos inclusive para mim, a teorias científicas modernas, são uma nova forma de ocultismo, não é mesmo?

    O estilo clássico, cheio de mistérios e símbolos são na verdade uma forma segura e secreta de transmitir uma verdade, de forma imutável.

    Quando cito que na antiguidade do homem estava fora do que chamamos hoje matrix, é porque isso é óbvio.

    Veja por exemplo, o que hoje em dia não é mais um exercício de manipulação em massa: a campanha contra as drogas, contra o fumo, a liberação gay, a ecologia, etc…, todos estes processos são uma forma de testarem a manipulação mental da população. Estas pessoas estão inseridas na matrix, somente porque hoje há os mecanismos para que isso ocorra.

    Outro exemplo, a similaridade que existe entre as religiões, não é por acaso, existem porque no início os primeiros portadores da verdade, foram encarregados de levar este estandarte de simbolismo, conhecimento e verdade a todas as partes conhecidas.

    Uma das hipóteses para que isso possa ter sido possível, foi o deslocamento da crosta terrestre quando houve a separação dos continentes, a milhões de anos atrás, quando o homem já existia.

    Antes dos muitos dilúvios, fins do mundo, etc.. que ocorreram algumas vezes, que como voce mesmo disse, poderia indicar uma “involução”, mas que afetarem somente a estutura material de apoio a humanidade.

    Os símbolos serviram justamente para induzir a intuição dos iniciados a continuar a jornada filosófica de evolução da humanidade, que embora hoje pareça confusa, mas tem nitidamente um linha mestra. Pois ainda estamos no início de nossa caminhada.

    Sei que isso pode até soar como insano, mas isso realmente é possível.

    A idéia de divindade, da nossa origem, da leis divinas, da alma, etc… presentes inclusive nas mais primitivas tribos indígenas é que dariam embasamento a esta teoria.

  6. Não tem nada de insano, Monsieur! Ótima resposta, obrigado pelas explicações. Eu concordo com todas elas. Mesmo porque, numa dessas indas e vindas de viagens com Daime, minha esposa reviveu ou viveu uma lembrança de uma outra personagem, uma sacerdotisa (ao que parece) de um povo com construções e símbolos muito parecidos com o do egito antigo (se não era o próprio). A visão se deu justamente no momento de um evento cataclismico passado (a Terra começava a escurecer). A sacerdotisa em questão entrou rapidamente no templo e começou a enviar mensagens (telepáticas, pelo jeito) para o futuro, como se o evento fosse se repetir ou ela tivesse medo de perder um monte de informações. Minha esposa captou, mudou sua face, mudou seu semblante na minha frente, eu ví o rosto da sacerdotisa, era outra raça humana, lembrava um pouco um humano meio símio, mas os olhos eram grandes, expressivos e muito mais humanizados e compreeensivos que os nossos. Nessa época conviviam pessoas e gigantes, que a humanidade chamva de “pais que não são pais”, e eles ajudaram naquelas construções megalíticas imensas, desaparecendo após o evento.
    Eu acredito que este evento foi a mudança de eixo planetário.

  7. Recontei essa história só para dizer que também acredito que já tivemos uma humanidade mais evoluída. Eu só não entendí qual foi o acidente de percurso desgraçado que fez a gente decair tanto para se tornar tão escravos. Isso pra mim não tem sentido, um retrocesso destes.

  8. Monsieur, vou abrir o jogo contigo: não gosto de sofrimento. Não o considero nada didático, pra mim ele é apenas um deformador de entes. Ah, “quando os entes resistem, eles crescem”. É sim, mas fica o gosto amargo na boca, isso quando se resiste mesmo. A maioria de nós acaba sendo deformado e pronto.
    Então eu vejo a história e é uma sucessão de maldades e sofrimentos, quanto mais o tempo passa, pior fica. Heróis, filósofos, grandes almas passaram por aqui e deixaram seu legado. Cadê mesmo? Cadê o fruto? O único fruto que vejo está no chão e bem podre. Por isso é desconfortável aceitar que já estivemos numa boa e perdemos tudo. Isso é meio ilógico. Tá faltando uma peça aí.

  9. Talvez, porque esta força extremamente poderosa que move o universo seja totalmente impessoal. Como uma roda gigantesca que esmaga o que esteja no seu caminho, pois sua função é transportar a realidade, e é indiferente ao que é transitório, o que chamamos sofrimento.

    Deus “navega” nas leis que ele mesmo criou, e para nós se manifesta através da gravidade, das dimensões no mesmo sentido e direção em que o universo se expande. Este é caminho da evolução, espiritualmente vamos evoluindo de acordo com este movimento.

    A materialização do pensamento divino é extremamente complexa e infinita.

    Em hipótese alguma podemos entender que ela seja estática ou esteja completa, nunca poderemos entende-la de forma científica, podemos apenas percebê-la. Pois ela é um processo de evolução que se auto-cria e se modifica a todo tempo enquanto evolui.

    Podemos nos relacionar com este processo, usando os mecanismos que conseguimos desenvolver e transmitir através das gerações, mas nunca poderemos interferir ou modifica-lo.

    Somos peças importantíssimas na expressão divina, embora muitos queiram diminuir o valor da humanidade, mesmo sendo motivo de discórdia entre as religiões, filosofias, expressões de pensamentos, a humanidade só vai evoluir como um todo.

    É possível que nosso mundo tenha surgido do choque entre dois unversos paralelos, e que desta colisão os dois tenham contribuído com seu legado existencial de uma forma incompleta, o que produz em muitos de nós lembranças, “insight´s”, de experiências nunca vividas, lembranças e ideias desconexas da realidade aparente, ligações sutis com outras realidades.

  10. Tem outra teoria. A de que fomos emanados de reinos superiores e estamos aqui para adquirir um aprendizado de crescimento interagindo com a resistência que este plano material nos dá.
    Sabe, por mais que eu esperneie, parece que é isso mesmo. Às vezes a gente é preenchido por uma consciência maior e percebemos que somos ela, não esse esboço de personalidade que usamos. Creio que é a chamado essência divina, e ela não tem apegos, mas objetivos claros, além de não temer nada.
    Já esteve nessa consciência?
    Qualquer palavra, qualquer teoria é nada perto dela.

  11. Sim, velho amigo Beija, muito queimei resteva, ali, ainda o capim novo, as ervas do chão.
    O céu é noutro universo, não é neste, isto seria impossível.

    Deus está lá, noutra dimensão, esperando por nós.

    Mas, quanto a resteva, nós sabemos, que quem vive ligado as coisas do chão é imune a contaminação pelas influencias da tal matrix.
    Por isso a sociedade moderna que eliminá-la, querem acabar com a nossa ligação com a natureza e o universo.

    Uma antigo mistério ocultista que gosto muito: voce é filho do universo, irmão das estrelas e arvores, voce merce estar aqui.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s