Bomba Metereológica no Atlântico Sul

Reconstrução e frio

Com informações da Metsul

O dia de hoje foi de reconstrução em Maldonado após a região ter sido castigada por vento com força de furacão, trazido por um ciclone extratropical duas vezes maior que o Rio Grande do Sul em diâmetro e com pressão atmosférica central tão baixa quanto a de um furacão categoria 1 que estava ontem na foz do Rio da Prata. As conseqüências da violenta tempestade no mar, como previsto, foram mais graves no país vizinho. No Litoral Sul gaúcho, foram menores os transtornos.

Conforme a prefeitura do Chuí, houve queda de árvores e postes na cidade durante a terça-feira. A CEEE passou o dia mobilizada para atender as ocorrências na região do Chuí e de Santa Vitória do Palmar. Conforme o chefe do escritório local da empresa, Cristian Vieira Duarte, foi preciso pedir reforço para Bagé a fim de atender o grande número de ocorrências. “Foram mais de 300 ocorrências, quando em um dia normal os pedidos não passam de 20”, disse. O vento derrubou e inclinou postes na região, além de ter provocado o rompimento de muitos cabos de energia. O serviço de balsa que transporta automóveis entre São José do Norte e Rio Grande teve uma viagem cancelada no começo da tarde devido à intensidade do vento. A estação meteorológica da Praticagem do Porto de Rio Grande, que voltou a abrir para operação ontem, registrou rajada de 90,7 km/h no final da manhã da terça-feira.

Em Mostardas, a estação automática do Instituto Nacional de Meteorologia registrou rajadas superiores a 100 km/h durante sete horas entre a madrugada e o começo da manhã da terça-feira (117,7 km/h às onze da noite, 119,2 à meia-noite, 114,1 à uma da manhã, 111,2 às duas da manhã, 102,6 às quatro da manhã, 103,7 km/h às seis da manhã e 106,6 km/h às sete da manhã de ontem). A Marinha ainda busca um náufrago de veleiro afundado na segunda-feira durante mau tempo no mar junto à costa de Rio Grande por conta da atuação do ciclone (clique sobre a foto abaixo para ampliar)

A costa do Uruguai foi atingida por vento contínuo com força de tempestade tropical e rajadas que alcançaram o patamar de furacão em alguns momentos que espalhou destruição na orla. As regiões mais castigadas foram as dos departamentos de Rocha e Maldonado que decretou emergência. O vento derrubou árvores, postes, semáforos e causou destelhamentos. Em Punta del Este, iates de meio milhão de dólares foram jogados pela ventania contra as pedras e os molhes.

A chuva intensa alagou as ruas do balneário que estava parcialmente sem luz após o incêndio de uma estação da empresa estatal de energia UTE. As autoridades recomendaram à população que evitasse sair de casa sem necessidade. Um guindaste de 70 metros caiu com a força do vento e ficou completamente retorcido em Punta del Este, ferindo gravemente um operário de 22 anos.

Uma mulher também ficou ferida após uma intensa rajada ter derrubado a motocicleta que conduzia. Os portos de Montevidéu e Punta del Este tiveram que ser fechados e houve bloqueio de rodovia. Em Paysandú, uma morte em acidente de trânsito foi atribuída pela polícia rodoviária local ao mau tempo. Em Montevidéu, imagens do canal 12 de televisão mostraram pessoas sendo arrastadas junto à Torre da Antel, onde forma-se um verdadeiro túnel de vento pela edificação.

O ciclone se afastou rapidamente do continente nesta quarta-feira, garantindo a diminuição do vento no Uruguai. O ciclone que estava ontem a Sudeste do Uruguai era muito intenso com pressão atmosférica central de apenas 985 hectopascais. Tratou-se de uma verdadeira “bomba meteorológica”, nome dados a ciclones frios em que a pressão atmosférica sofre uma queda de pelo menos 24 hectopascais em apenas 24 horas. Tivemos sorte do ciclone ter se formado mais ao Sul porque as conseqüências poderiam ter sido muito graves tivesse ele se originado na costa gaúcha. Passados os vendavais da corrente de jato pré-frontal, da frente fria e depois do ciclone, foi a vez do ar frio tomar conta do Rio Grande do Sul. Vacaria registrou 0,5ºC abaixo de zero na madrugada de hoje. Bom Jesus registrou 0,0ºC. Cambará do Sul amanheceu com 1,4ºC e Quaraí teve 1,1ºC. Em Porto Alegre, a mínima foi de 6,7ºC na zona Norte e em Canoas a Base Aérea informou 4ºC. Em Soledade, a forte geada cobria os automóveis no final da madrugada.

O tempo seco predomina no restante da semana no Rio Grande do Sul, mas haverá maior nebulosidade na Metade Norte com chance até de instabilidade nesta quinta-feira e no sábado. Santa Catarina e Paraná terão mais nuvens nas próximas 36/48 horas com chuva em diversos locais e que deve ser inclusive forte em alguns pontos. O ar mais seco e frio do Centro para o Sul gaúcho garantirá que estas áreas apresentem as madrugadas mais frias. A baixa umidade, contudo, favorece uma acentuada amplitude térmica e as tardes são bastante agradáveis. (Fotos do El País de Montevidéu do ciclone do Uruguai, de Paulo Henrique Pinheiro de Soledade, com colaboração na produção de de Alexandre Aguiar)

Autor: Eugenio Hackbart
Publicado em 01/07/2009 16:44

Leia outras informações:

~ por arauto do futuro em julho 2, 2009 quinta-feira.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s