Os efeitos dos campos magnéticos

Para não mudar a regra, primeiro “vendem” como se fosse a coisa mais “mudernidade”  que existe, durante anos a propaganda diz que não existe outra solução, é até engraçado é usarem a medida ‘microtesla’, colocam em uso até que vc esteja tão envolvido que não possa mais viver sem, aí então, começam os estudos, um aqui outro acolá, um verdadeiro, um com o tom ‘conspiratório’ que apontam timidamente a possilibidade de, vejam só, causar danos a saúde! E de uma imensa população, geralmente a mais sofrida, mas isso,  ah, claro, não sem antes o lucro ter enchido os bolsos dos usurários…

Louvável o estudo, mas sinceramente, precário e não abrangente, fala sobre os ‘possíveis’ efeitos de estar sumergido em campos magnéticos nocivos.

Ah…  o mundo seria diferente se, entre tantos outros do ínicio deste século,  houvessem compreendido mais a Tesla ou  Reich

Estudo avalia

efeitos de campos magnéticos

na saúde humana.

Uma pesquisa realizada pela Universidade de São Paulo (USP) em conjunto Faculdade de Saúde Pública do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), trouxe à tona uma questão preocupante.

Mais de 150 mil moradores da capital paulista estão expostos a campos magnéticos gerados por linhas de transmissão aérea de energia elétrica em níveis que podem provocar riscos à saúde humana.

Foram avaliados campos magnéticos iguais ou maiores a 0,3 microtesla, valor apontado como de risco. O estudo analisou cerca de 572 quilômetros de linhas de transmissão da cidade com a ajuda de mapas e sistemas de informações geográficas.

Segundo o levantamento, os campos magnéticos formam um corredor abrangendo uma área de 25 quilômetros quadrados. Alguns corredores apresentaram entre 50 a 130 metros de largura.

A população que vive nos corredores corresponde a 1,4% da população de São Paulo, em 1,3% dos domicílios da cidade. Os dados foram obtidos com base no censo demográfico do ano 2000.

A pesquisa também constatou que a população exposta as áreas de alto campo magnético possuem renda e nível de escolaridade mais baixo. Quase 48% tem menos de cinco anos de estudo e a renda familiar é inferior a dois salários mínimos.

Os danos à saúde foram avaliados e resultados indicaram que o risco de câncer entre pessoas com mais de 40 anos é maior em áreas situadas a 50 metros das linhas de transmissão.

“Ainda não há consenso de que os campos magnéticos causam câncer, mas existem suspeitas em relação à ocorrência de leucemia em crianças”, afirma o pesquisador e geógrafo Mateus Habermann, autor do estudo.

Todo trabalho foi financiados pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) e as conclusões encaminhadas para as concessionárias de serviços de eletricidade.

Fonte: Apolo11

~ por arauto do futuro em julho 14, 2009 terça-feira.

2 Respostas to “Os efeitos dos campos magnéticos”

  1. […] Os efeitos dos campos magnéticos […]

  2. Assisti um filme que trata do assunto em que uma cidade americana sofre com este problema. Não lembro o nome do filme alguém se lembra por favor?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s