A INFLEXÃO.

A INFLEXÃO.

Abençoadas as almas humanas

que pensam nas futuras gerações e se sacrificam por elas,

porque nas batalhas em que estão envolvidas

eventualmente não conquistarão a vitória,

mas nunca perderão.

Na outra margem há os amaldiçoados

que lançam mão de estratégias de duvidosa reputação,

porque só lhes interessa a satisfação imediata,

são almas cegas em relação ao futuro.

Elas estão perdidas desde o início de tudo,

se perderam antes de começar.

Esta diferença é antiga como a própria história,

mas há uma nova torção acontecendo,

uma inflexão do implacável destino que se inclina

ao clamor atávico de um mundo organizado

a favor do bem da maior quantidade possível de pessoas,

encerrando assim milênios de uma civilização criminosa.

.

Tudo que você fizer para mudar hábitos e a disciplina que isso exigir será recompensado com transformações enormes que se operarão a médio e longo prazo. Sua liberdade futura depende de disciplina atual.

.

Aniquile com precisão e rapidez todo vestígio de ressentimento ou ódio, porque estes são os únicos inimigos que impedem o avanço na direção de um mundo maior e melhor. Mude seus pontos de vista em vez de mudar as pessoas.

.

Pense no impensável, aposte no que for mais difícil, daqui para frente as coisas não seguirão mais a lógica da civilização que agoniza, entraram num ponto de não retorno ao passado. O futuro? Ninguém conhece.

.

Você pode atrasar ou adiantar as reviravoltas, mas não impedi-las. É apenas uma questão de decidir o tempo destas acontecerem, porque no fundo o jogo já começou e tem tudo para ser positivo para seu futuro.

.

Conclua da forma mais criativa possível o que estiver em andamento, porque no futuro próximo haverá outros assuntos mais importantes para administrar. A pressa é inimiga da perfeição, mas às vezes é necessária.

.

O fim do mundo não acontecerá, mas as coisas mudarão tanto que parecerá que isso mesmo ocorreu. Por isso, quanto antes você mudar de rumo e alimentar outros projetos, mas rápido se sintonizará com o possível progresso.

.

O desejo é implacável como o destino, pode até sair de cena em algum momento mais sossegado da existência, mas certamente voltará a exigir atenção depois. Desejos podem conduzir bem seus passos ou o contrário também.

.

Quanto mais gente estiver envolvida, mais complicadas serão as coisas, porém, mais interessante e próspera será a perspectiva futura. Por isso, não tema complicar-se, é no seio da complicação que você dará seu melhor.

.

Comece ordenando a bagunça cotidiana para só depois concentrar-se nos assuntos que aparentemente seriam mais importantes. Na prática, sempre parecerá haver algo mais importante do que o ritmo cotidiano.

.

Grandes sacrifícios se tornaram necessários, mas esta condição não precisa ser dolorida, a não ser que você recuse terminantemente a entrada do futuro que se tornou inevitável. A recusa fará com que tudo seja mais dolorido.

.

Ainda que você tenha apostado todas suas fichas numa pessoa em particular e que agora esse relacionamento esteja à beira do precipício, isso se mostrará a melhor coisa que poderia ter acontecido nos últimos tempos.

.

Você sente no ar algo que não se explica com palavras, mas que produz profunda emoção, uma espécie de reconhecimento íntimo de algo que é familiar, mas de lugares e sensações que não se explicam facilmente.

.

Fonte: Quiroga

Anúncios

~ por arauto do futuro em junho 8, 2010 terça-feira.

Uma resposta to “A INFLEXÃO.”

  1. Não vejo a hora, como se diz. Mas a hora é agora, para quem sabe, a hora é sempre agora, porque tudo depende da verdade que nossas consciências sejam capazes de abrigar e acalentar.
    Nossa geração foi muito iludida, enganada, passada para trás, sacaneada, escravizada com muitos sorrisos, amarrada por dentro e por fora, tanto pela inclusão de desejos e objetivos equivocados, mantenedores de um sistema injusto, quanto pela luta diária, cada vez mais desproporcional para se obter o mínimo. Construíram um funil muito apertado e sujo e nos disseram: querem ser gente? Passem por aqui! Um funil que nos põe fantasia de gente, enquanto nos transforma lentamente em bichos.
    Eu olho para as crianças, ainda descondicionadas de tudo isso, revelando a pureza que já tivemos e de onde viemos, ainda fresca em suas memórias, e sei que elas não merecem nem devem precisar passar por nada disso. Seria a repetição de uma loucura e de uma covardia desnecessárias, uma coisa que só destrói e não leva a nada.
    Então eu concluo: de escravo, já bastou eu mesmo, a brincadeira agora vai ter de ser outra, custe o que custar, doa a quem doer.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s