Série ERAS : DESPERTAR

DESPERTAR

Entrevista concedida por Stephen Play à Samira Menezes, para a Revista dos Vegetarianos

1.       Desde quando é vegetariano? Por que tomou essa decisão?

Há mais de dez anos. Aconteceu numa época em que eu estudava os livros de autores que escreviam sobre espiritualidade, misticismo, esoterismo etc. Um ponto comum que eu percebia em todos eles era o de que a alimentação com carnes de animais interferia no processo evolutivo humano. Apesar de ter – até aquele momento – um histórico denso de creofagia e uma estrutura familiar avessa a mudanças alimentares, fiz a transição aproveitando uma situação insólita: uma das matriarcas de minha família faleceu – talvez a mais influente e dominadora. Em momentos como este afrouxam os controles que mantém toda a estrutura familiar presa a sistemas de crenças, de cultura e de tradições. O controle retorna, eventualmente, mas acontece um hiato propício às mudanças pessoais.

2.       Onde nasceu?

Nasci no Brasil.

3.       Onde mora?

Atualmente resido em Florianópolis, SC.

4.       Qual sua formação?

Minha formação convencional foi em escolas de engenharia, com especializações e mestrado em ciência da computação.

5.       Quantos anos têm?

Tenho 46 anos de idade.

6.       Seu livro está disponível para download no seu site. Por que o disponibilizou gratuitamente?

Tive a oportunidade de encontrar uma editora com uma visão moderna a respeito do fluxo de conteúdos. O livro físico é um dos meios de disseminação de conteúdos; os arquivos eletrônicos de texto são outro, de áudio idem, e assim por diante. O que realmente importa é o conteúdo, aquilo que contém a mensagem, a história, o conto – aquilo que foi criado pelo autor. Os meios são secundários e não competem entre si: se determinado conteúdo tem qualidade, as pessoas interessadas irão acessá-lo da maneira que melhor lhes convém. A conclusão a que chegamos foi de que o surgimento de novos meios de disseminação de conteúdo – iPad, Kindle, smartphones etc. – incluem mais e mais leitores. Quem gosta de ler livros físicos continuará comprando-os; quem está sempre conectado à internet adicionará e-books na sua rotina. Não há, entretanto, a compreensão consolidada de se pagar por conteúdo eletrônico; isto é algo que teremos de ensinar às pessoas, e não o conseguiremos usando mecanismos de restrição, fiscalização e punição. O caminho é tratar a todos os leitores como seres conscientes e elevados. As pessoas percebem este respeito, compreendem que se trata de uma mudança de paradigma e passam a agir como tal. Em meu site o texto integral do livro está aberto, sem qualquer condição – quem faz o download sequer necessita informar seu e-mail –, mas existe ao lado um botão para doações espontâneas, onde as pessoas podem contribuir com qualquer quantia, a qualquer momento. Todos sabem que um e-book de qualidade não sai de graça – existiu um investimento monetário para produzir aquele arquivo. Penso que o entendimento de que deve haver uma retribuição já é realidade em muitas pessoas.

7.       Desde quando vem trabalhando na obra?

O processo de redação iniciou em novembro de 2008, quando praticamente toda a série ERAS se consolidou dentro de mim. O primeiro volume – Despertar – ficou pronto em aproximadamente quatro meses; o livro dois, em outros três meses.

8.       Quando foi lançado?

O lançamento foi em julho de 2010.

9.       A série ERAS começou com o livro Despertar. Quando serão lançados os outros, Caminho e Ascensão? Eles já estão prontos?

A editora planeja o lançamento do livro dois – Caminho – para a primeira quinzena de dezembro de 2010. Este livro já está redigido e em processo de editoração. Eu estou escrevendo o terceiro volume – Ascensão – que deverá encerrar a série, completando a trilogia.

10.   O que significa despertar?

Despertar, no contexto da série ERAS, é o processo pelo qual Christian – o protagonista – tem de passar para saber quem realmente é e qual a sua missão na Terra. É uma quebra de latência, um estado no qual o personagem vive a fantasia da vida material como se fosse a única realidade absoluta. Despertar é uma sequência de libertação que inicia com a dissolução de vínculos terrenos – apegos e aversões – utilizando a ferramenta do perdão; segue com a instrução sobre as eras planetárias desta humanidade, as passadas e a que está por vir – a Sexta Era. Um instrutor auxilia Christian nesta jornada, e seus encontros acontecem em mundos imateriais, durante o sono.

11.   O vegetarianismo faz parte desse processo? Por quê?

Sim. A alimentação vegetariana é parte importante no processo de libertação da consciência – embora isolada não signifique, necessariamente, evolução pessoal. A atitude de ingerir apenas o necessário para a manutenção do corpo físico faz com que a pessoa liberte-se de alguns desejos da personalidade – tais como comer carne e industrializados em excesso. No princípio os seres humanos tinham corpos físicos que subsistiam apenas com o que os reinos mineral e vegetal lhes forneciam; o reino animal existia para fortalecer o equilíbrio emocional da humanidade. Em algumas épocas passadas, desequilíbrios no reino humano provocados por guerras e cataclismos causaram escassez de alimentos, e a creofagia – humana e animal – foi a solução lógica e possível para sobreviver. Esta dependência de carne, que já dura milênios, causou uma alteração no código genético dos humanos que persiste até hoje. Desconheço pessoas que conseguem subsistir com uma dieta estritamente vegana sem depender de complementos farmacoterápicos. Não sei se temos hoje, no planeta, seres que podem viver apenas com alimentação de origem não-animal sem sequelas danosas ao corpo físico. Percebo um grupo crescente de farmacoveganos, os vegetarianos estritos que necessitam de fármacos de uso continuado – principalmente para a carência de vitamina B12. Conheço pessoas que suprem as carências nutricionais com a ingestão de quantidades moderadas de ovos e derivados de leite. E vejo pessoas – talvez a esmagadora maioria – cujo genoma determina uma alimentação densa baseada em carnes; temos de adquirir a compreensão de que alguns corpos realmente precisam deste tipo de alimento e que não é apenas uma questão de desejo ou hábito gastronômico. A escolha por não utilizar e não depender de remédios e complementos alimentares para a manutenção do corpo físico deve ser entendida e respeitada. O ponto principal na questão alimentar é saber exatamente o que se necessita para o bom funcionamento do corpo físico – e alimentar-se apenas disto.

12.   O enredo de Despertar fala sobre o início de uma nova era à qual a humanidade não está preparada para viver. Alguma semelhança com o mundo atual?

Sim, é exatamente o momento que estamos vivendo; este romance é um texto contemporâneo e a trilogia acontece no período compreendido entre os séculos 21 e 23. Estamos vivendo a Quinta Era planetária e a série ERAS mostra a preparação de um grupo para o início da Sexta Era, apontado no livro para o dia 8/8/2222, no século 23, quando acontecerá um alinhamento de corpos celestes muito específico. O tutor de Christian ensina-o que cada era planetária tem sete épocas culturais; estamos vivendo agora a época cultural Russo-Chinesa; a anterior, que finalizou em agosto de 2008, foi a Anglo-Saxônica. Cada uma destas etapas se caracteriza pelo domínio da cultura e da civilização mais poderosa, e o final de cada era planetária prima por caos e conflitos.

13.   Sobre o que você irá falar em Caminho e Ascensão?

Caminho mostrará a jornada de Christian para unificar sua consciência nos mundos do universo-Terra. Ele aprendeu que existe o Mundo Material, o Intermediário e o Imaterial – são três mundos nos quais a consciência responde de forma separada, ou seja, não está unificada. Uma consciência unificada – ou contínua – percebe os mundos como uma realidade única. Uma pessoa com a consciência unificada não perde a noção de tempo, unidade e espaço quando adormece, por exemplo. Durante Caminho, Christian enfrentará provas e obstáculos similares aos vividos pelo Cristo Jesus em sua passagem terrena. A última prova é justamente a Ascensão, que será objeto do terceiro volume. Neste ponto Christian está plenamente desperto e sua consciência totalmente unificada; ele dispõe do poder máximo de um ser de sua origem e vai usar isto para despertar seus companheiros incorporados e preparar mais pessoas para o início da Sexta Era.

14.   O que as religiões têm a ver com os processos de despertar e ascensão?

Ao longo da trajetória humana as religiões foram as depositárias de grande parcela do conhecimento gerado ou recebido pela Humanidade. As instituições laicas, basicamente as constituídas pelas comunidades política, militar e científica, facilmente se dissolvem com cataclismos e guerras. Através das eras planetárias os povos se mantiveram unidos e se reergueram principalmente pelo credo religioso. Este fato deu muito poder às instituições religiosas, que perceberam acertadamente que quem detém o conhecimento, detém o poder. As religiões começaram a reter para si esta sabedoria, cientes de que uma pessoa que sabe é um ser livre, ou seja, se os seus seguidores tivessem conhecimento pleno de todos os “mistérios” não haveria como manter controle sobre este contingente. Em outras palavras, os devotos de determinada doutrina não poderiam ser despertados, deveriam permanecer latentes para servirem de instrumento de crescimento e poder. Os cientistas, por exemplo, desafiaram e desafiam este modus operandi revelando fatos, esclarecendo enigmas e destruindo dogmas; é por isto que temos tantos conflitos entre Ciência e Religião a cada novo passo dado pela comunidade científica – trata-se de uma luta por poder. O livro ERAS – Despertar revela, numa narrativa paralela, o surgimento de uma nova religião, travestida em centro espiritual alternativo. Trata-se de uma história verídica que mostra claramente que as religiões não têm como objetivo a evolução de cada ser humano, mas sim alcançar metas terrenas de poder, dinheiro, fama e/ou sexo. Esta trama desvela a trajetória de vários personagens que se tornaram devotos e persistiram até terem contato com a inevitável corrupção interna da estrutura religiosa. A série ERAS deixa claro que não existem atualmente religiões, seitas e doutrinas que não estejam corrompidas, e que não há caminho possível dentro delas que viabilize aos seres humanos o despertar, a ascensão e a evolução.

Stephen Play

stephenplay5@gmail.com

Florianópolis, 18/08/2010

Fonte: http://editoraamericana.com.br/index.php?option=com_content&view=article&id=9&Itemid=11

Anúncios

~ por arauto do futuro em setembro 20, 2010 segunda-feira.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s