HIPERESTESIA – HIP

Mais um artigo esclarecedor do blog da Laura que junto com este artigo e o que ‘re’publicamos aqui ajudam a elucidar muitas ‘conexões’ que pairavam sem ‘link’. Recomendamos.

HIPERESTESIA – HIP

Hiperestesia é a palavra usada para nomear a super sensibilidade, a fina percepção de nossos sentidos; audição, olfato, visão.
Todos nós pensamos e emitimos ondas psíquicas de nossos pensamentos. Estas ondas têm um alcance médio de 10 a 30 metros, e bombardeiam a todos que estão dentro deste raio de alcance.
Quando uma pessoa que tem habilidade para perceber que é Hiperestésica, e se encontra ao alcance destas ondas, ela fará uso de sua hipersensibilidade sensorial, ou sua faculdade Hiperestésica indireta do pensamento – HIP.
Todos somos hiperestésicos no inconsciente
Perdemos essa habilidade em algum momento do passado quando experimentamos a individualidade no grupo. Fomos desviados dessa função. Fomos reprogramados a esquecer a hipercomunicação, nos distanciando da hiperestesia do grupo.
Esse fenômeno natural dos seres humanos hoje pode ser popularmente chamado de mediunidade. Nos fizeram acreditar que somente poucos, alguns “sortudos”, teriam esse dom ou um caráter “divino” próprio de seres especiais no planeta.
O médico alemão Franz AntonMesmer postulou a existência de um campo magnético, fluido universal, que poderia ser usado de forma terapêutica. Essas ondas captadas podem ser ouvidas (ou traduzidas) ou até sentidas por pensamento de quem emitiu estas ondas.
Todos nós captamos ondas de pensamentos através da HIP – faculdade Hiperestésica Indireta do Pensamento, mas normalmente não temos consciências delas por conta de nossa vidinha atribulada e material envolvida na dinâmica do pressuposto que tudo tem uma lógica para ter acontecido.
Por conta disso, alguém dará uma explicação “racional” ao que você estará sentindo, ouvindo, ou vendo.
HIPERESTESIA DIRETA DO PENSAMENTO
Se faz quando desenvolvemos a hipersensibilidade, e temos certa consciência do que nossos sentidos estão captando, seria o caso das pessoas que trabalham e focam no desenvolvimento dessas habilidades – os chamados “sensitivos e médiuns”.
HIPERESTESIA INDIRETA DO PENSAMENTO
Nós todos recebemos estas informações, porém não temos consciência, conhecimento sobre elas, portanto ficando registradas somente no inconsciente – Chamamos de intuição.
hiperestesia consciente, comum nos sensitivos, pode ser desenvolvida por qualquer pessoa através de treinos. Não há nenhum mistério. Povos antigos desenvolviam essas habilidades naturalmente.
Percebam que muitos já as têm naturalmente (talvez inconscientes dessa habilidade). Exemplo disso são os provadores de bebidas como o café, vinho e aqueles sensíveis aos perfumes, aromas distintos. Alguns de nós não consegue distinguir nem um refrigerante do outro, quanto mais uma safra de vinho de centos anos atrás.
Quantas pessoas sem nunca terem feito uma aula de música conseguem pegar um instrumento e imitar o mesmo som que está ouvindo no rádio. Eles ouvem notas imperceptíveis ao nosso ouvido. Como eles fazem isso?
Assim como a visão pode ser desenvolvida, o deficiente visual (cego) pode desenvolver surpreendentemente sua sensibilidade auditiva e olfativa. Quantos cegos percebem quem entrou num recinto e se a pessoa está bem ou não sem que ela abra a boca para relatar seu pensamento. Nesse caso ele trabalha outras percepções que naturalmente não usaria se fizesse uso da visão.
Ás vezes estes estímulos são tão pequenos que o consciente não tem modo de reagir e cai na conta da percepção hiperestésica inconsciente. Tornam-se sensações inconscientes.
A comunicação é uma herança genética de nossos ancestrais Homo erectus – homem primitivo. O estudo e a compreensão destes poderes podem nos ajudar a solucionar problemas, tomar decisões e até nos ajudar a escapar de perigos.
Hiperestesia HIPER vem do grego (HYPÉR), que significa, SUPER, POSIÇÃO SUPERIOR, ALÉM.
ESTESIA é derivado de ESTESE, uma palavra de origem grega; (AISTHESIS), que significa SENSIBILIDADE, SENSAÇÃO.
A sensibilidade dos sentidos de certos animais serve para alertar-los do perigo e nós deveríamos refinar essas percepções para nossa saúde física e mental.
O doutor Hereward Carrington descreve uma experiência interessante a respeito de algumas destas sensações inconscientes (no caso, subconscientes):
Introduziu uma pessoa numa sala na qual nunca tinha estado, deu lhe somente uns 4 a 5 segundos para que observasse tudo o mais que pudesse.
Uma pessoa sadia é capaz de lembrar de uns15 ou 20 objetos.
Mas se for hipnotizada em seguida observaremos que poderá lembrar, sob o efeito da hipnose, que faz surgir certas sensações inconscientes, mais uns 40 ou 50 objetos que estavam na sala e dos quais só inconscientemente teve conhecimento.
CRIANÇAS PRODIGIOSAS – são tratadas por nós como crianças ingênuas, atrasadas mentais muitas vezes, por nossa total ignorância desses fatos. Elas detém uma hipesensibilidade energética a ambientes e pessoas.
A menina Ilga K. de Trapene da Letônia de pais sadios teve um desenvolvimento físico normal, mas intelectualmente ficou muito retardada.
Aos 8 anos tinha o linguajar de uma criança de 2 anos. Nunca conseguiu aprender a ler ou fazer um simples cálculo. Não passou do conhecimento isolado das letras e dos algarismos.
Pois bem, aos 9 anos, apesar de ser incapaz de calcular e de ler, Ilga “lia” qualquer parágrafo emqualquer língua, inclusive latim, e resolvia problemas matemáticos, contanto… que a mãe estivesse em sua presença, e lesse mentalmente com ela, ou pensasse na solução de um problema matemático.
Numa ocasião, em vez do número 42 Ilga disse 12, mas ao questionar à mãe comprovou-se que a mãe tinha feito a conta errada… A menina repetia até os erros da mãe…
A menina não “lia” o papel, mas apenas “sentia” o que a mãe lia.
Em outras experiências mantiveram a mãe e a filha separadas por uma porta fechada. Mesmo com a porta fechada, é possível haver a hiperestesia em bons sensitivos.
A porta fechada não impediu que chegassem a Ilga certos sinais como os sons emitidos pelas cordas vocais, o movimento do ar, os reflexos de luz, etc.
A menina ficou durante 11 meses sob a observação de uma especialista em Psicologia e Pedagogia. Os resultados das investigações da comissão foram publicados pelo Dr. Hans Bender do laboratório de Parapsicologia da Universidade de Friburgo.
A conclusão da comissão foi que: “não se trata de telepatia, a não ser de maneira episódica”.
Trata-se de Hiperestesia Indireta do Pensamento, especialmente de natureza auditiva: Ilga percebia os “cochichos involuntários” da mãe, para expressar se pelos mesmos termos dos investigadores; “cochichos” que passavam imperceptíveis às testemunhas, por não serem sensitivas.
Por ser hiperestesica preferentemente auditiva, se explica que pudesse captar o que lia ou pensava a mãe, mas quando isolaram a mãe em uma sala de isolamento de transmissão radiofônica, mesmo a menina vendo sua mãe através dos vidros ela não conseguia captar as vibrações. Gritou a menina para mãe – “não ouço nada!”
Me diga aí, quantas vezes você contou uma música que o outro disse: “nossa! Eu estava pensando nessa música!” Ou até mesmo você pensou em alguém e o telefone tocou com ligação da pessoa em sua mente. Você nunca disse a frase: “Puxa, você não morre mais, acabei de falar em você!”
Temos que romper esse atraso de milênios, onde nossas habilidades sensorias foram inibidas a ponto de atrofiarem. A crença de que só algumas pessoas podem manifestar essas aptidões (chamados médiuns) foi um programa instalado de inutilização e coibição de nossas mentes.
Referindo-nos ao caso concreto da menina Ilga, ela não tinha poderes auditivos. Sua audição consciente era absolutamente normal, como demonstraram vários testes auditivos.
Se fosse telepatia, como afirma a maioria sem profundos conhecimentos de Parapsicologia, o fenômeno se produziria exatamente igual na ausência da mãe, pois no conceito de telepatia se inclui que o fenômeno prescinde da distância – da não localidade – Fisica Quantica.
A hiperestesia requer, evidentemente, a presença do “transmissor”
A HIP é a captação e interpretação, geralmente inconsciente, desses sinais.
Já a telepatia não se pode provocar à vontade. É necessário um receptor e um mensageiro.
Outros sensitivos, porém, não se condicionam tão especificamente às características individuais, mas apenas captam os sinais comuns de toda a espécie humana ou de quase todos os homens, não só os de uma única pessoa.
O MECANISMO DE CAPTAÇÃO DE SINAIS
O Dr. Calligaris, professor de Neurologia na Universidade de Roma, em numerosas passagens de um dos seus livros, afirma, após numerosas experiências, que:
“o reflexo fisiológico das idéias passa às pessoas presentes como por ressonância ou consonância”.
Essa ressonância ou repercussão seria em definitivo o que nós chamamos hiperestesia, percepção inconsciente dos sinais.
“Falamos” com todo o corpo e
o inconsciente das pessoas presentes “entende”.
Captamos esses mínimos sinais ou reflexos fisiológicos externos correspondentes ao pensamento de outra pessoa presente, pois o homem, por excelência é hiperestésico – ao menos no inconsciente.
Um exemplo inconsciente nosso é ver uma pessoa se lacrimejar, coçar ou tossir.
Uma hiperestesia cutânea, acrescentando-se à hiperestesia visual, auditiva, caminha o reflexo fisiológico do pensamento de outra pessoa para nós ou às pessoas presentes numa sensação de ardência nos olhos, de coceira e reprodução na tosse.
Experimente tossir num cinema quando as luzes se apagarem. Tais reflexos se identificam com o pensamento, como pensamento e reflexo são apenas dois aspectos diferentes de um só fenômeno, inconscientemente são reproduzidos em nós esses reflexos fisiológicos de outra pessoa, também teremos captado inconscientemente o pensamento.
Fico pensando nas pobres das crianças vítimas da ignorância dos pais que não fazem idéia sobre essas habilidades.
Crianças que estão sempre com dores de garganta, ouvido ou alergias estão “lendo” seus pais e representando metaforicamente esses pensamentos.
Não acredita nisso? Pois de agora em diante observe se quando os ânimos em casa estiverem alterados se a meninada não irá apresentar febre, dores ou mal estar.
Abaixo alguns dos ditos fenômenos mediúnicos que podem ser explicados por hiperestesia.
CLARIVIDÊNCIA: Quando temos uma extra sensibilidade da visão, e com isso possuímos o dom de ver fatos e objetos a longas distâncias, ou que normalmente passam desapercebido a todos.
CLARIAUDIÊNCIA: desenvolvimento extra sensorial da audição
CLARISENSIBILIDADE: desenvolvimento extra sensorial do olfato e do paladar.
Esses poderes podem ser treinados e desenvolvidos, podem ser reforçados ou ampliados.
Porém as pesquisas indicam que a recepção destas emanações de energias psíquicas produzidas por outros, só podem adquirir força se alguma coisa dentro de nós corresponde àquele pensamento, ou seja, se estivermos na mesma freqüência, abertos a recepção da mensagem.
Isto quer dizer que é muito mais fácil perceber mensagens telepáticas de pessoas intimas a nós, que temos algum tipo de ligação, afinidade, amor, ódio do que receber mensagens telepáticas de um estranho.
Paranormalidade é um campo vasto e muito interessante. Eu gosto de estudar a fundo e aconselho a você que gosta dessa informação a fazer o mesmo. Há muita coisa que alegamos como “fenômenos” anormais por simples ignorância.
Uma nota importante para aqueles que estão na minha mesma freqüência de informação.
Hippolyte Léon Denizard Rivail foi membro da Grande Loja Maçônica da França.
Quem é esse aí? Todos nós o conhecemos como Alan Kardec.
Laura botelho

 

Anúncios

~ por arauto do futuro em outubro 22, 2010 sexta-feira.

Uma resposta to “HIPERESTESIA – HIP”

  1. Eu sabia que estava acontecendo algo diferente comigo. Pensei que estivesse enlouquecendo e fui procurar na internet uma explicação. Descobri que tenho hiperestasia. Desejo saber mais e entender o que esta se passando comigo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s