2011 – O “TOM” DO TEMPO

2011 – O “TOM” DO TEMPO

O “tom” do tempo agora é outro, e cada vez mais se verá manifestada as mudanças que  darão a ‘nota’ da nova tonalidade  que se avizinha.

Um tempo sem ‘tempo’.

A velocidade com que as estruturas normalmente conhecidas se tornarão obsoletas ou destruídas será vertiginosa para muitos. Mas nem por isso deixa de acontecer.

O que normalmente pela ótica Humana se denomina de ‘catástrofe’ sob a ótica do Universo nada mais é que o ajuste necessário para que como Humanidade possamos realizar uma façanha incrível até então. Mais importante que a revolução causada pela descoberta de que a Terra é redonda.

“Espere o melhor, prepare-se para o pior, receba o que vier“.

Poderíamos nos ater aqui a escrever e reportar os inúmeros relatos do clima que são as notícias do ‘dia’ no nosso dia a dia, mas isso seria ‘chover no molhado’. Já fizemos isso nos anos anteriores e os links para encontrar estas notícias estão disponíveis para quem continua ‘chovendo no molhado’.

Quanto ao clima o melhor a fazer é manter-se como o sagaz empregado na fazenda, do conto que diz:

Há muito tempo, um fazendeiro possuía muitas terras ao longo do litoral do Atlântico. Horrorosas tempestades varriam aquela região extensa, fazendo estragos nas construções e nas plantações.

 Por esse motivo, o rico fazendeiro estava, constantemente, a braços com o problema de falta de empregados. A maioria das pessoas estava pouco disposta a trabalhar naquela localidade.

 As recusas eram muitas, a cada tentativa de conseguir novos auxiliares.

 Finalmente, um homem baixo e magro, de meia-idade, se apresentou.

 Você é um bom lavrador? Perguntou o fazendeiro.

 Bom, respondeu o pequeno homem, eu posso dormir enquanto os ventos sopram.

 Embora confuso com a resposta, o fazendeiro, desesperado por ajuda, o empregou.

 O pequeno homem trabalhou bem ao redor da fazenda, mantendo-se ocupado do alvorecer ao anoitecer.

 O fazendeiro deu um suspiro de alívio, satisfeito com o trabalho do homem.

 Então, numa noite, o vento uivou ruidosamente, anunciando que sua passagem pelas propriedades seria arrasadora.

 O fazendeiro pulou da cama, agarrou um lampião e correu até o alojamento dos empregados.

 O pequeno homem dormia serenamente. O patrão o sacudiu e gritou:

 Levante depressa! Uma tempestade está chegando. Vá amarrar as coisas antes que sejam arrastadas.

 O empregado se virou na cama e calmo, mas firme, disse:

 Não, senhor.  Eu não vou me levantar.  Eu lhe falei: posso dormir enquanto os ventos sopram.

 A resposta enfureceu o empregador. Não estivesse tão desesperado com a tempestade que se aproximava, ele despediria naquela hora o mau funcionário.

 Apressou-se a sair para preparar, ele mesmo, o terreno para a tormenta sempre mais próxima.

 Para seu assombro, ele descobriu que todos os montes de feno tinham sido cobertos com lonas firmemente presas ao solo.

 As vacas estavam bem protegidas no celeiro, os frangos estavam nos viveiros e todas as portas muito bem trancadas.

 As janelas estavam bem fechadas e seguras. Tudo estava amarrado. Nada poderia ser arrastado.

 Então, o fazendeiro entendeu o que seu empregado quis dizer. Retornou ele mesmo para sua cama para também dormir, enquanto o vento soprava.

Penso que este conto resume a atitude que devemos procurar manter sempre, não apenas nas ‘tempestades’ sejam elas climáticas ou não.

Mas, para quem quer ir além do que está visivelmente terminando e da maneira óbvia de ação, e quiser ter um vislumbre, ainda que parcial, do que está iniciando, vamos tentar resumir uma panorâmica do que está reservado para a Humanidade com a proximidade do fim do ‘tempo’.

Sim, literalmente o fim do ‘tempo’, este mecanismo, um programa instalado em nossas mentes que parte em pedacinhos as nossas horas e as deixa escorrer pelas mãos como água corrente. Divide nossa vida em antes e depois, e de passado em futuro nos mantem presos a uma enorme distância do único instante em que podemos, ser, viver, e existir.

O Agora. 

Estaremos prontos para viver sem o tempo a consumir as horas?

No eterno agora?

Com capacidade de acessar com facilidade qualquer ‘tempo’ que tenha existido? Ou que ainda vá existir? Não resista. A resistência é a causa da incompreensão da nova ‘formatação’ em que estamos imersos. Sim, já estamos no eterno agora. Já estamos no que ainda parece ser um ‘porvir’. Nossa percepção ainda não está completa pois estamos na parte de ‘ajustes’ que vai acomodar as novas ‘frequências’ que vamos ‘transportar’ e resultará na nova “humanidade”. Nem pense que isso não acontecerá com  você, só com ‘os outros’, pois todos já estamos ‘dentro’ dessa mudança.

Os efeitos que nos parecerão ‘cataclismicos’ podem ser a realidade para alguns, muitos até, e todos estes escolheram (mesmo que não estejam conscientes disso) estar exatamente onde existe um ‘potencial’ para os cataclismos (ou qualquer outro evento que consideramos ‘tragédia’) do mesmo modo que outros escolheram o potencial de estar onde não aconteça nada ( mesmo que não estejam conscientes disso). Mas, os efeitos da mudança será para todos.

Existem potencialidades estupendas, maravilhosas, que nos aguardam ao dobrar a esquina da vida, só esperando que possamos nos ‘dar conta’ da sua existência.

Não importa quando você vai ler esta página, será sempre AGORA!

Um Upgrade!

Estamos nos tornando seres galácticos, um upgrade, de seres humanos treinados e habituados a viver em 3 dimensões para nos tornar humanos galácticos  aptos a atuar num universo multidimensional sem perder as habilidades já adquiridas neste ‘tempo’ compreendido em alguns milhares de anos em que estivemos ‘treinando’ nossa experiência de existir em 3 dimensões.

Então, neste ano de 2011, que já passou da metade, esta página será dedicada aos artigos e links possam trazer um aporte informacional, para além da caixa de 3 dimensões que fomos habituados (treinados) a usar como fonte interpretativa. Permitam-se ler, mesmo que não compreendam, ou não aceitem, pois se você chegou até aqui é porque a leitura é justamente para você. Não ignore.  Mesmo que não entenda, não acredite ou sua mente fique emitindo julgamentos precipitados, LEIA.  Isso pode não fazer nenhum sentido para você, mas vai ser de muita utilidade quando o ‘tempo’ desaparecer de sua percepção e só lhe restar a experiência do eterno agora.

Anúncios

Uma resposta to “2011 – O “TOM” DO TEMPO”

  1. obrigada por la informasion eu no entendo totalmente mais eu sinto mai do que minha mente me deija obrigada mesmo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s