O REINO CRIATIVO.

O REINO CRIATIVO.

Nossa humanidade não existe para viver naturalmente,

sendo conduzida pelos instintos

e se deliciando com a espontaneidade

de tudo acontecer sem esforço.

Nossa humanidade é orientada por uma vocação criativa,

está aqui para inventar

e não há como negar esse destino,

tudo que existe neste planeta

e que a natureza não produziu por meio de seus mecanismos

fomos nós que inventamos.

Se o resultado foi bom ou ruim, isso é outra discussão.

Em primeiro lugar é necessário assumir

nossa posição criativa no Universo

para depois fazer os devidos ajustes

e posicionamentos de modo que o resultado seja benéfico

ao maior número possível de seres e reinos que vivem por aqui,

nos mundos visíveis e invisíveis.

Criar, inventar onda, fazer arte,

o potencial inerente de nossa espécie

rejeita a idéia de abandonar-se à natureza.

.

A aversão ao risco é a tentação promovida pelo medo de enfrentar as coisas como verdadeiramente são na atualidade. Como se poderia ter aversão ao risco quando se pisa em terreno absolutamente desconhecido?

.

A medida de segurança pretendida será difícil conquistar, mas isso não quer dizer que você deva continuar pisando em terreno movediço. As coisas serão mais seguras, mas você não deve ter isso como objetivo principal.

.

As necessidades alheias não são diferentes das suas e não há motivo de as pessoas competirem como se os recursos fossem acabar e a vida se resumisse a um processo animal. É hora de estabelecer laços de solidariedade.

.

Faça tudo com boa vontade, mas sem atropelar nada nem ninguém. Demonstrações de força serão contraproducentes. Por isso, o que tiver de fazer, você faça de forma planejada, com as melhores estratégias possíveis.

.

É oportuno rever os pontos de vista que até aqui serviram para você julgar o mundo e tomar decisões. A oportunidade está disponível justamente para que você continue fazendo isso com maior eficiência e tino.

.

A mente racional é um jardim de caminhos que se bifurcam em outros, que se bifurcam em outros… A razão não se destina a chegar a conclusões definitivas, tudo é temporário nela, sujeito a dúvidas e questionamentos.

.

De subidas e descidas é feito o caminho, que mais parece com montanha russa de parque nada divertido do que uma trilha bucólica neste planeta belo e assustado. É bom aventurar-se, inclusive porque não há outra saída.

.

O senso de familiaridade não se circunscreve aos laços de parentesco. Em muitos casos, sua alma pode se sentir muito mais familiar com pessoas que tecnicamente não sejam da família do que com aquelas que são.

.

Seus mais íntimos pensamentos e desejos definem a turma à qual você verdadeiramente pertence. Conscientemente você pode não buscar essa turma nem preferi-la, mas é a essa que seus passos orientam e atingem.

.

Celebrar a vitória de forma antecipada não seria nada sábio nas condições atuais. Tudo é temporário, nada criou raízes profundas o suficiente para se poder cantar vitória. Melhor manter a cabeça fria e a atitude prudente.

.

Recolha-se e intervenha só o mínimo indispensável. Talvez você note que o ânimo não estará tão para cima como em outros tempos. Não se preocupe, isso não é ruim, é apenas um movimento de necessário recolhimento.

.

As coisas simples do cotidiano encerram uma beleza que sua alma ainda não descobriu, mas que se tornou propício revelar. Por isso essas não apenas merecem sua atenção como também clamam por ela no momento atual.

.

.

Fonte: Quiroga..

.

Acompanhe Quiroga diretamente em seu blog  Boletins  Sincronia.

.

.

~ por arauto do futuro em agosto 23, 2011 terça-feira.

Uma resposta to “O REINO CRIATIVO.”

  1. Jabaculê da Mídia ignara

    As gentes não dizem mais nada
    Antes, o mundo era grande
    E a gente se ajudava.

    Haviam escritores e artistas
    A nos dizer como é que estava
    Hoje, sumiram todos
    Engolidos
    pela mídia ignara.

    Sumiram todos
    Atrás das contas
    De uma vida cara
    Sumiram para não serem mais vistos
    Sem deixar resquícios
    Em filas nunca imaginárias

    Sumiram para cuidar dos filhos
    Para não morrerem sozinhos
    E para terem um destino, quem sabe
    Atrás das muralhas
    E quem ficou
    ficou
    E não vale nada.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s