¿Y si Dios fuera mujer?

•maio 24, 2009 domingo • Deixe um comentário

¿

Y si Dios fuera mujer

?

¿Y si Dios fuera mujer?

pregunta Juan sin inmutarse,

vaya, vaya si Dios fuera mujer

es posible que agnósticos y ateos

lo dijéramos no con la cabeza

y dijéramos sí con las entrañas.

Tal vez nos acercáramos a su divina desnudez

para besar sus pies no de bronce,

su pubis no de piedra,

sus pechos no de mármol,

sus labios no de yeso.

Si Dios fuera mujer la abrazaríamos

para arrancarla de su lontananza

y no habría que jurar

hasta que la muerte nos separe

ya que sería inmortal por antonomasia

y en vez de transmitirnos SIDA o pánico

nos contagiaría su inmortalidad.

Si Dios fuera mujer no se instalaría

lejana en el reino de los cielos,

sino que nos aguardaría en el zaguán del infierno,

con sus brazos no cerrados,

su rosa no de plástico

y su amor no de ángeles.

Ay Dios mío, Dios mío

si hasta siempre y desde siempre

fueras una mujer

qué lindo escándalo sería,

qué venturosa, espléndida, imposible,

prodigiosa blasfemia.

Mario Benedetti

História das cidades

•maio 23, 2009 sábado • Deixe um comentário

Um filminho didático bem interessante, estilo a “A História das Coisas“, contando sobre a ‘história das cidades’.

Superadobe – “Bio Casas”

•maio 22, 2009 sexta-feira • 14 Comentários

“Bio Casas”

Vejam que soluções simplesmente incríveis para moradias eco-lógicas!

“É como um solavanco quando, ao dobrar uma esquina, você tropeça no Instituto Cal Earth.

“Bio Casas”

.:: por Marina Benjamin ::.
The Independent/Londres
Traduzido por Clarissa Pont

Dirigir pela empoeirada Hesperia, cidade no deserto da Califórnia, cansa o olhar. Se você descontar as montanhas de San Bernardino, que passam como uma cortina de fundo, não há nada além de quilômetros de arbustos e fileiras infindáveis de habitações de beira de estrada, todas na cor creme. É como um solavanco quando, ao dobrar uma esquina, você tropeça no Instituto Cal Earth .  Repentinamente, como um ponto de luz em um radar, formas orgânicas começam a pontuar o duro horizonte.

Os pontos são casas de tijolo de barro construídas pelo arquiteto iraniano Nader Khalili, usando o método que ele chama de superadobe. Elas se espalham em pequenos feixes entre as árvores, salpicando os sete acres e meio do Instituto. Estas cabanas de barro – e sua força, durabilidade e propriedades de empilhamento modular – são o assunto de um considerável interesse no momento. A cidade fundadora de Hesperia acaba de merecer o título de primeira colônia lunar do mundo.

Khalili está encantado. Ele espera por esse momento desde 1984, quando demonstrou os méritos da arquitetura de terra em um Simpósio da Nasa que discutiu bases lunares para o século 21. Enquanto todos os outros se empenhavam em trazer soluções fantásticas, como estranhas fusões de metais, plásticos super-maleáveis e a última tecnologia em fibra de carbono, esse pequeno e intenso homem exaltou as virtudes do solo. Foi a arquitetura seguindo uma filosofia de volta às raízes que capturou a imaginação
dos cientistas espaciais.

Ainda que o sonho de Khalili seja construir uma colônia com regolito – a subtância dura e empoeirada que cobre a superfície lunar –, ele já está contente de, por agora, experimentar com o solo rochoso de Mohave. Aliás, Mohave é o mais próximo que se pode chegar da lua, sem sair da Terra. Ali é possível experimentar as mesmas duras mudanças de temperatura: quente ao dia, gelado durante a madrugada e extremamente seco.

Mas o paralelo que mais interessa a Khalili é a similar escassez de material. “O aspecto diferente desta arquitetura é que ela usa nada além do solo sob seus pés”, ele explica, “então não há necessidade de transportes caros de materiais para a lua”. Ao lado de cada cabana de superadobe há um buraco no chão, uma prova bruta da construção escavada.

Superadobe é essencialmente uma técnica de empilhar sacos preenchidos com terra, para formar paredes, e posicionar arame farpado entre eles para reforçar. É barato (Mars I, o mais completo dos protótipos do Cal Earth custou $270), ambientalmente amigável e notavelmente for te. Quando a Prefeitura de Hesperia desenvolveu testes independentes nas estruturas em andamento para autorizar Khalili a construir o museu natural local, eles descobriram que uma única cabana envolta com cabos e ligada a dispositivos hidráulicos poderia suportar uma força equivalente a um caminhão cheio de concreto descendo um despenhadeiro.

Khalili fundou o InstitutoCal Earth em 1991 para promover a construção de casas seguras e baratas. Khalili e sua assistente britânica Iliona Outram (filha do arquiteto John Outram) agora ensinam técnicas de superadobe para estudantes do mundo todo. É provável que visitantes procurando por Khalili, agora com 60 anos, encontrem-no caminhando pelo terreno, com suas calças jeans de sempre e chapéu de lã branca. Vendo Khalili em seu aspecto quase místico e ouvindo-o celebrar a santidade da terra é difícil de acreditar
que ele já foi um especialista em arranha-céus.

A conversão de Khalili aconteceu em 1975, aos 37 anos. Sem nenhum aviso, ele vendeu seus escritórios em Teerã e Los Angeles, comprou uma motocicleta e partiu pelas distantes montanhas do Irã rural para estudar a arquitetura local. Ele viajou por cinco anos. “No meio do caminho da minha vida eu parei de competir com os outros. Eu escolhi meus sonhos e comecei uma caminhada humana”, é como Khalili descreve sua jornada em Racing Alone (algo como Correndo Sozinho), o livro que escreveu no retorno à
América. A partir de então, Khalili se focaria exclusivamente em habitação para os pobres.

Durante a expedição iraniana, ele não apenas aprendeu a habilidade de construir elegantes cavernas de barro: ele as melhorou. Descobriu que queimando essas construções tradicionais por três dias, efetivamente tranformando-as em fornos de calor escaldante, elas se tornavam impermeáveis a qualquer coisa que a natureza pudesse trazer, ondas de calor, tempestades de neve, efeito-estufa.

Khalili imediatamente reconheceu o potencial destas construções para receber
emergências, providenciando alívio instantâneo para centenas de pessoas que
ficaram sem casa devido a guerras, enchentes e desastres ambientais. Além disso,
ele continuou a procurar um método de construção ainda mais simples.

Foi aí que ele desenvolveu o superadobe. “Agora tudo que você precisa”, diz Khalili, “é jogar sacos vazios de um avião em uma zona de emergência e colocar um supervisor no solo para mostrar à comunidade local como construir”.

O United Nation’s Institute of Training and Research está premiando as idéias do Instituto Cal Earth, mas Nasserine Azimi, da Unitar, admite que é uma luta convencer as agências de amparo que o superadobe é uma técnica na qual vale a pena investir. “Muitas agências estão presas a um tipo de pensamento e não objetivam tentar algo novo”, argumenta ela. “Mas temos uma situação onde um bilhão de pessoas está em habitações temporárias e todos sabem que é ali que essas pessoas vão nascer e morrer. Com os métodos do Cal Earth é possível construir uma casa permanente por um pouco mais que o preço de uma tenda. E é uma construção sensível ao ambiente local, em termos de produção e aparência.”

Apesar das atrações óbvias, as aplicações práticas dos métodos de superadobe têm sido limitadas. Quarenta habitações criadas por Khalili foram construídas no Irã pelo Alto Comando para Refugiados das Nações Unidas depois da guerra entre Irã e Iraque, e criações em superadobe agora estão sendo utilizadas no Caribe, como parte dos esforços em realocar pessoas depois do Furacão Mitch, que devastou a área no final de 1998.

A Artecnica, uma empresa de arquitetura na Califórnia, está planejando duas vilas de superadobe na República Dominicana. Uma, como um resort de ecoturismo, irá pagar a construção da outra. Pelo menos este é o plano. Eles também estão propondo uma subsidiária caribenha doCal Earth , trabalhando com universidades locais, negócios e agências governamentais para desenvolver mais comunidades de superadobe. A Fundação Cecropia, um grupo ambiental mantido por Woody Harrelson, está fazendo coisas similares na Costa Rica.

A última mania de Khalili é usar a Internet para divulgar suas idéias. Assim, ele consegue ultrapassar problemas oficiais e a burocracia desnecessária, e se comunica diretamente com as pessoas.


Tendo localizado os mais fortes problemas de habitação no planeta, Khalili ensaiou na lua. “Estou interessado na lua como uma solução para a Terra”, ele diz. “É um plano limpo e eu gostaria de mantê-lo puro e sagrado e não contaminado pelo ferro e pela mistura de neblina e fumaça dos dejetos industriais. Eu quero mostrar que o que está lá é suficiente. A lua é um espelho de tudo que fazemos aqui”.

Ele entende bem os desafios especiais de construir na lua. Há o problema das partículas de radiação solar, que ele propõe resolver fazendo as paredes cinco metros mais grossas. Depois há o problema da gravidade. A força universal de Newton é seis vezes mais fraca na superfície lunar que na Terra. Essa diferença permite Khalili orçar habitações que são seis vezes maiores, mas isso também significa que a tensão no interior das estruturas individuais tem de ser seis vezes maior. A solução? Empilhar os sacos de areia de superadobe horizontalmente e usar sacos de velcro.

A sua técnica de superadobe é o modelo perfeito do que os arquitetos chamam de contrução sustentável. Em outras palavras, quase não tem nenhum custo ambiental. Apenas um rolo dos sacos de Khalili constrói um número de paredes suficiente para erguer 20 pequenas estruturas na lua. É isso, ele planeja preencher os sacos de areia com nada mais que pó lunar.

Khalili refere a si próprio como um “sonhador que passa adiante”. Como os melhores escritores de ficção científica, ele possui um talento para inovação que é quase compulsivo. Também como os melhores escritores, o que o move se origina não no longínquo cosmos inalcansável, mas bem perto de casa. “Minha missão”, ele diz, “é dar dignidade à terra, para que as pessoas do Terceiro Mundo, que a possuem sob os pés, não desistam de construir com ela”.

No final da área do Instituto, ao lado dos protótipos lunares, outro prédio está em construção. A forma da habitação ainda está muito parcial para entregar o jogo visualmente, mas vai em breve se transformar em uma casa de três quartos com garagem para dois carros. “O sonho americano em habitação”, diz Khalili.

A diferença é que essa casa está sendo construída em superadobe. A razão é clara: “Primeiro famílias americanas vão morar aqui, depois se pode financiar casas assim, depois vão começar a filmar novelas nessas casas. Somente aí, somente quando a América abraçar a arquitetura de terra é que o Terceiro Mundo terá orgulho do seu próprio patrimônio”.

Fonte: Folha Verde (cache do google)

Superadobe

Saiba mais sobre esta técnica de construção de baixo custo e baixo impacto ambiental! | 28/05/2007

A técnica do superadobe foi desenvolvida nos anos 80 pelo iraniano, radicado nos Estados Unidos, Nader Khalili. As paredes são erguidas simplesmente com sacos preenchidos com subsolo. As construções feitas com esta técnica são sólidas como uma rocha, podendo resistir até a terremotos. São, também, construções com grande isolamento térmico.

O superadobe é, talvez, a maneira mais simples de construir com terra, pois não é necessário fazer qualquer teste com o material, não é preciso peneirar a terra, nem moldá-la e nem acrescentar palha. As paredes são erguidas muito rapidamente, mas é preciso ter uma equipe de pelo menos cinco pessoas.

Cada um na equipe deve ter uma função específica.

Sistema construtivo

O superadobe necessita de ferramentas simples para sua execução:

– um pedaço de cano que servirá como funil (tubo de PVC de 250 mm é o ideal)

– pedaços de sacos de polipropileno (servem também sacos de adubo),

– soquetes

– arame farpado (colocado entre as camadas)

– baldes

– marretas de borracha para aprumar as fiadas.

O saco usado para erguer as paredes é um grande rolo de polipropileno (bobina) com aproximadamente 50 cm de largura. O rolo é cortado em pedaços do comprimento da parede a ser construída, deixando-se uma pequena sobra em cada ponta para fazer o acabamento.

Este grande saco vai sendo preenchido com terra, com a ajuda de um cano que funciona como um funil. Assim vão sendo formadas as “fiadas” (camadas) que depois são – bem – socadas, cobertas por outra fiada e assim sucessivamente, até a parede ser completamente erguida.


As camadas devem ser bem socadas. O soquete da foto acima foi improvisado com um cabo de enxada e uma lata de tinta.

Dicas da tecnologia

As paredes devem ser isoladas do contato com o chão, para evitar problemas com umidade. Como fazemos isso? Simples, utilizando o próprio superadobe, só que em lugar de terra usamos areia e cimento, na proporção 9/1, nas primeiras fiadas, até acima do nível do solo.

É muito importante que as fiadas sejam muito bem socadas. Quanto mais compactada, melhor será a sua parede. Sempre fique atento ao prumo!

As paredes de superadobe são estruturais, portanto dispensam a construção de pilares ou vigas, e permitem instalações elétricas e hidráulicas embutidas ou aparentes.

Após a remoção do saco, o recomendado é a utilização de um reboco natural.

Descubra TUDO sobre o superadobe: colocação de janelas, telhados, remoção adequada do saco, preparo do reboco, instalação elétrica e outras dicas, diretamente da fonte, participando do BioConstruindo 2007 – O primeiro e maior evento de construção natural da América Latina! Já em sua 7ª Edição!

Acesse o site do curso para mais informações:

BioConstruindo 2007

Veja a galeria de fotos de construções com superadobe realizadas pelo Ecocentro IPEC clicando aqui!


Repare que as primeiras camadas de casas utilizam cimento.

Ecocentro IPEC

Fonte: Ecocentro.org

2012 – Degelo

•maio 21, 2009 quinta-feira • 5 Comentários

atualização 24/05/2009

Desconfiados da notícia alarmista da mídia convencional , fomos olhar mais profundamente a questão do degelo, e eis que encontramos, que o google earth pode sofrer “alterações” e não mostrar bem a realidade, e  na metsul encontramos, uma outra visão, mais confiável , a nosso entendimento, e demonstra o quanto a mídia pode nos influenciar de acordo com seus interesses ou de quem paga horários nobres de propaganda… por fim, estamos de olho…

2012 – Degelo

Após o vídeo, repare e compare as imagens de satélite do final da notícia (dê um ‘pause’ +/-  em 1’15”) com a  imagem recente do google earth em 20/05/2009, do mesmo ângulo e local das imagens da notícia, reparem na camada de gelo existente…  Detalhe interessante da notícia é a data prevista para degelo total, convenhamos, nada criativa.

2009-maio-20arauto JN 2012 degelo  8 2009

Conjunção celeste, beleza no céu!

•maio 20, 2009 quarta-feira • Deixe um comentário

Beleza no céu…

Conjunção celeste é destaque nas próximas madrugadas

Editoria: Astronomia
Quarta-feira, 20 mai 2009 – 09h13

Fonte: Apolo11

Nem é preciso dizer que as conjunções planetárias são os espetáculos mais belos do firmamento. E se a Lua estiver presente o show ganha mais beleza ainda. E é isso que vai acontecer nos próximos dias, tornando as frias madrugadas muito mais interessantes e charmosas.

Nas próximas duas madrugadas (quinta-feira e sexta-feira) uma espetacular tripla conjunção celeste vai dominar o céu noturno do quadrante leste. Ali, juntos pela segunda vez no ano estarão presentes a Lua, Vênus e Marte, formando uma composição natural de encher os olhos de qualquer amante do céu. Se você é do tipo que gosta de acordar cedo (ou prefere dormir mais tarde), esse espetáculo foi feito pra você!

Na próxima madrugada o trio de astros estará aparentemente colado. Naturalmente, a aparente aproximação não significa que eles estejam de fato juntos. Muito pelo contrário. A Lua, agora em sua fase minguante, estará a 374 mil km de distância enquanto Vênus está a 86 milhões de quilômetros e Marte a 303 milhões de quilômetros. A figura abaixo ajuda a compreender melhor.

Apesar de bem longe, Marte brilha bem forte e reluz como uma estrela de 1.35 magnitudes. Apesar de bem visível, Marte é quase uma “estrelinha” quando comparado à Vênus, que brilha tanto quanto um farol de magnitude -4.32, cerca de 100 vezes mais forte que o planeta vermelho.

Na sexta-feira a conjunção continua, mas com a Lua bem mais abaixo e praticamente invisível, já que a fase nova está quase chegando.

Vendo o Espetáculo
Para ver a conjunção não será preciso nenhum equipamento especial. É só olhar no quadrante leste, aquele em que o Sol nasce, a partir das 04h00. O show celeste poderá ser apreciado até que os primeiros raios de Sol ofusquem o brilho dos planetas, mas Vênus e Lua ainda poderão ser vistos mesmo após o dia clarear.

Como as noites e início da manhã têm sido bastante frios, não se esqueça de sair agasalhado. De resto é só curtir o que a natureza nos deu. Bons céus!


Artes: No topo, carta celeste mostra a posição dos planetas na madrugada do dia 21 de maio, às 05h00. Na sequência, gráfico mostra a posição dos astros dentro de suas órbitas nesta mesma data. A linha verde é o campo de visada de um observador na Terra. Crédito: Apolo11.com

Agroglífos 2009

•maio 19, 2009 terça-feira • 1 Comentário

*

Agroglífos 2009

Mais um ano, e os campos ingleses recomeçam a temporada da colheita de enigmáticas imagens, mensagens sem assinatura de autoria…

uk2009ai.jpg

uk2009al.jpg

Aqui uma galeria com o histórico fotográfico dos agroglífos  entre 1990 até as recentemente encontradas em abril e maio 2009

Lucy Pringle's Crop Circle Photograph Library
Leia o que já publicamos sobre:

Esqueça…

•maio 18, 2009 segunda-feira • 1 Comentário

052txt

Gripes “Influenza” ‘A’ do Medo, Lucro e Manipulação

•maio 17, 2009 domingo • Deixe um comentário

Gripes “influenza”

A

do Medo, Lucro e Manipulação

Está contaminado? Uma ‘dose’ de entendimento! Não há melhor ‘medicamento’ que  informação, nem mais poderosa ‘vacina’ que conhecimento da verdade…

.160520092217Foto: Arauto do Futuro 16-05-2009

“Depois do terrorismo e da crise econômica, um problema de saúde espalha o temor na sociedade. O alerta se justifica; o alarme não. A inquietação da população pode ser manipulada politicamente

O medo é livre, mas também contagioso. E se há algo mais veloz que um vírus em fase de expansão é a propagação do pânico, como acaba de demonstrar o recente alerta de pandemia pelo vírus da gripe H1N1.”

“Apesar da manipulação da informação por parte de autoridades e da indústria, não se pode ocultar que o atual vírus da gripe suína (agora assepticamente chamado de influenza A/H1N1) tem sua origem na produção industrial de animais

As autoridades conheciam a ameaça de pandemia, porém não deram importância aos avisos de instituições científicas e organizações sociais para não interferir nos interesses econômicos da grande industria alimentar agrícola e pecuária e das transnacionais farmacêuticas e de biotecnologia que lucram com as enfermidades.”

“A compreensão da história evolutiva dos diferentes grupos de vírus é vital para que possamos entender a sua epidemiologia e desenvolver estratégias eficazes para o combate de uma série de doenças humanas.

Alguns vírus têm profundo efeito sobre a história da humanidade, enquanto outros têm impacto marcante e atual sobre a saúde pública. Compreender a evolução dos vírus e dos meios pelos quais eles obtiveram sua diversidade genética atual pode nos auxiliar a entender esses efeitos.”

“Com as epidemias, são as transnacionais as que mais lucram: as empresas biotecnológicas e farmacêuticas que monopolizam as vacinas e os antivirais. A afirmação é de Silvia Ribeiro, pesquisadora do grupo ECT em artigo publicado no jornal mexicano La Jornada, 30-04-2009. Segundo a pesquisadora a gripe suína é parte de uma crise maior e tem as suas raízes no sistema de criação industrial de animais, dominado por grandes empresas transnacionais.

Eis o artigo:”

“A gripe suína, novo tipo de influenza que contaminou pelo menos 1.085 pessoas no mundo, não é mais letal do que a gripe tradicional nem parece ter maior potencial para contágio, afirmou nesta segunda-feira (4) o epidemiologista responsável pelo centro de alerta sanitário mexicano, Miguel Angel Lezana.”

Os artigos acima, publicados no Portal EcoDebate dão clara dimensão do que está acontecendo, e para complementar e confirmar o que escrevemos lá no ínicio desta ‘pandemia’ do medo, lucro e manipulação.

“Imprensa mundial estaria sendo manipulada

Jean Ziegler, ex-relator especial da ONU, considera desproporcionais os alertas da OMS para os riscos da gripe suína. Doença matou algumas dezenas de pessoas, enquanto 100 mil morrem de fome a cada dia, critica.”

Onde e o que já publicamos sobre:

Não há maior Poder que a Verdade, mesmo quando não encontrar apoio no poder da autoridade.

Os ‘Reis* estão nús’ e ainda não contaram para eles…

* mídia, governos, farmacêuticas, alimentícias, sistemas capitalistas, usurário, econômicos, financeiros…

sobre sonhos e visões

•maio 16, 2009 sábado • 1 Comentário

sobre sonhos e visões


130520092110

Foto: Arauto do Futuro 13/05/2009

Tecendo visões, sonhando inspirações, algumas considerações  interessantes, de alguns livros, para refletir…
“A Teia dos Sonhos é criada por um fluxo divino de consciência e de força vital, e também pelas coisas não-físicas que os seres humanos criam, como sentimentos, pensamentos, inspiração, opiniões, julgamentos, imaginação, sonhos, aspirações, intenções e criatividade pura. Todos estes elementos contêm energia, mas nós não os vemos como objetos físicos. Percebemos estes apenas quando os experimentamos em nós mesmos; só então se tornam reais para nós. Poucos dentre nós, entretanto, entendem que as energias invisíveis criadas pelos seres humanos criam redes mentais, emocionais e espirituais de força vital, que interagem e influenciam toda a dimensão física.

A Teia dos Sonhos é a rede de todas as energias criativas humanas que interage com a força vital contida em cada átomo da criação e abrange todas as coisas do nosso universo. Antes que essa rede de energia assuma características ou forma física, ela é criada por nossos sentimentos, pensamentos e pontos de vista, que estão repletos de energia.
Cada vez que agimos, ou reagimos a algo que acontece em nossas vidas, um pensamento, sentimento, ponto de vista ou julgamento está presente. Estes pensamentos possuem força vital própria e influenciam diretamente a forma como vivemos.
Quando mudamos nossa forma de pensar, sentir, ou as opiniões que temos, nossa experiência de vida também se modifica.
A Teia dos Sonhos reage às mudanças que fazemos em nós mesmos e nos oferece novas oportunidades a cada vez que abrimos a percepção para novas possibilidades, alterando os hábitos que nos mantinham presos a rotinas fechadas.
(…) Para se atingir qualquer meta na vida, é preciso ter energia, mas poucas pessoas compreendem que desperdiçam energia cada vez que se preocupam, que geram pensamentos negativos, ou tagarelam inutilmente. As pessoas não perceberam ainda que podem mover esta energia e apanhá-la, quando necessitam, da Mãe Terra, do Criador e do Universo.
(…) A maioria das pessoas não percebe que está sempre dirigindo seus pensamentos e sentimentos para o resto do mundo.
(…) Apesar de termos consciência daquilo que pensamos e sentimos sobre determinados assuntos, geralmente não sabemos que nossas opiniões criam padrões que nos envolvem e interferem em nossas experiências de vida. Nós carregamos cestas com fardos invisíveis, criados pelas nossas limitações, nossos pensamentos negativos, nossas feridas emocionais. Algumas vezes, através do sonho, podemos desenrolar estes padrões de medo, ou os fios de nossas limitações. Muitas pessoas acham que não conseguem se lembrar dos sonhos. Estas pessoas não têm memória da criação subconsciente, ou do processo de desenredamento, mas ele está ocorrendo da mesma maneira. Nós habitualmente resolvemos muitos problemas durante o sono.

As decisões que tomamos em nossas vidas cotidianas são diretamente influenciadas pelas opções feitas durante o sono e o sonho. (…) Por meio de uma decisão consciente, nós alteramos a Teia dos Sonhos, ao reconfigurarmos nossas intenções.

(…) Até que a vida nos desperte, não costumamos ter consciência dos padrões que tecemos nos mundos invisíveis, nem dos estados de consciência que encontramos ao sonhar.
SAMS, Jamie. Dançando o Sonho. Ed. Rocco, pgs.26-29
…………………………………………………………………………………………………….
“Os senois acreditavam que cada pessoa deve tentar `dominar’ seu próprio universo espiritual sonhado, cedendo e recebendo a colaboração de todos os personagens e forças que fazem parte deste universo.

Os personagens e as forças SÃO reais… Cultivavam como maior bem da sua cultura, os sonhos, todos eram incentivados a sonhar, cada manhã o grupo familiar comenta e analisa os sonhos da noite anterior, sonhos,a s músicas ou ensinamentos variados que recebiam enquanto sonhavam.
As crianças são instruídas e estimuladas em suas vidas oníricas do mesmo modo que na vida durante estado de vigília.
Quando uma criança senoi conta um sonho em que se sentiu caindo, o adulto responde com entusiasmo:
…. « este sonho é maravilhoso, um dos melhores sonhos que se pode ter! Onde caías? O que descobristes?(…)
Deves ficar tranqüilo quando cais em um sonho. Cair é a forma mais rápida de entrar em contato com os poderes do mundo do espírito(…)
Assim quando sonhas que caís recordarás disto que te digo e sentiras que viajas em direção à fonte do poder que te fez cair.»”

( ediciones Del prado – coleção mitos, deuses e mistérios – sonhos e visões – pg 11)

ARRISCAR É VIVER

•maio 15, 2009 sexta-feira • 1 Comentário

ARRISCAR É VIVER

Rir é arriscar-se a parecer louco.

Chorar é arriscar-se a parecer sentimental.

Estender a mão é arriscar-se a se envolver.

Expor seus sentimentos é arriscar-se a expor o seu eu verdadeiro.

Expor suas idéias e sonhos em público é arriscar-se a perder.

Viver é arriscar-se a morrer.

Ter esperança é arriscar-se a sofrer decepção.

Tentar é arriscar-se a falhar.

Mas…é preciso correr riscos.

Porque o maior azar da vida é não arriscar nada…

Pessoas que não arriscam, que nada fazem, nada são.

Podem estar evitando o sofrimento e a tristeza.

Mas, assim não podem aprender, sentir, crescer, mudar, amar,

viver…

Acorrentadas às suas atitudes, são escravas,

abrem mão da sua liberdade.

Só a pessoa que arrisca é livre…

Arriscar-se é perder o pé por algum tempo.

Não se arriscar é perder a vida…

 Søren Kierkegaard - Wikipédia

Soluções para telefonemas chatos

•maio 14, 2009 quinta-feira • Deixe um comentário

Em visita a um blog O lado B da vida encontrei estas soluções interessantes,  se você já solicitou a retirada de seu número de telefone da lista telefônica, solicitou o fim das ligações de telemarketing,  mas não sabe porque ainda conseguem te encontrar, HAJA PACIÊNCIA!!!, têm aqui algumas:

SOLUÇÕES PARA TELEFONEMAS CHATOS

do blog: O lado B da vida


telefone 1) Quando o telefonista te perguntar “como está?” responde: “Estou tão feliz que você esteja a perguntar-me isso! Hoje em dia ninguém se preocupa comigo e preciso tanto de conversar com alguém… A minha artrite telefoneestá matar-me e meu cão acabou de morrer. E o pior, é o meu médico que me disse…”

2) Diz ao telefonista para falar MUITO devagar porque estás a escrever tudo o que ela está a dizer.

3) Quando o telefonista disser: “Bom dia, meu nome é Francisco da empresa X”, pede-lhe para soletrar o nome e apelido, e o nome da empresa. Faz com que ele repita. Pergunta o endereço, pede-lhe para soletrar o nome da rua. E faz com qu repita novamente.

Pede-lhe o nome do chefe dele, o número de contribuinte, etc… Faz pausas longas como se estivesses a escrever tudo num papel.

Continua a fazer perguntas pelo tempo que for necessário.

4) Quando a pessoa se apresentar (ex: “eu sou Júlia”), dá um grito: “Júlia? Oh meu Deus! És mesmo tu?! Há tanto tempo que não tenho notícias tuas! Para onde foste depois do secundário? Não te lembras de mim?”

5) Se uma empresa de telefones ligar para oferecer descontos nas chamadas, responde com voz sinistra: “Não tenho amigos. Ninguém quer ser meu amigo. Ninguém quer falar comigo. Queres ser meu amigo? Eu podia ligar para ti… Qual é teu número?”

6) Se ligarem dum banco para oferecerem um cartão de crédito, responde que a oferta caiu do céu, acabaste de pedir um emprestimo e estás com um monte de dívidas, e agora com o cartão novo finalmente vais poder fazer as compras no supermercado.

7) Diz que estás em liberdade condicional, num programa de reabilitação social para criminosos violentos e que precisas de pedir autorização à assistente social.

8) Depois de ter ouvido tudo o que a telefonista tem a dizer, pede-a em casamento, porque só dás o teu número de cartão de crédito à sua esposa.

9) Diz ao telefonista: “Nem tentes, André, eu já reconheci a tua voz! Essa brincadeira é boa, mas agora não tem mais graça. E como vai a tia Joana?” Não importa o que o telefonista disser, repete sempre: “Pára com isso, André, ainda não percebes-te que eu já te reconheci?”

Por ultimo, utiliza a Manobra Seinfeld:
10) Diz ao telefonista que estás muito ocupado no momento, mas que te dê o número particular que tu irás ligar mais tarde. A pessoa evidentemente não vai querer dar o número. Responde então: “Ah, então não quer ser importunado na sua casa?…Eu também não!

O desaparecimento do véu

•maio 13, 2009 quarta-feira • Deixe um comentário

O DESAPARECIMENTO DO VÉU


Enquanto isso, aqui na Terra nossa humanidade ignora o que se processa no Universo, mas isso não a poupa de sentir os efeitos. Até aqui, nossa consciência trabalhou neste planeta tendo um véu de ilusão separando a realidade material daquela que comumente se chama de astral, a que visitamos quando vamos dormir. A existência deste véu sustenta a mentira que estrutura nossa civilização. Como este véu está desaparecendo, os métodos consagrados de nossa civilização não dão mais os mesmos resultados. Individualmente há efeitos sensíveis também, pois nossos corpos, mentes e emoções precisam se ajustar a uma nova versão da realidade, uma desprovida de mentira e de ilusões, algo impensável para a existência que levamos até aqui.

Labels:

Fonte: Saúde Perfeita

Flor de Lótus

•maio 12, 2009 terça-feira • 5 Comentários

https://i0.wp.com/homepage.oniduo.pt/rrodrigues/horoscopo_flores/flor_de_lotus.jpg

Uma Lenda

Certo dia, à margem de um tranqüilo lago solitário, a cuja margem se erguiam frondosas árvores com perfumosas flores de mil cores, e coalhadas de ninhos onde aves canoras chilreavam, encontraram-se quatro elementos irmãos: o fogo, o ar, a água e a terra.

– Quanto tempo sem nos vermos em nossa nudez primitiva – disse o fogo cheio de entusiasmo, como é de sua natureza.

– É verdade – disse o ar. – É um destino bem curioso o nosso. À custa de tanto nos prestarmos para construir formas e mais formas, tornamo-nos escravos de nossa obra e perdemos nossa liberdade.

– Não te queixes – disse a água – pois estamos obedecendo à Lei, e é um Divino Prazer servir à Criação. Por outro lado, não perdemos nossa liberdade; tu corres de um lado para outro, à tua vontade; o irmão fogo, entra e sai por toda parte servindo a vida e a morte. Eu faço o mesmo.

– Em todo o caso, sou eu quem deveria me queixar – disse a terra – pois estou sempre imóvel, e mesmo sem minha vontade, dou voltas e mais voltas, sem descansar no mesmo espaço.

– Não entristeçais minha felicidade ao ver-nos – tornou a dizer o fogo – com discussões supérfluas. É melhor festejarmos estes momentos em que nos encontrarmos fora da forma. Regozijemo-nos à sombra destas árvores e à margem deste lago formado pela nossa união.

Todos o aplaudiram e se entregaram ao mais feliz companheirismo. Cada um contou o que havia feito durante sua longa ausência, as maravilhas que tinham construído e destruído. Cada um se orgulhou de se haver prestado para que a Vida se manifestasse através de formas sempre mais belas e mais perfeitas. E mais se regozijaram, pensando na multidão de vezes que se uniram fragmentariamente para o seu trabalho. Em meio de tão grande alegria, existia uma nuvem: o homem. Ah! Como ele era ingrato. Haviam-no construído com seus mais perfeitos e puros materiais, e o homem abusava deles, perdendo-os. Tiveram desejo de retirar sua cooperação e privá-lo de realizar suas experiências no plano físico.

Porém a nuvem dissipou-se e a alegria voltou a reinar entre os quatro irmãos. Aproximando-se o momento de se separarem, pensaram em deixar uma recordação que perpetuasse através das idades a felicidade de seu encontro. Resolveram criar alguma coisa especial que, composta de fragmentos de cada um deles harmonicamente combinados, fosse também a expressão de suas diferenças e independência, e servisse de símbolo e exemplo para o homem. Houve muitos projetos que foram abandonados por serem incompletos e insuficientes. Por fim, refletindo-se no lago, os quatro disseram:

– E se construíssemos uma planta cujas raízes estivessem no fundo do lago, a haste na água e as folhas e flores fora dela? – A idéia pareceu digna de experiência.

– Eu porei as melhores forças de minhas entranhas – disse a terra – e alimentarei suas raízes.

– Eu porei as melhores linfas de meus seios – disse a água – e farei crescer sua haste.

– Eu porei minhas melhores brisas – disse o ar – e tonificarei a planta.

– Eu porei todo o meu calor – disse o fogo – para dar às suas corolas as mais formosas cores.

Dito e feito. Os quatro irmãos começaram a sua obra. Fibra sobre fibra foram construídas as raízes, a haste, as folhas e as flores. O sol abençoou-a e a planta deu entrada na flora regional, saudada como rainha. Quando os quatro elementos se separaram, a Flor de Lótus brilhava no lago em sua beleza imaculada, e servia para o homem como símbolo da pureza e perfeição humana. Consultaram-se os astros, e foi fixada a data de 8 de maio – quando a Terra está sob a influência da Constelação de Taurus, símbolo do Poder Criador – para a comemoração que desde épocas remotas se tem perpetuado através das idades. Foi espalhada esta comemoração por todos os países do Ocidente, e, em 1948, o dia 8 de Maio se tomou também o “Dia da Paz”.

——–

Lenda Budista.

A flor-de-lótus (Nelumbo nucifera), também conhecida como lótus-egípcio, lótus-sagrado e lótus-da-índia, é uma planta da família das ninfáceas (mesma família da vitória-régia) nativa do sudeste da Ásia (Japão, Filipinas e Índia, principalmente).

Olhada com respeito e veneração pelos povos orientais, ela é freqüentemente associada a Buda, por representar a pureza emergindo imaculada de águas lodosas. No Japão, por exemplo, esta flor é tão admirada que, quando chega a primavera, o povo costuma ir aos lagos para ver o botão se transformando em flor.

Lótus é o símbolo da expansão espiritual, do sagrado, do puro.
A lenda budista nos relata que quando Siddhartha, que mais tarde se tornaria o Buda, tocou o solo e fez seus primeiros sete passos, sete flores de lótus cresceram. Assim, cada passo do Bodhisattva é um ato de expansão espiritual. Os Budas em meditação são representados sentados sobre flores de lótus, e a expansão da visão espiritual na meditação (dhyana) está simbolizada pelas flores de lótus completamente abertas, cujos centros e pétalas suportam imagens, atributos ou mantras de vários Budas e Boddhisattvas, de acordo com sua posição relativa e relação mútua.

Do mesmo modo, os centros da consciência no corpo humano (chacras) estão representados como flores de lótus, cujas cores correspondem ao seu caráter individual, enquanto o número de suas pétalas corresponde às suas funções.

O significado original deste simbolismo pode ser visto pela semelhança seguinte: Tal como a flor do lótus cresce da escuridão do lodo para a superfície da água, abrindo suas flores somente após ter-se erguido além da superfície, ficando imaculada de ambos, terra e água, que a nutriram – do mesmo modo a mente, nascida no corpo humano, expande suas verdadeiras qualidades (pétalas) após ter-se erguido dos fluidos turvos da paixão e da ignorância, e transforma o poder tenebroso da profundidade no puro néctar radiante da consciência Iluminada (bidhicitta), a incomparável jóia (mani) na flor de lótus (padma). Assim, o arahant (santo) cresce além deste mundo e o ultrapassa. Apesar de suas raízes estarem na profundidade sombria deste mundo, sua cabeça está erguida na totalidade da luz. Ele é a síntese viva do mais profundo e do mais elevado, da escuridão e da luz, do material e do imaterial, das limitações da individualidade e da universalidade ilimitada, do formado e do sem forma, do Samsara e do Nirvana.

Se o impulso para a luz não estivesse adormecido na semente profundamente escondida na escuridão da terra, o lótus não poderia se voltar em direção à luz. Se o impulso para uma maior consciência e conhecimento não estivesse adormecido mesmo no estado da mais profunda ignorância, nem mesmo num estado de completa inconsciência um Iluminado nunca poderia se erguer da escuridão do Samsara.

A semente da Iluminação está sempre presente no mundo, e do mesmo modo como os Budas surgiram nos ciclos passados do mundo, também os Iluminados surgem no presente ciclo e poderão surgir em futuros ciclos, enquanto houver condições adequadas para vida orgânica e consciente.

A semente de Lótus pode ficar mais 5.000 anos sem água, somente esperando a condição ideal de umidade pra germinar. Ela nasce na lama e só se abre quando atinge a superfície, onde só então mostra suas luminosas e imaculadas pétalas, que são autolimpantes, isto é, têm a propriedade de repelir microrganismos e poeiras. É também a única planta que regula seu calor interno, mantendo-o por volta de 35º, a mesma temperatura do corpo humano. O botão da flor tem a forma de um coração, e suas pétalas não caem quando a flor morre, apenas secam.

http://www.viacapella.com.br/portal/lotus.htm

Flor de Lótus

mais que uma planta, um símbolo sagrado

Por Antonio Senhorinho Monteiro

“Lótus, planta aquática da família das ninfeáceas. É conhecida também por lótus-egípcio, lótus-sagrado ou lótus-da-índia e é nativa do sudeste da Ásia, mormente Japão, Filipinas e Índia. Possui flores brancas e em geral é cultivada com fins de ornamentação. A espécie foi empregada pelos antigos na fabricação de pão e uma espécie de bebida. Segundo estudiosos, servia como alimento ao povo da Líbia. De acordo com algumas lendas gregas seu suco teria a propriedade de gerar nos estrangeiros a vontade de permanecer na terra e não regressar. Na África setentrional existia um povo que se alimentava desta planta. É identificada em nossa cultura brasileira como vitória-régia (também da família das Ninfáceas) nativa das regiões amazonenses. Algumas espécies florescem na região do Mato Grosso e nas Guianas.

A planta cobre as planícies alagadas do oriente do Egito à China e é uma paixão asiática cultivada desde tempos remotos. É venerada em todo o mundo por milhões de pessoas que a consideram o símbolo máximo da pureza espiritual. Chegou ao ocidente no século IV antes de Cristo. Presenteados pelos egípcios, foram os gregos os primeiros a conhecê-la. A flor espalhou-se pelo restante da Europa, onde foi apreciada por sua beleza, particularmente pelos pintores. A história conta que certos povos da América Central já a conheciam. Sacerdotes do México, por exemplo, embriagavam-se com o efeito alucinógeno produzido por um extrato da planta pouco antes dos primeiros espanhóis pisarem na América. No Brasil, o lótus foi trazido pelos japoneses no século de XX.

Mas a fama da flor de lótus transcende o âmbito espiritual e seu fascínio atinge também os estudiosos da botânica. Há muito tempo que estes especialistas tentam desvendar alguns enigmas que a planta segreda. Pesquisadores da universidade de Adelaide na Austrália, por exemplo, estudam uma estranha característica da flor: assim como os seres humanos, ela é capaz de manter sua temperatura em torno de 35 graus. Esse sistema de auto-regulação de calor, compreensível em organismos complexos, como ocorre com os mamíferos, continua inexplicável para a ciência.

Ainda outros cientistas do instituto botânico da universidade de Bonn, na Alemanha, estudam outra curiosidade do lótus: suas folhas são auto-limpantes, isto é, têm a propriedade de repelir microrganismos e poeiras. Devido a isto consideram-na potencialmente útil para ser aplicada na limpeza doméstica e afins.

Entretanto, apesar de sua unânime beleza, sua utilidade polivalente – especialmente na esfera medicinal, das curiosidades que suscita, e das lendas que inspirou, indubitavelmente sua representatividade destaca-se no plano metafísico.

O Mantra do Lótus

É isso mesmo, o lótus possui um cântico sagrado!

Imagine a cena: a fumaça do incenso envolve como nuvem os monges budistas do templo Doi Suthep, construído no século XIV nos arredores da cidade de Ching Mai, no norte da Tailândia. Como é corriqueiro, ao amanhecer eles estão lavando as mãos nos botões rosados da flor de lótus espalhando um perfume suave no ar. Com a voz grave ritualmente os monges começam a murmurar o mani padami, um dos principais mantras do budismo – originário do antigo idioma sânscrito. A frase exaustivamente repetida significa: “Ó jóia preciosa do lótus”. Terminado o ritual eles depositam uma quantidade tão grande de lótus sobre os pés de Buda que quase soterram a imagem sagrada.

Esse cenário religioso permeia milhões de pessoas de vários países asiáticos que igualmente crêem que o mantra do lótus tem a capacidade de transformar as pessoas em seres puros e iluminados, como o próprio Buda. As palavras sagradas deste canto estão gravadas nas bandeiras, nos sinos que alertam para as cerimônias, em artigos como anéis e pulseiras, nos enormes moinhos de orações que são girados nos templos pelos toques das mãos dos fiéis etc. Destarte, o “aroma” do lótus impregna o Tibete, Tailândia, Índia, Butão, Indonésia, China e é raro encontrar um país da Ásia onde o lótus não seja considerado sagrado.

O Lótus no Budismo

Nas pinturas tibetanas linhagens de budas e homens santos aparecem flutuando sobre flores de lótus – uma representação dos tronos da suprema espiritualidade. Nas escrituras budistas, no Tibete, conta-se que milagrosamente o pequeno Buda já podia andar ao nascer e que a cada passo que a criança “iluminada” dava, brotavam-lhe flores de lótus de suas pegadas – uma das assinaturas de sua origem divina. Hoje muitos monges e fiéis dessa religião visualizam esta mesma cena enquanto caminham, imaginando que flores de lótus surgem debaixo de seus pés. Com esta prática acreditam estarem espalhando o amor e a compaixão de Buda simbolizados pela flor.

O Budismo afirma que Sidarta Gautama (nome histórico de Buda), possui olhos de lótus, pés de lótus e coxas de lótus. O Guru que introduziu o budismo no Tibete é denominado Padmasambhava, que significa aquele que nasceu do lótus.

O Lótus no Hinduísmo

Na Índia a planta está relacionada com a criação do mundo. De acordo com as escrituras indianas foi do umbigo de Deus Vishnu que teria nascido uma brilhante flor de lótus e desta teria surgido outra divindade, isto é, Brahma, o criador do cosmo.

Nas gravuras indianas deuses costumam aparecer em pé ou sentado sobre a flor. Isso ocorre com as representações do deus elefante, Ganexa de Lakshmi – a deusa da prosperidade e de Seiva – o destruidor. Também existe a crença de que o conhecimento espiritual supremo é comparado ao florescimento de uma flor de lótus na cabeça.

O lótus também é essencial para a prática da ioga. Assim como não se pode conceber hinduísmo sem ioga, não se pode conceber ioga sem o lótus. A ioga é prática basilar do compêndio doutrinário hindu e “representa o caminho seguido para se perceber o Deus interior”. Desenvolve-se por meio de práticas avançadas de meditação que requerem a observância de uma posição específica do corpo, mormente a posição sentada que é denominada “Padmasana” ou “Postura de Lótus” na qual os pés são colocados sobre as coxas do lado oposto. Acreditam que a posição do lótus “propicia” o aumento da consciência interna e induz a calma profunda se o praticante associar à postura a filosofia da ioga adequadamente.

Pegando uma “carona” nas crenças hindus, os esotéricos não deixam de dar a sua contribuição com uma parcela de significados “espiritualistas” à flor. Estes crêem que a flor vista de cima infere uma idéia de interiorização, introspecção e centralização, vista de perfil alude a postura de um iogue sentado com um raio de luz emanando dele.

O Lótus na Mitologia Egípcia

No interior das pirâmides e nos antigos palácios do Egito o lótus também é representado como planta sagrada pertencente ao mundo dos deuses. A exemplo da crença indiana sua flor testemunha a criação do universo. Um dos mais interessantes relatos da mitologia egípcia sobre a origem de nosso planeta conta que num tempo muito distante, quando o universo ainda não existia, um cálice de lótus com as pétalas fechadas flutuava nas trevas, um relato que faz lembrar a declaração bíblica que diz: “E a terra era sem forma e vazia; e havia trevas sobre a face do abismo; e o Espírito de Deus se movia sobre a face das águas” (Gn 1.2, grifo do autor). Entediada com o vazio, a flor pediu ao deus-Sol Rá (uma divindade andrógina, simultaneamente masculina e feminina) que criasse o universo. Tendo criado, a flor agradecida pelo desejo realizado passou a abrigar o deus-Sol em suas pétalas durante a noite de onde ele sai ao amanhecer para iluminar a sua criação.

O Lótus e o Sexualismo Chinês

Já os chineses tinham uma outra interpretação um tanto quanto exótica. Associavam a flor ao órgão genital feminino.

Segundo informam os pesquisadores franceses Jean Chevalier e Alain Cherbrant no livro dicionário de símbolos, na China antiga não havia elogio melhor para uma cortesã do que ser chamada de “lótus de ouro”. Explica-se assim porque entre os chineses a planta é associada ao nascimento e a criação. Mesmo assim o lótus não deixa de contribuir religiosamente para a tradição religiosa daquele país. A deusa do amor e da compaixão Kuan Yin – a mais venerada entre as divindades chinesas femininas, é representada com flores de lótus ainda fechadas nas mãos e nos pés. Como o botão da flor tem o formato de coração, os fiéis acreditam que a planta teria o dom de aflorar os sentimentos amorosos. Os chineses acrescentam ainda outras qualidades preciosas à lótus. Segundo eles, a haste dura simboliza a firmeza, a opulência de sementes estaria relacionada a fertilidade e prosperidade, as folhas – como nascem juntas – indicariam felicidade conjugal. O passado, presente e o futuro também estão simbolizados respectivamente pela flor seca, pela aberta e pela semente que irá germinar.

Além de tudo, segundo a medicina chinesa, a planta é consumida principalmente como chá por possuir qualidades terapêuticas que vão desde a cura de doenças renais e pulmonares até o combate do estresse e insônia.

Práticas Antibíblicas que Envolvem o Lótus

Como ficou demonstrado nesta matéria, para alguns a flor de lótus é muito mais que uma simples planta, é um símbolo sagrado. É freqüentemente associada às divindades orientais e conseqüentemente é do mesmo modo reverenciada como sendo inerente ao “divino”. Entretanto, obviamente, os cristãos não devem nutrir qualquer espécie de repulsa pela flor, mesmo porque isso seria ilógico diante do relativismo de significados nela contidos. Apenas temos de enquadrá-la na sua verdadeira posição. Ao contrário da crença hindu e egípcia a única parte cabível à lótus na verdadeira criação divina deu-se quando Deus criou toda a flora no terceiro dia da criação, “Então disse Deus: cubra-se a terra de vegetação: plantas [entre elas a lótus] que dêem sementes […] E assim foi” (Gn 1.11). Nada além disso!

Atribuir qualquer espécie de poder espiritual a objetos inanimados é uma forma de animismo. O lótus não tem o poder de “transformar as pessoas em seres puros e iluminados” e suas associações com as “pegadas do pequeno Buda”, o umbigo de Vishnu e outros absurdos não passam de folclore religioso.

A ioga e o mantra também são claramente condenados pela Bíblia. Se o Senhor censurou a utilização de palavras vazias e repetitivas nas orações que supostamente eram dirigidas a ele (Mt 6.7), o que dizer quando tais cânticos são oferecidos a uma planta: “Ó jóia preciosa do lótus”?!

Quanto aos praticantes da ioga, estão se colocando cada vez mais sob a influência de Satanás. Na Índia, um iogue é tido como um mahsiddha, ou seja, um bruxo e a prática da ioga desde a antiguidade está relacionada a poderes ocultos e mágicos. É impossível conceber a recepção das “forças do universo” por meio de meditação e exercícios físicos. A Bíblia nos admoesta acerca da saudável meditação: “Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai” (maiores informações sobre ioga, consultar Defesa da Fé nº37 – Ioga: ginástica, terapia ou religião).

Como vemos, infelizmente a maior parte da proeminência do lótus está relacionada a práticas antibíblicas. Embora para muitos o lótus seja um símbolo sagrado, na realidade, em sua essência, não é mais que uma simples planta! “

http://www.cacp.org.br/flor-de-lotus.htm

Flor de Lótus (Nelumbo nucifera)

Origem: Sudeste da Ásia
Família: Ninfeáceas
Porte: cerca de 50 cm acima da água
Período de floração: primavera e início do verão
Flores: Produz flores brancas, cor-de-rosa ou brancas com as bordas rosadas.
Multiplicação: por meio de sementes ou divisão de rizomas
Luminosidade: sol pleno
Curiosidades: Também conhecida como lótus-egípcio, lótus-sagrado ou lótus-do-egito. Os povos orientais têm esta flor como símbolo da espiritualidade, pois acreditam que ela desabrocha aqui na Terra somente depois de ter nascido no mundo espiritual. O lótus também representaria a pureza, pois emerge limpa e imaculada do meio de águas turvas e lodosas.
Cultivo: Pode ser cultivada em vasos imersos, tanques de jardim, lagos ou lagoas. Para montar os vasos, use a seguinte mistura: 2 partes de terra argilosa, 1 parte de esterco bovino bem curtido ou composto orgânico. Por ser uma planta aquática, é claro, dispensa regas.

http://www.jardimdeflores.com.br/floresefolhas/A03lotus.htm

https://i0.wp.com/www.pilardeluz.net/tara.jpg

CONSPIRAÇÃO ESPIRITUAL

•maio 11, 2009 segunda-feira • 6 Comentários

CONSPIRAÇÃO ESPIRITUAL

 

Na superfície da terra exatamente agora há guerra e violência e tudo parece obscuro.

Mas, simultaneamente, algo  silencioso, calmo e oculto está acontecendo e certas pessoas estão sendo chamadas por uma luz mais elevada.

Uma revolução silenciosa está se instalando

de dentro para fora.

De baixo para cima.

É uma operação global.

Uma conspiração espiritual.

Há células dessa operação em cada nação do planeta.

Vocês não vão nos assistir na TV.

Nem ler sobre nós nos jornais.

Nem ouvir nossas palavras nos rádios.

Não buscamos a gloria

Não usamos uniformes

Nós chegamos em diversas formas e tamanhos diferentes

Temos costumes e cores diferentes

A maioria trabalha anonimamente

Silenciosamente trabalhamos fora de cena

Em cada cultura do mundo

Nas grandes e pequenas cidades, em suas montanhas e vales,

Nas fazendas, vilas, tribos  e ilhas remotas

Você talvez cruze conosco nas ruas

E nem perceba…

Seguimos disfarçados

Ficamos atrás da cena

E não nos importamos com quem ganha os louros do resultado,

e sim, que se realize o trabalho

De vez enquanto nos encontramos pelas ruas

Trocamos olhares de reconhecimento e seguimos nosso caminho

Durante o dia muitos se disfarçam em seus empregos normais

Mas à noite, por atrás de nossas aparências,

o verdadeiro trabalho se inicia

Alguns nos chamam do Exército da Consciência

Lentamente estamos construindo um novo mundo

Com o poder de nossos corações e mentes

Seguimos com alegria e compaixão

Nossas ordens nos chegam da Inteligência Espiritual e Central

Estamos jogando bombas suaves de amor sem que ninguém note; poemas- abraços – musicas- fotos- filmes- palavras carinhosas- meditações e preces- danças- ativismo social- sites- blogs- atos de bondade…

Expressamos- nos de uma forma única e pessoal

Com nossos talentos e dons

Sendo a mudança que queremos ver no mundo

Essa é a força que move nossos corações

Sabemos que essa é a única forma de conseguir realizar a transformação

Sabemos que no silêncio e humildade temos o poder de todos os oceanos juntos

Nosso trabalho é lento e meticuloso

Como na formação das montanhas

O amor será a religião do século 21

Sem pré-requisitos de grau de educação

Sem requisitar um conhecimento excepcional para sua compreensão

Porque nasce da inteligência do coração

Escondida pela eternidade no pulso evolucionário de todo ser humano

Seja a mudança que quer ver acontecer no mundo

Ninguém pode fazer esse trabalho por você

Nós estamos recrutando

Talvez você se junte a nós

Ou talvez já tenha se unido

Todos são bem bem-vindos

A porta está aberta

Agradecemos a Jana por identificar o “Autor desconhecido” do artigo acima:

~ Brian Piergrossi

http://www.thebigglow.com

Crer é Criar

•maio 10, 2009 domingo • 1 Comentário

 

»« se krês, krias »«

Creer es Crear

»

 

www.creerescrear.com

Que desfrutes, Santiago Pando era um dos mais famosos publicitário do México até que despertou.

Veja diretamente no link, em espanhol ou inglês. Após a introdução, clica em capítulos, ou faça o download do arquivo completo para assistir sem interrupção. Assim que tenha disponível tradução e legendas em português informo .

www.creerescrear.com

“krês, krias” Quem sabe quem sou reconhece que é uma frase que muito me identifica, se ainda não compreende o porque este filme dá a dica.

»« se krês, krias »«

»

Algo sobre consciência e reputação

•maio 9, 2009 sábado • Deixe um comentário

Frase_do_dia2

Uma outra visão

•maio 8, 2009 sexta-feira • Deixe um comentário

Compartilhando

Uma outra visão

Cartoons que encontrei em um site muito interessante, uma outra visão do Dr José Carlos Brasil Peixoto, com uma citação inicial convidativa:

“É um espaço reservado para aquelas pessoas que estão buscando informações diferenciadas sobre temas de saúde, alimentação, ecologia entre outros de relevante importância. São inúmeros artigos, entre originais e textos traduzidos, que podem se caracterizar pelo tom inusitado”.

Cartoons Counter Think traduzidos com temas relacionados a saúde.

Os artigos, assim como os cartoons,  são um convite a reflexão, vale a visita.

Leia, comente com amigos e colegas de trabalho, critique, tire suas conclusões e envie suas opiniões! www.umaoutravisao.com.br

Nikola Tesla

•maio 7, 2009 quinta-feira • 1 Comentário

o gênio esquecido

https://i1.wp.com/www.wilsonsalmanac.com/images1/tesla14_cr.jpgFinalmente parece que depois de mais de 100 anos a história começa a corrigir seus erros e dar o devido crédito a quem merece, Nikola Tesla é um destes a quem a história deve reparação.

Aqui repasso alguns links dos documentários encontrados no youtube dublados ou legendados sobre Nikola Tesla.

Este primeiro, quanto aos assuntos, o documentário é semelhante ao “A Eletricidade Maluca de Nikola Tesla”.
Nikola Tesla não é muito conhecido do grande público, mas foi um dos maiores cientistas do século XX. Este vídeo mostra algumas de suas importantes invenções, e conta um pouco da personalidade singular de Tesla. Ele trabalhou para Thomas Edison, mas este não soube lhe dar o devido reconhecimento. Demitiu-se dos laboratórios de Edson, e durante um ano sobreviveu como trabalhador braçal, cavando buracos, antes de retornar a seus inventos.
:

Tesla, Mestre do Raio – Parte 01

Tesla: Mestre do Raio – parte 02…

Tesla: Mestre do Raio – parte 03…

Tesla: Mestre do Raio – parte 04…

Tesla: Mestre do Raio – parte 05…

Tesla: Mestre do Raio – parte 06…

Tesla: Mestre do Raio – parte 07…

Tesla: Mestre do Raio – parte 08…

Tesla: Mestre do Raio – parte 09…

Tesla: Mestre do Raio – parte 10…

Tesla: Mestre do Raio – parte 11…

Tesla: Mestre do Raio – parte 12…

Tesla: Mestre do Raio – parte 13…

Tesla: Mestre do Raio – parte 14…

Neste documentário da History Channel “A Eletricidade Maluca de Nikola Tesla” sobre o inventor esquecido pela história. A patente do rádio é dele (e não Marconi), o motor elétrico a indução (o que usamos em tudo hoje), a lâmpada fluorecente, o controle remoto e revoluciou o mundo. Isto, antes de 1900.
Vale assistir os episódios!

Nikola Tesla – Parte 1 de 6

Nikola Tesla Parte 2 de 6

Nikola Tesla Parte 3 de 6

Nikola Tesla Parte 4 de 6

Nikola Tesla Parte 5 de 6

Nikola Tesla Parte 6 de 6

E neste um resumo:

Leia  o que já publicamos sobre este Arauto do Futuro : Nikola Tesla

QUEM FOI NIKOLA TESLA?

Nikola Tesla – O Mago Esquecido

O EXPERIMENTO FILADÉLFIA

HAARP – Os Anjos não tocam esta Harpa

Coletores menstruais

•maio 6, 2009 quarta-feira • 20 Comentários

coletores menstruais

Repasso aqui um post do blog Gang do Hipertexto para as meninas (e meninos mesmo que não lhes seja útil diretamente) uma lúcida informação sobre os “coletores menstruais” uma novidade nem tão nova assim, que vai mudar sua maneira de encarar os “ciclos de lua”.  Não troco por nada, além de saber que absorventes internos ou não vendidos no mercado aumentam vertiginosamente o fluxo menstrual ( afinal as empresas só visam lucros e precisam vender mais né? ) causam graves problemas a saúde da mulher, e que geralmente não são relacionados aos absorventes.  Bom, o artigo é maravilhoso , muito bem escrito e fala por si. Em épocas de cuidados com o ambiente, vale a dica. Desfrutem!

Sangue

Olá! Volto hoje, depois de todo esse tempo, com um post que interessa principalmente às mulheres, mas que de certa forma afeta a todos nós. Esse post já está na minha cabeça há meses, mas acabei deixando ele mais para a frente. Bem, nojentinhos e nojentinhas, abram suas cabeças, relaxem no sofá e preparem-se para ler, pois qui apresento-lhes o Menstrual Cup, ou como é chamado no Brasil, Copo Menstrual ou Coletor Menstrual (daqui para a frente, só chamado de “cup”).

Para comerçar: o que me fez lembrar deste post não escrito foi um texto publicado em um blog da Revista Época, que falava do Cup. O texto foi mal apurado. Desculpe-me, colega jornalista, mas é verdade. Fala de forma parcial e simples demais de algo que não foi testado pela autora. Ela se explica nos comentários; aquela não foi a intenção. Mas mais cuidado da próxima vez.

Além da falta de apuração, o que mais me impressionou foram os comentários: nunca vi tanta gente fechada em um só lugar. E, como se não fosse o suficiente, mal-educada.

Mas pois bem, vamos ao que interessa. Eu uso o cup há mais ou menos 8 meses. Eu o descobri na comunidade DIY For Vixens do Orkut e logo de cara achei uma boa idéia. Hoje, não troco por absorventes nunca mais. Agora, você se pergunta: “Mas o que diabos é isso, Poodle? Copo? Que loucura!”. O cup é uma alternativa aos absorventes descartáveis que usamos hoje e apresenta uma infinidade de vantagens. Ele é um copinho feito de silicone reutilizável que é inserido no canal vaginal e coleta o sangue no lugar de absorvê-lo. O sangue é derramado no vaso sanitário, o copo é sanitizado e reinserido.

Ei-lo. O Menstrual Cup.

Muita gente tem nojinho. Nojinho totalmente sem razão! (esse é meu blog e não depende de nenhuma empresa jornalística; posso ser o quão parcial eu quiser.). As pessoas que falam mal dele sem nem pesquisar têm muitos argumentos! Vamos a eles (na sua maioria retirados dos comentários do texto citado no começo do post e de posts em comunidades do orkut):

– É anti-higiênico! Imagina lavar isso na pia???: O cup é muito higiênico. Você não PRECISA lavar na pia. Pode lavar em qualquer lugar. Caso esteja em um banheiro público, pode usar uma garrafinha de água enquanto está no vaso e lavá-lo alí mesmo. Entre um ciclo e outro ele é fervido com a intenção de ser esterelizado, além de poder ser lavado todos os dias com água quente, no banho, por exemplo. Além disso, é difícil ter que lavar ele em um banheiro público, já que ele pode ser usado por até 12h.

Deve ser desconfortável! Se OB já é desconfortável e é pequenininho, imagina esse copo aí?: Bem, para começar, o OB é feito de material absorvente, que suga a umidade do canal vaginal, causando uma sensação de rasgo quando é inserido ou retirado. Além disso, ele fica bem pra cima no canal. O cup fica na entrada do canal, com apenas um pequeno cabinho para fora. Ele é feito de silicone, o que garante que a umidade natural da vagina não será perdida. O mesmo fator garante que ele se moldará às suas curvas internas, garantindo o conforto. Não se sente o cup quando colocado corretamente.

– Mas é nojento reutilizar; será que não causa a proliferação de bactérias?: absorventes externos são colônias horrendas de bactérias. A proliferação acontece quando o sangue entra em contato com o ar e oxida. A mesma coisa com os internos: são colônias; mesmo estando dentro de você o sangue oxida. Com o cup, um selamento é formado na hora da colocação e o sangue permanece sem entrar em contato com o ar, o que, além de impedir as bactérias de se proliferarem tanto, mantém o sangue sem cheiro. É, alguns também dizem que o sangue menstrual fede. Sangue que fica em contato com o ar fede. O coletado com o cup não!

– Mas e na hora de tirar? Eu vou me sujar toda!: Não vai, não. Depois que se pega a prática, a inserção e retirada ficam muito fáceis.

– Mas é muito grande! Eu não vou enfiar isso na minha b****a! Vai me alargar toda! (sim, com essa linguagem mesmo): Olha, querida, se você nunca teve nada da largura do cup enfiado no seu canal vaginal, ou você é virgem ou… bem… eu tenho muita pena de você.

– Que idiota isso! Só pode ser idéia de um homem sem noção!: Bem, na verdade ele foi patenteado por uma americana, mulher, chamda Leona Chalmers… o que nos leva ao nosso próximo argumento.

– Essas novidades “verdes” nojentas vão nos levar de volta à idade da pedra; que voltemos aos paninhos da vovó então, já que temos que lavar essa coisa: o cup não é novidade, ele foi patenteado nos anos 1930. Ele só não decolou porque era feito de látex e muita gente tinha alergia a látex. Além disso, havia um certo tabu quanto a enfiar coisas… hehehe hipocrisia é pouco, non?

– Mas que nojo! Sangue menstrual é sujo! Vai pegar em mim! Eca!: sangue menstrual não é sujo! É apenas sangue como qualquer outro. Incrível como as pessoas tomam porres homéricos, vomitam, caem de cara no vômito e depois riem da coisa. Ou como a gente coloca os papéis usados numa latinha do lado do vaso que fica lá um dia inteiro. Ou como a gente limpa a bunda dos bebês. Ou como a gente faz SEXO! Como a gente faz sexo oral! Como a gente beija na boca, entrando em contato mais do que direto com secreções dos outros! Mas sangue? Sangue, não! Sangue é nojento! Ainda mais o meu próprio! Imagina isso!

– Mas não é nada prático! Imagina ter que lavar essa coisa o tempo todo!: como eu disse antes ele pode ser usado por até 12h e nunca foi relacionado à Síndrome do Choque Tóxico, doença rara, mas que pode ser fatal, relacionada ao uso de absorventes internos por tempo prolongado. Então é só lavar 2 vezes por dia.

– Mas meu fluxo é imenso! Vai transbordar!: colocado corretamente, o cup não vaza. Mesmo. Além disso, os absorventes dão a idéia de que temos um fluxo muito maior do que realmente é; eles têm pouca capacidade de absorção e por isso têm de ser trocados com frequência. Ao usar o cup você vai ver que o nível do seu fluxo, em 12h, não poderia transbordar o cup. Dito isto, acredito que os absorventes são menos práticos.

“One Girl, Two Cups”: Vídeo que fala quase tudo sobre o Cup. O título é uma bem-pensada brincadeirinha com o conhecido “Two Girls, One Cup”, já citado por mim aqui no blog.

Ufa! Bem, além de todas essas coisas, o cup é ambientalmente amigável. O silicone, material de que ele é feito, dura até 10 anos se bem cuidado. Você tem idéia de quantos absorventes descartáveis você usa em 10 anos? E de quanto tempo eles levam para se decompor? Quanto à decomposição eu não sei, mas vamos aos cálculos!

Imaginemos que arredondando para menos, você use uma caixinha de OB ou pacote de absorventes externos por ciclo. Isso são 10 absorventes por ciclo. São 12 ciclos por ano: 12 ciclos x 10 anos = 120 ciclos; 120 ciclos x 10 absorventes = 1200 absorventes! Agora, vejamos financeiramente. Imagine que você gaste 4 reais por ciclo (o que é uma estimativa bastante amigável; sabemos que é BEM mais). 4 reais x 12 ciclos = 48 reais. Em 10 anos, 480 reais.

O cup custa 70 reais no Brasil, vendido pelo site Guia Vegano e ás vezes até menos em sites gringos. Mais de 400 reais economizados! E isso que aquele precinho alí que usamos para os cálculos está bem caramarada.

Além de tudo, uma questão crucial: nada de substâncias químicas em contato com o seu corpo. Alvejantes e muitos outros são encontrados em absorventes. Eles garantem que eles sejam branquinhos, que mantenham o sangue e que sejam perfumadinhos. Só que isso não parece tão saudável quando se pensa nisso, não?

Ele é mais prático, mais limpo, mais barato, mais ecológico. Eu posso dar meu relato e dizer que eu nunca me senti desconfortável. Depois de 2 ciclos ele nunca mais vazou. Além disso, os OBs que me sobraram de ciclos anteriores nunca mais saíram da gaveta.

Existem muitas questões mais a serem abordadas sobre o cup. Existem inúmeras marcas e uma delas deve se adptar a você. Caso muitas pessoas perguntem nos comentários, me disponho a escrever novo post respondendo a tudo.

Vídeo que mostra como dobrar o Cup para inserir.


Agora, peço mente aberta. Eu me decepciono com mulheres que não param para prestar atenção em algo que diz respeito justamente a elas. Já li muitos comentários ignorantes por aí sobre o cup. Eu entendo que algumas pessoas não se adaptem, mas nem por isso se deve achar que é algo de fora do planeta.

Esperteza, queridinhos, perspicácia! Informação só tende a melhorar nossas vidas. Por isso, explorem os links, vejam o vídeo, (re)leiam o post, perguntem nos comentários! Meninos: indiquem para as mães e namoradas. Eu não troco meu cup por nada!

Mais links sobre o assunto:

Documentário:

A Lua dentro de você

www.mooninsideyou.com

Outros artigos aqui no Arauto:

Mulher

À Prova de Tudo

•maio 5, 2009 terça-feira • 3 Comentários

Sinopse: Neste seriado da Disconvery Channel, Bear Grylls, apresentador da série “À Prova de Tudo”, demonstra suas técnicas de sobrevivência.

Lançada em julho passado, a série do Discovery Channel “À Prova de Tudo” já se tornou um dos grandes sucessos do canal. Em cada episódio, Grylls apresenta técnicas de sobrevivência em alguns dos lugares mais belos e inóspitos do planeta. Munido de uma faca, uma garrafa de água e uma pedra de isqueiro, Grylls se lança de pára-quedas e sai à procura do caminho de volta à civilização.

Ex-soldado da Unidade Especial do Serviço Aéreo Britânico, Grylls é um viajante experiente. Ele já conquistou o pico do Everest, atravessou o frígido Oceano Atlântico Norte em um pequeno barco e viajou as Ilhas Britânicas de jet ski.

Para produzir o programa, Grylls viaja com dois cinegrafistas, sob ordens estritas de não se envolverem ou ajudá-lo, a não ser que ele se encontre em uma situação de altíssimo risco. A série acentua os aspectos dramáticos da luta pela sobrevivência, enquanto Grylls faz questão de demonstrar técnicas necessárias em circunstâncias extremamente difíceis.

Curiosidades: Bear Grylls – Apresentador de À PROVA DE TUDO Aventureiro, escritor e apresentador de TV, Bear Grylls cresceu na ilha de Wight, onde começou a escalar com seu pai quando ainda era criança. Serviu nos serviços aéreos especiais da Força Britânica, e enquanto desempenhava sua função sofreu um grave acidente ao saltar de pára-quedas sobre o sul da África. Apesar do acidente, tornou-se o mais jovem alpinista britânico a chega ao cume do Monte Everest e regressar com vida. Grylls registrou esta experiência no livro “Facing Up”. Realizou outra extraordinária façanha com a mesma equipe com a qual alcançou o Everest, ao dar a volta ao Reino Unido em um jet ski. Também liderou a primeira travessia sem auxílio em um barco inflável nas frias águas do Atlântico Norte. O feito inspirou o livro “Facing the Frozen Ocean” , e ele foi premiado pela Marinha Real Britânica. Em junho de 2005, Grylls e mais dois companheiros estabeleceram um recorde mundial ao celebrar uma ceia em uma mesa suspensa em um globo de ar quente a 24.000 pés de altura. Um menu de três pratos foi servido a Bear em pleno ar, e depois o intrépido aventureiro ainda saudou a Rainha. A missão da aventura era celebrar o 50º aniversário do Prêmio Duque de Edimburgo. Bear vive em um barco no rio Tâmisa com sua esposa Shara e seus dois filhos, Jesse e Marmaduke.

ATUALIZAÇÃO em 26-02-2010

APENAS REPRODUZIMOS O MATERIAL ENCONTRADO E INFORMAMOS LINKS DE DOCUMENTÁRIOS JÁ DISPONÍVEIS NA INTERNET.

NÃO HOSPEDAMOS OS LINKS DEIXAMOS OS TÍTULOS DA SÉRIE COMO INFORMATIVO.

1a Temporada (RMVB Legendado):

1×01 – Rockies
1×02 – Moab Desert in Utah
1×03 – Costa Rican Rain Forest
1×04 – Alaskan Mountain Range
1×05 – Hawaii – Mount Kilauea
1×06 – Sierra Nevada
1×07 – African Savanna – Kenya
1×08 – European Alps
1×09 – Hawaii: Desert Island (Season Finale)

2a Temporada (RMVB Legendado):

2×01 – Everglades
2×02 – Iceland
2×03 – Mexico
2×04 – Kimberley, Australia
2×05 – Ecuador
2×06 – Scotland (Season Finale)

3a Temporada (RMVB Legendado):

Special Bears Mission Everest
3×01 – Sahara
3×02 – Desert Survivor
3×03 – Panama
3×04 – Jungle Survivor
3×05 – Patagonia
3×06 – Andes Adventure
3×07 – Bear Eats (Season Finale)

4a Temporada (RMVB Legendado):

4×01 – Zambia
4×02 – Namibia
4×03 – Indonesia, Part 1
4×04 – Indonesia, Part 2
4×05 – Siberia, Part 1
4×06 – Siberia, Part 2 (Season Finale)

5a Temporada (RMVB Legendado):

5×01 – Baja Desert
5×02 – The Deep South
5×03 – Bears Essentials
5×04 – Ireland
5×05 – South Dakota
5×06 – Belize
5×07 – Yukon
5×08 – Oregon
5×09 – Dominican Republic
5×10 – Turkey
5×11 – Romania: Transilvânia

ATUALIZAÇÃO em 26-02-2010

APENAS REPRODUZIMOS O MATERIAL ENCONTRADO E INFORMAMOS LINKS DE DOCUMENTÁRIOS JÁ DISPONÍVEIS NA INTERNET,.

NÃO HOSPEDAMOS OS LINKS E INFELIZMENTE ESTES ACIMA FORAM RETIRADOS DO MEGAUPLOAD, DEIXAREMOS OS TÍTULOS DA SÉRIE COMO INFORMATIVO.

AGRADECEMOS

Presságio

•maio 4, 2009 segunda-feira • Deixe um comentário
Quando uma cápsula do tempo é aberta na escolha do filho, professor (Cage) se depara com um estranho mapa numérico. Decodificado, este mapa mostra profecias assustadoras: são datas de cada uma das maiores catástrofes globais dos últimos 50 anos, como terremotos, incêndios e tsunamis, tudo em perfeita sequência. O problema é que algumas datas estão por vir, e portanto novos desastres para acontecer.
Assistir TRAILER
PARTE1
PARTE2
LEGENDA

Algo de consciência corporal…

•maio 3, 2009 domingo • 1 Comentário

Algo de consciência corporal…

Certas investigações se orientam à possibilidade de que o coração recorde todos os eventos marcantes. No livro “The Hearts Code”, (O Código do Coração) Paul Pearsall narra o impressionante caso de uma adolescente à que foi transplantado o coração de uma pessoa assassinada. Depois do transplante a menina começou a ter memória do assassinato, e pode descrever o autor do crime, a roupa que usava, o tempo que havia ocorrido, e tipo de arma que utilizou, dados que foram posteriormente confirmados pela polícia quando capturaram o criminoso.

O coração ama e sente, mas você sabia que ele também pensa, lembra, comunica-se com outros corações, ajuda a regular o sistema imunológico e armazena informações que pulsam continuamente através de seu corpo? Neste livro, o dr. Paul Pearsall expõe a teoria e a ciência que fundamentam a cardiologia energética, o campo emergente que desvenda as mais importantes descobertas médicas, sociais e espirituais de nossa época – o coração é mais do que apenas uma bomba; ele rege a sinfonia celular que é a própria essência do nosso ser.

Este e outros descobrimentos de neurofisiológicos ocidentais se encontram em sintonia com a Medicina  Tradicional Chinesa, que afirma que cada órgão tem seu psiquismo.

A psicologia tradicional chinesa explica que cada órgão é depositário de determinadas qualidades de consciência.

Por exemplo:

o fígado alberga a bondade e se prejudica com a ira e a agressividade;

o coração expressa a alegria e se afeta com o enfado e a impaciência;

o pâncreas expressa o conhecimento e se altera com a preocupação e a obsessão;

os pulmões se vinculam com a vontade e se deterioram com a excessiva tristeza;

os rins são depositários da tranqüilidade e da sabedoria e se alteram com o medo.

Esses conceitos vêm a ser mais que uma linguagem poética, pois quando se tratam tais órgãos com acupuntura, as emoções desequilibradas correspondentes começam a desaparecer da pessoa.

Clique para ler uma Entrevista com Paul Pearsall concedida a Revista Planeta:


O poder do coração

Segundo o dr. Paul Pearsall, as células têm memória e o coração carrega um código energético especial, que nos conecta com os demais seres humanos e com o mundo à nossa volta. De certa maneira, sua teoria explica por que muitos transplantados – como ele mesmo pode comprovar – passam a manifestar traços da personalidade do doador.

Por Fátima Afonso

Parte 1

Parte 2

Parte 3

https://i0.wp.com/www.paulpearsall.com/images/book-heartscode.jpgmemoria+das+celulas

Como vai seu sistema…

•maio 2, 2009 sábado • 1 Comentário

…imunológico?

Uma aula,  uma pequena parte da conversa, de 2 horas, sobre Auto-Hemoterapia explicando com maestria como a ativação do sistema imunológico pode amenizar o problema de saúde pública em nível mundial, que  há muito está na UTI.

Mas falta vontade e sobram intere$$es, como as Indústrias envolvidas poderiam melhorar tão vertiginosamente suas ações na bolsa? Ganância e usura não cabem nesse bolso, a auto-hemoterapia tem uma contra-indicação perigosa, diminui drásticamente a conta da farmácia,  a simplicidade é a marca da verdade.

Saúde!

•maio 1, 2009 sexta-feira • Deixe um comentário

Ainda montando aquele ‘quebra cabeças’  algumas peças mais se encaixam, como a íntima ligação entre as indústrias farmacêuticas e suas VACINAS, as alimentícias e sua regulamentação conhecida como ‘Codex Alimentarius‘, e a regulamentação econômica mundial que levam diretamente a execução da cartilha NOW, da  Agenda Esotérica.

Então, motivos de sobra para manter o que você tem de mais precioso. SUA SAÚDE!

E para este primeiro de maio, algumas reflexões, variações sobre o tom atual, encontradas em uma navegação na rede.

******

O Que é A Meatrix?

A Meatrix

Comendo muita carne? Preste atenção ao filme no português ou com subtítulos.

******

O poder monstruoso da indústria pecuária

A gripe suína e o monstruoso poder da indústria pecuária

Em 1965, havia nos EUA 53 milhões de porcos espalhados entre mais de um milhão de granjas. Hoje, 65 milhões de porcos concentram-se em 65 mil instalações. Isso significou passar das antiquadas pocilgas a gigantescos infernos fecais nos quais, entre esterco e sob um calor sufocante, prontos a intercambiar agentes patógenos à velocidade de um raio, amontoam-se dezenas de milhares de animais com sistemas imunológicos debilitados. Cientistas advertem sobre o perigo das granjas industriais: a contínua circulação de vírus nestes ambientes aumenta as oportunidades de aparição de novos vírus mais eficientes na transmissão entre humanos. A análise é de Mike Davis.

Mike Davis, na Carta Maior

Continue a ler aqui.

******

A notícia é da TV Telesur

Laboratórios Roche e Glaxo são os únicos fornecedores de medicamentos para o combate à pandemia de gripe. Estavam à beira da falência até semanas atrás, hoje suas ações no mercado de bolsas crescem de forma exponencial.

******

PROBLEMA REAÇÃO SOLUÇÃO

•abril 30, 2009 quinta-feira • 1 Comentário

PROBLEMA REAÇÃO SOLUÇÃO

Problema = gripe suína (atchim óinc)
Reação = medo, pânico a nível global, mortes
Solução oferecida = Tamiflu.?

Nossa sugestão para solução efetiva = aumente e mantenha seu sistema de defesa imunitária ativado com a Auto-Hemoterapia

Abaixo cópia da postagem do blog: Revelatti

Tamiflu: mais um golpe milionário de Donald Rumsfeld

Bastou os Estados Unidos lançarem o alerta para que o mundo ficasse com medo de uma pandemia.

Apesar de decorridos 9 anos desde que o vírus da gripe aviária for a detectado no Vietna e não causou sequer 100 vítimas mortais. Uma média portanto de 11 mortes por ano. Em todo o mundo!

Um detalhe “insignificante” que não impediu George Bush de empreender a sua segunda “guerra preventiva” em pouco tempo, e desta vez para lutar contra outra arma de destruição massiva tão vaporosa como as “encontradas” no Iraque.: O vírus H5n1.

Afinal também haveria uma poderosa “arma preventiva”, um antiviral chamado Tamiflu comercializado pela Empresa suiça Roche e que em apenas alguns dias se converteu na galinha dos ovos de ouro . Disso, os ingressos para a sua venda passaram de 254 milhões no ano 2004 a mais de 1 bilhão em 2005. O teto é imprevisível, dado à grotesca reação dos governos ocidentais com petições massivas do produto.

A realidade, no entanto, é que a eficácia do Tamiflu é questionada por grande parte da comunidade científica.


Tamiflu

Muitos se questionam como poderia servir contra um vírus mutável quando apenas alivia alguns dos sintomas ,e nem sempre, da gripe aviária.

Obviamente a resposta do protagonismo do Tamiflu em nossas vidas não é científica, mas sim puramente comercial.

  • O Tamiflu até 1996 era propriedade da Gilead Sciences inc. ,empresa que vendeu este ano a patente aos laboratórios Roche. Sabem quem era entretanto o seu presidente?

O secretário da Defesa dos Estados Unidos, Donald Rumsfeld, que até hoje continua um dos principais accionistas da empresa.

Para saber mais sobre a face oculta de Donald Rumsfeld, acesse o link


O sanguinário, senhor das guerras: Donald Rumsfeld

Recordam-se do ano de 2005 . Quando começou a falar-se da gripe aviária a Gilead Sciences inc quiz reaver o Tamiflu alegando que a Roche não se esforçava o suficiente para fabricá-lo e comercializá-lo. Ambas as empresas se sentaram a negociar e combinaram constituir dois comitées conjuntamente, um para coordenar o fabrico mundial do fármaco e decidir a autorização a terceiros para fabricá-lo e outro comitée para a comercialização de vendas estacionais nos mercados mais importantes , inclusivé Estados Unidos.

Além disso a Roche pagou à Gilead Sciences inc regalias retroactivas no valor de 62,5 milhões de dólares.

Roche ficou com 90% da produção mundial de anis estrelado, árvore que cresce fundamentalmente na China e que se encontra também em Laos e Malásia ,e que faz a base do Tamiflu .

O cenário estava preparado, bastava agora encontrar pouco a pouco aves “contagiadas” pelo vírus em diferentes países , uma ave aqui, outra acolá. Isso, para criar alarme mundial com ajuda de cientistas e políticos pouco escrupulosos ou de escassa capacidade intelectual e dos grandes “meios de comunicação ” – Que não se caracterizam por investigar o que publicam ou emitem.

O nome de Donald Rumsfeld aparece ainda unido a uma vacinação massiva contra a suposta gripe do cerdo durante a administração de Gerald Ford na década de 70.

Resultando em mais de 50 mortes devido aos efeitos secundários .

Também a FDA aprovou o aspartame quando Rumsfeld esteve no gabinete de Ronald Reagan ,apesar de durante dez anos anteriores em estudos não se havia tomado nenhuma decisão. E sabe-se que aspartame é prejudicial.

Rumsfeld foi presidente do laboratório fabricante de aspartame.

Também esteve envolvido no negócio das vacinas anti anthrax, vacinaram milhares de soldados norte-americanos, e o anthrax nunca foi uma ameaça.

Ainda esteve envolvido na vacinação massiva de soldados com vistide, remedio que supostamente evitaria os efeitos secundários da vacina contra o virus.

O vistide foi também um produto dos laboratórios Gilead Sciences inc.

Fonte:http://www.realidadeoculta.com/tamiflu.html

Agora querem utilizar o mesmo “remedio” para a gripe suina:

Brasil vai receber 54 mil doses de medicamento contra gripe suína

OMS pede a laboratório que desenvolva “vacina” contra a gripe suína

Problema – reação – solução. Isso define claramente a estrategia da elite, que provavelmente itensificara isso durante os proximos anos para implementação a nova ordem mundial. Como ja relatei anteriormente no blog, uma das metas deles é reduzir em 80% da população mundial atual. Essa gripe criada em laboratorio é so o começo do plano malefico desses assassinos, pois ainda vira o codex alimentarius (entra em vigor em 31/12/2009)que criará um caos social e economico nunca antes visto na face da Terra. E entao esses mesmos senhores surgiram com a “solução” dos problemas que eles criaram. Portanto pesquisem e divulgem o conteudo pois quando chegar a hora de agir saberemos o que fazer e nao ficaremos a mercê das “soluções” deles.

Fim da postagem do blog : Revelatti

Recomendamos a leitura atenta de todos os links postados aqui e nos links dos blogs indicados, os links levam as notícias publicadas nos principais jornais do mundo comprovando a realidade que se avizinha, e como estão avisando a todos, com informações espalhadas, notícias a princípio sem sentido aparente, até que se junte as peças e monte o quebra cabeças.
Abaixo dois vídeos que alertam para a realidade da Nova (des)Ordem Mundial

O que fazer?


Sempre em primeiro lugar manter a calma, pois o nervosismo afeta nosso raciocínio,  mantendo a calma realizar planos estratégicos para sua segurança e de seus familiares, vizinhos, comunidade.

Podemos especular que isto seja uma – ou  primeira em ‘fase de testes’ para outras mais perigosas – arma biológica criada para gerar pânico, medo (e começar a diminuição da população) ou mias um ‘ataque de falsa bandeira’, como diversos blogs e matérias da mídia indicam, mas isso não resolve o problema, por isso na postagem Atchim óinc – conspiração sem teorias? você encontra o link Gripe Suína: prevenção, tratamento e contenção desenvolvido pelos especialistas abaixo relacionados e as importantes dicas estratégicas para evitar o alastramento de uma possível pandemia:

Dr. Wladimir J. Alonso

Doutor em Epidemiologia pela Universidade de Oxford (Reino Unido). Biólogo e Mestre em Ecologia pela Universidade de São Paulo. Pesquisador associado do Centro Internacional Fogarty (Institutos Nacionais de Saúde), trabalhando atualmente principalmente com modelagem matemática e estatística de gripe e diarréia.  Consultor científico em modelagem geográfica e temporal de doenças infecciosas (publicações).

Dra. Cynthia Schuck-Paim

Doutora em Zoologia pela Universidade de Oxford (Reino Unido), e pós-doutora com especialização em economia experimental e psicologia experimental. Bióloga e Mestre em Ecologia pela Universidade de São Paulo. Sócia-diretora e gerente de projetos da empresa de consultoria científica Origem, especialista em estatística e IT, e fundadora do  site internacional sobre alergias alimentares specialgourmets.com

Copiamos aqui uma parte do site com intuíto de divulgação, mas solicitamos que leiam não apenas os links abaixo e sim todo o site. Gripe Suína: prevenção, tratamento e contenção .

“Nas páginas deste site estamos reunindo informações de diversas fontes confiáveis e autoridades no assunto sobre o que devemos fazer neste sentido. ..

Estas informações podem ser agrupadas nas seguintes frentes de atuação:

  1. Comprar itens básicos para ter em casa
  2. Evitar contaminar-se
  3. Saber o que fazer se alguém ficar doente
  4. Saber como ajudar a comunidade
  5. Manter-se informado .

Nenhum dos conselhos aqui listados é prejudicial mesmo que uma pandemia não ocorra. Na realidade, com exceção de permanecer em casa o máximo de tempo possível evitando contato social direto, a maioria dos conselhos são úteis para a saúde de uma pessoa no dia a dia, e para que ela possa estar preparada para outras catástrofes ou eventualidades (enchentes, terremotos, conflitos, etc). “

Em branco /itálico/negrito nossas considerações.

Equipe Arauto do Futuro

Atchim óinc – conspiração sem teorias?

•abril 29, 2009 quarta-feira • 1 Comentário

Para quem acredita que seguro morreu de velho, convido-os a um site muito elucidativo sobre Gripe Suína: prevenção, tratamento e contenção

E, logo abaixo, ‘evidências’ de mais uma provável ‘cartada’ conspiratória, teorias se tornando fatos, siga as pistas levantadas pelo blog Realidade Oculta :


TERRA ÁGUA AR FOGO

•abril 28, 2009 terça-feira • Deixe um comentário

Enquanto isso dentro desta nave mãe que nos abriga seus elementos manifestam sua suprema presença, a terra treme, água destrói, fogo consome, e ‘no ar’  pandemias! Ainda bem que temos a Auto-Hemoterapia!!!

  • TORNADOS que atingiram EUA neste fim de semana. (Terra)
  • Alertas Mundiais Neste link um sistema de monitoramento de pandemias e de emergências e desastres naturais ou provocados no mundo.

E no Brasil, chuva ou a seca em excesso …

Ocorrências no Brasil com fontes da Defesa Civil, observe e compare o aumento ao longo dos anos. Observe também a quantidade de Alertas emitidos.

Leiam no blog da Metsul as recentes postagens

  • A enchente na Amazônia e a seca no Sul – Uma história de 100 anos
  • Florianópolis teve um dos maiores volumes de chuva até hoje em abril
  • Tempestade costeira exige atenção no Sul e Sudeste

Infelizmente  insistindo em não contradizer os inúmeros profetas e suas profecias, as notícias são tão óbvias e escancaradas que chegam a paralizar aquele que por um ínfimo instante se deixa penetrar pela percepção da realidade …

BANANAS

•abril 27, 2009 segunda-feira • Deixe um comentário

COMA MAIS

BANANA!

Se preferir baixar a informação a seguir no formato power point clique: Bananas

https://i2.wp.com/www.hawaiifruit.net/big-island-bananas.jpg

Se deseja uma solução rápida para baixos níveis de energia, não há melhor  lanche que a banana.
Contendo 3 açúcares naturais: sacarose, frutose e glicose, combinados com
fibra, a banana dá uma instantânea e substancial elevação da energia.

Pesquisas provam que apenas 2 bananas fornecem energia suficiente para 90
minutos de exercícios extenuantes.

Não é à toa que a banana é a fruta nº1 dos maiores atletas do mundo.
Mas energia não é a única forma de ajudá-lo(a) a ficar em forma.

A banana também ajuda a curar ou prevenir um grande número de doenças e
condições físicas, que a tornam obrigatória na sua dieta diária.

Anemia:

contendo muito ferro, bananas estimulam a produção de hemoglobulina no sangue e ajudam nos casos de anemia.

Pressão arterial:

contém elevadíssimo teor de potássio, mas reduzido em
sódio, tornando-a perfeita para combater a pressão alta. Tanto que a FDA
(agência responsável pelo controle de alimentos e remédios) dos
EUA autorizaram a indústria de banana a oficialmente informar sua
habilidade de reduzir o risco de pressão alta e infarto.

Capacidade mental:

200 estudantes de uma escola em Twickenham (Middlesex) tiveram ajuda da banana (no café da manhã, lanche e almoço), para elevar sua capacidade mental.Pesquisa mostra que frutas com elevado teor de potássio ajudam alunos a aprender e manter-se mais alerta.

Constipação intestinal:

com elevado teor de fibra, incluir bananas na dieta pode ajudar a normalizar as funções intestinais, superando o problema, sem recorrer a laxantes.

Depressão:

de acordo com recente pesquisa realizada pela MIND, entre pessoas que sofrem de depressão, muitas se sentiram melhor após uma dieta rica em bananas. Isto porque a banana contém “trypotophan”, um tipo de proteína que o organismo converte em seratonina, reconhecida por relaxar, melhorar o humor e, de modo geral, aumentar a sensação de bem estar.

Ressaca: uma das formas mais rápidas de curar uma ressaca é fazer uma
vitamina de banana com leite e mel. A banana acalma o estômago e, com a
ajuda do mel, eleva o baixo nível de açúcar, enquanto o leite suaviza
e reidrata o sistema.

Azia:

elas têm efeito antiácido natural. Se você sofre de azia,
experimente comer uma banana para aliviar-se.

Enjôo matinal:

comer uma banana entre as refeições ajuda a manter o nível
de açúcar no sangue elevado e evita as náuseas.

Picada de mosquito:

antes de usar remédios, experimente esfregar a parte
interna na casca da banana na região afetada. Muitas pessoas têm
resultados excelentes em reduzir o inchaço e a irritação.

Nervos:

elas contém elevado teor de vitamina B, que ajuda a acalmar o sistema nervoso.

Excesso de peso e Pressão no trabalho:

estudos do Instituto de Psicologia, na Áustria, mostram que a pressão no trabalho leva à excessiva ingestão de comidas, como chocolate e biscoitos.

Examinando 5 mil pacientes em hospitais, pesquisadores concluíram que os
mais obesos eram os que tinham trabalhos com maior pressão. O relatório
concluiu que, para evitar a ansiedade por comida, precisa-se controlar os
níveis de açúcar no sangue.

Comendo alimentos ricos em carboidratos, como bananas, a cada 2 horas,
mantém-se estável o nível de açúcar.

TPM:

esqueça as pílulas e coma banana. Ela contém vitamina B6, que regula
os níveis de glicose no sangue, que afetam o humor.

Úlcera:

usada na dieta diária contra desordens intestinais, é a única fruta crua que pode ser comida sem desgaste em casos de úlcera crônica. Também neutraliza a acidez e reduz a irritação, protegendo as paredes do
estômago.

Controle de temperatura:

muitas culturas vêem a banana como fruta ‘refrescante’, que pode reduzir tanto a temperatura física quanto a emocional de mulheres grávidas. Na Tailândia, por exemplo, as grávidas comem bananas para os bebês nascerem em temp eratura baixa.

Desordens Afetivas Ocasionais:

a banana auxilia os que sofrem de DAO, porque contêm um incrementador natural do humor, o “trypotophan”.

Fumo:

elas podem ajudar pessoas que estão largando o cigarro, porque seus
elevados níveis de vitaminas C, A1, B6 e B12, além de Potássio e
Magnésio, ajudam o corpo a se recuperar dos efeitos da retirada da
nicotina.

Estresse:

Potássio é um mineral vital, que ajuda a normalizar os batimentos
cardíacos, levando oxigênio ao cérebro e regula o equilíbrio de água no
nosso corpo. Quando estressados, nossa taxa metabólica se eleva, reduzindo
os níveis de Potássio, que podem ser reequilibrados com a ajuda da banana.

Infarto:

de acordo com pesquisa publicado no Jornal de Medicina de New England, comer bananas regularmente pode reduzir o risco de morte por infarto em até 40%!

Verrugas:

os naturalistas juram que se quiser eliminar verrugas, basta
colocar a parte interna da casca de banana sobre elas e prendê-la
com esparadrapo ou fita cirúrgica.

Como vêem, a banana é um remédio natural contra muitos problemas.

Comparada à maçã, tem 4 vezes mais proteína, 2 vezes mais carboidratos,3
vezes mais fósforo, 5 vezes mais vitamina A e ferro e 2 vezes outras
vitaminas e minerais. Também é rica em potássio e, como um todo, é um dos
alimentos mais valiosos.

“uma banana ao dia dispensa o médico”.

SOM

•abril 26, 2009 domingo • 1 Comentário

Eu poderia falar da tal gripe que anda assustando ao redor do mundo, e dizer o que no meu achismo eu acho que faz parte de uma grande  mentira, forjada e bem ilustrada pela mídia para gerar pânico, parece mais uma “arma biológica” talvez fumegada pelas trilhas de fumaça dos chemitrails , quem sabe um ‘false flag‘… mas a mídia já está fazendo seu papel… e cada um que entenda as entrelinhas como bem convier, como eu escolhi não falar sobre isso resolvi então fazer um pouco de arqueologia dentro do computador, trago um artigo interessante resgatado do meu baú de favoritos na internet.  Sem pretensão de esgotar o assunto tenho mais informações interessante  sobre o som que trarei a ‘tona’ neste canal,

e como canta Lulu Santos…

“Não existiria som, se não houvesse o silêncio

Não haveria Luz se não fosse a escuridão

A vida é mesmo assim, dia e noite, não e sim…”

Fonte: Ordem Implicada

“Chorar” é uma experiência humana sonora holística”.

A psique é a palavra grega para designar a alma e a alma se expressa sonoramente através do choro e do riso. Para os povos primitivos e nas culturas de hoje, menos dominadas pelas tecnologias, o povo organiza os seus rituais chorando, cantando, tocando instrumentos e dançando. Para eles o SOM e o ESPÍRITO são uma coisa só, você liberta o seu espírito usando o som.
No Candomblé, o bater dos três tambores sagrados: RUM, RUMPI e LÉ é o que comanda o terreiro. Através das diferentes batidas eles chamam os Orixás, que não representam jamais o “espírito” de seres humanos já falecidos e sim os “espíritos- essência” da própria natureza: terra, água, ar e fogo.
Existe uma diferença entre cantar e falar. O cantar enfatiza o uso das vogais, os chamados sons puros das vogais que estão ligados às curas e ao espiritual: AUM, AMÉN, ALELUIA, ALLAH, em todo o mundo existem estas conotações. O falar acentua o uso das consoantes.
Segundo a tradição sufi o “Ah” significa unidade ou unificação, irradia o dourado e abre o coração.
O “Uh” irradia a cor azul, associada à água e com a nossa garganta. O “I” associa-se ao ar e à mente. O “umm”, som do murmúrio com a boca fechada, tem as cores do arco-íris e é associado com o topo da cabeça.
Os sufis foram os que mais estudaram os sons curativos e acreditavam que certos sons e músicas afetam, diretamente, o nosso sistema endócrino.

O gemido do espírito


Quem já fez um RPG perfeito deve se lembrar de que o fisioterapeuta lhe pedia que gemesse, nas situações dolorosas. O gemido é uma das outras expressões do espírito do ser humano. O gemido já foi empregado como forma de oração, como os gemidos dos israelitas presos no Egito e que comoveram Deus. E o que falar sobre o famoso Muro da Lamentações, onde os israelitas gemem até hoje?

Tonalizações


Jesus gemeu ao curar o surdo de Sidon: “Ephphatha” (que se abra) gemeu Ele, e curou o homem da sua surdez. Na tonalização, o gemido é usado antes de se executar as tonalizações (já foi explicado nos textos anteriores) e a voz deve elevar-se e abaixar-se até se encontrar um som que se mostre confortável para nós. É preciso manter este som durante dez minutos e continuar a emiti-lo até que um “suspiro” involuntário nos mostre que o nosso corpo já está satisfeito e purificado. Estes procedimentos focalizam as nossas “Energias Espirituais”.

“Sua vida merece ser cantada. Acrescentaríamos: e gemida”!

Som e Meditação


“Para compreender Deus”

O sufismo tem um grande mestre: Hazrat Inayat Khan. Ele escreveu: “O emprego da música para obtenção de algo espiritual e para a cura da alma, era comum nos tempos antigos”.

Como ouvir a música de meditação: coloque-se na posição desejada e relaxe o corpo, a mente e o espírito. Sinta-se diante do seu espírito e de Deus. Convença-se de que está realizando um ato sagrado e agradeça o bem estar que irá lhe advir com a meditação.
Entregue-se à música, torne-se a música. Quando a música terminar, mantenha-se quieto por instantes saboreando o que conseguiu obter.

Meditação e Cor


As cores são VIBRAÇÕES, lembre-se disto. “Se pusermos cores em linguagem musical a harmonia da cor será cercada de 40 oitavas acima da harmonia do som audível”.
Vibrações de 1000 ciclos por segundo são ouvidas facilmente.
2000 ciclos = 1 oitava acima
4000 ciclos = 2 oitavas
Hipótese: se o teclado do piano tivesse mais do que as suas 7 oitavas, por exemplo: 35 a 50 oitavas mais altas, as teclas na extremidade mais alta produziriam cores e não sons audíveis quando tocadas.
Meditar na luz, cor e som é um método de impacto extraordinário.

Procedimento


Coluna reta e posição confortável (pode deitar-se também com os pés votados para o som). Concentre-se nos chakras, os vórtices de energia que possuímos no nosso corpo. Coloque a música escolhida.

1º chakra – concentre-se na cor vermelha, situando-a na região pouco acima dos órgãos sexuais. 5 minutos.

2º chakra – concentre-se na cor laranja, situando-a abaixo do umbigo. 5 minutos.

3º chakra – cor amarela, concentre-se no plexo (acima do umbigo, região do estômago). 5 minutos.

4º chakra – região do coração – cor verde. 5 minutos.

5º chakra – região da garganta – azul – 5 minutos.

6º chakra – acima do nariz, na região entre as sobrancelhas – índigo – 5 minutos.

7º chakra – topo da cabeça (moleira) – violeta – 5 minutos.

Visualize as cores indicadas em cada item e as mantenha.

Meditação com a música Spectrum Suíte
A música perfeita para esta meditação – autor: Dr. Steven Halper Ph.D

A música possui sete seleções a seguir:
No 1º chakra – a nota tônica é o DÓ – Ouça e sinta a música nesta área e colora o chakra de vermelho, cor da vida.

No 2º chakra – cor laranja, transmite a energia da auto afirmação e a vitalidade . Nota RÉ.

No 3º chakra – Plexo solar – nota MI – cor amarela energia da coragem, do perdão e auto perdão.

No 4º chakra – coração – cor verde, nota FA, amor incondicional para você e para os outros.

No 5º chakra – cor azul celeste – tônica SOL. Em volta da garganta, energias da força de vontade.

No 6º chakra – nota tônica LA. Centro da testa e cor azul escuro – energia da sabedoria.

No 7º chakra – Nota SI. Topo da cabeça e cor violeta. Energia da Percepção divina.

Você ouviu claramente, em razão das pausas, a mudança dos chakras e das tônicas musicais. Esta música equilibra o seu organismo por dentro (órgãos, ossos, nervos, etc) e por fora: é um banho de energias polivalentes. Você poderá escuta-la deitado e na posição “de sola”, como chamou o Dr. Steven Halpern: deite-se com os pés virados para a caixa de som, os joelhos meio dobrados (almofada em baixo), toalha dobrada sob a nuca.

Uma outra variação de meditação – Meditação Centralizante – foi gravada também, com a voz do Dr. Louis Savary Ph.D, com os sete pedidos da “Oração do Senhor”.

Se quiser ficar em silêncio ouvindo a música, relaxadamente, receberá grandes benefícios, paz, tranqüilidade, sono tranqüilo e vitalidade… e mesmo alguns “insights”.
“O silêncio é o grande revelador”. Lao Tsu.

Músicas arquetipicamente poderosas que operam na alma:


Missa Solene de Beethoven
Poema do Êxtase de Secriabin
Grande Missa de Bruckner
Missa em Si Menor de Bach
A Oitava Sinfonia de Mahler
O Réquiem de Faurè
Morte e Transfiguração de Strauss
Cânon em Re de Pachelbel
Réquiem de Mozart
Ária da 4ª corda de Bach – A música perfeita, que Bach ouviu, segundo ele: no algures.

Liangong e os Sons dos Nossos Órgãos


CORAÇÃO
Víscera: intestino delgado
Som: HAWWWWWW
Emoções negativas: impaciência, arrogância, crueldade, violência, ansiedade
Emoções positivas: alegria, honra, sinceridade, criatividade, entusiasmo, luz, espírito.
Cor: vermelho
Elemento: fogo
Estação: verão
Fator clima: calor
Sabor: amargo
Extremidade: língua
Tecido: vascular

RINS
Víscera: bexiga
Som: WOOOOOOOOOO (soprando uma vela)
Emoções negativas: medo
Emoções positivas: atenção, firmeza, coragem
Cor: preto
Elemento: água
Estação: inverno
Fator clima: frio
Sabor: salgado
Extremidade: ouvidos
Tecido: osso

FÍGADO
Víscera: vesícula biliar
Som: SHHHHH (pedindo silêncio)
Emoções negativas: agressão, raiva
Emoções positivas: bondade, expansividade, individualidade
Cor: verde
Elemento: madeira
Estação: primavera
Fator clima: vento
Sabor: azedo – ácido
Extremidade: olhos
Tecido: tendão

BAÇO/ESTÔMAGO
Víscera: estômago
Som: WHOOOOOOO
Emoções negativas: preocupação, piedade, compadecimento
Emoções positivas: justiça, compaixão, musicalidade, eixo
Cor: amarelo
Elemento: terra
Estação: fim de verão
Fator clima: úmido
Sabor: neutro
Extremidade: boca
Tecido: músculo

PULMÃO
Víscera: intestino grosso
Som: SSSSSSSSSSSS
Emoções negativas: tristeza, mágoa, pesar
Emoções positivas: confiança, correto, perdão
Cor: branca
Elemento: metal
Estação: outono
Fator clima: seco
Sabor: picante, pungente
Extremidade: nariz
Tecido: pele e pelos

TRIPLO AQUECEDOR
Som: SHEEEEEEEEE
O triplo aquecedor consiste-se em três centros de energia do corpo. O NÌVEL SUPERIOR é quente e abrange cérebro, coração e pulmão. O NÍVEL MÉDIO é morno e abrange fígado, rins, estômago, pâncreas e baço. O NÍVEL INFERIOR é frio e abrange intestino grosso, intestino delgado, órgãos sexuais. Não há cor elemento, estação e sabor associados.

FONTES:
– Som/Saúde – autores: Dr. Steven Halpern Ph.D e Dr. Louis Savary Ph.D
Editor:Tekbox Produtos de Alta Tecnologia Ltda
– Várias outras fontes e o Centro de Medicina Chinesa.

Na beleza da natureza

•abril 25, 2009 sábado • 1 Comentário

… alguns conselhos, linda música e belas imagens.

Confesso não consegui escolher uma imagem para ilustrar.

Espero que desfrutem…

Fauna

clique para abrir o arquivo power point

Cidades em Transição – Transition Towns

•abril 24, 2009 sexta-feira • 6 Comentários

Cidades em Transição

Transition Towns

O mundo em transição – O movimento inglês Transition Towns, criado e disseminado pelo inglês Rob Hopkins, transforma cidades em modelos sustentáveis e independentes de crises externas.

Fonte:Entrevista com o permaculturista Rob Hopkins, criador do movimento Transition Towns (Cidades em Transição)

Imagine cidades inteiras sustentáveis, baseadas no comércio local, independentes do petróleo e de importações de alimentos. Pois elas já existem graças à visão e ação de Rob Hopkins, criador do movimento Transition Towns (Cidades em Transição). Assustado com a dependência exterior do Reino Unido em combustível e alimentação e sabendo que esse cenário de mudança climática e escassez de petróleo só irá piorar nos próximos anos, Rob decidiu que apenas suas ações individuais como permaculturista não iriam bastar.  Matéria de Thais Oliveira / Edição de Mônica Nunes, no Planeta Sustentável.

Com a sua vasta experiência em ecovilas e como professor de universidade, construiu um plano de mudança com o objetivo de alcançar a resiliência que, neste caso, significava a capacidade de sobreviver a choques externos como a escassez do petróleo, crises na produção de alimentos, falta de água e energia. Incluiu, nesse plano, todos os setores da sociedade – governo, setor privado e cidadãos – e todos os aspectos da vida cotidiana – saúde, educação, transporte, economia, agricultura e energia.

Sua primeira vitória foi em 2005, em Kinsale, na Irlanda, onde ensinava na universidade local, com a histórica decisão que levou o município todo a adotar o movimento como seu plano de gestão. Hopkins mudou-se então para Totnes, na Inglaterra, e transformou-a em vitrine do movimento. Devagar, a cidade de 8 mil mil habitantes pretende chegar em 2030 totalmente transformada e independente. Hoje já são mais de 110 cidades, bairros e até ilhas em 14 países do mundo convertidas na Transição.

O conceito é simples – apesar de trabalhoso – e flexível. Segundo Hopkins, cada comunidade adapta os doze passos iniciais do movimento à sua realidade e capacidade. Esses itens são apenas guias de como começar a quebrar a nossa dependência do petróleo, revendo os modelos de economia, comida, habitação e energia. Assim, essas cidades funcionam tanto no Japão quanto nos Estados Unidos ou no Chile. A idéia é parar de depender – ou depender minimamente – da tecnologia e voltar ao tempo onde não precisávamos de geladeiras, carros, tratores e aviões. Técnicas e conhecimentos dos nossos avós e ancestrais são valorizados e resgatados.

Uma das frentes do movimento reeduca a população e estudantes em aptidões como costura, gastronomia, agricultura familiar, pequenos concertos e artes manuais como marcenaria. Iniciativas incluem a criação de jardins comunitários para plantio de comida, troca de resíduo entre indústrias ou simplesmente o reparo de itens velhos, ao invés de jogá-los no lixo. O investimento em transporte público e a troca do carro pela bicicleta é inevitável para a redução das emissões de carbono. Em Totnes até uma nova moeda – a libra de Totnes – foi criada para incentivar e facilitar transações com produtores locais.

Diferente dos fatalistas que prevêem o fim do mundo em 2012 ou quadros horríveis de fome, seca e morte, os adeptos do Transition Towns têm uma visão realista, mas positiva, do futuro. Acreditam na ação transformadora de comunidades e no trabalho pesado para mudar as estatísticas. Em entrevista exclusiva ao Planeta Sustentável, Rob Hopkins fala sobre a origem permaculturista do movimento e de seu futuro.

Como surgiu a idéia do Transition Towns?

Toda a idéia do movimento surgiu através do meu trabalho como permacultor e professor de permacultura nos últimos dez anos. Quando comecei a me aprofundar sobre a crise de combustível e mudança climática, as ferramentas de resposta sobre o assunto eram as de permacultura. Mas o que eu percebi é que, apesar de a permacultura ser o sistema de design ideal para isso, o movimento é ainda muito pouco conhecido e tem quase uma aversão embutida ao mainstream. Por isso, o que quis fazer através do Transition foi criar um modelo em que a permacultura fosse implícita ao invés de explícita, que ela estivesse escondida dentro do processo para que as pessoas a descobrissem se assim a desejassem.

Como você definiria o movimento?

Ele ainda está numa fase inicial de implementação, ainda é muito novo, mas é muito simples. É um modelo de doze passos que leva ao processo de quebra da dependência de combustível. E, assim, abrange tudo: comida, economia, moradia e por aí vai. É aplicar os princípios de permacultura para esse objetivo de independência, mas com a esperança de abranger muito mais pessoas, em todos os setores, não somente os que originalmente se interessariam pelo assunto. O movimento quer ser positivo e focado, mas também muito inclusivo. Ele tenta apelar para todos igualmente. E acho que aí está a chave de seu sucesso.

Você conseguiu um fato inédito de incluir governo, comércio, todos os setores nos planos das cidades. Como isso foi feito?

Com muito trabalho de persuasão e organização. É muito difícil, mas precisava acontecer. A permacultura precisava avançar muitos passos e rapidamente porque segura peças importantes do quebra-cabeças que vão ser os próximos dez anos. Não temos muito tempo a perder.

Já são mais de 110 comunidades engajadas no movimento, mas apenas uma na América Latina: no Chile. Você acha mais difícil os países em desenvolvimento se engajarem?

No Brasil, existem algumas pessoas interessadas no movimento, mas esse interesse ainda está no nível do contato e não da participação ativa. Acho que os desafios são diferentes porque o que focamos é a idéia de ser resiliente, ou seja, a necessidade de reconstruir o modelo de sociedade. Aqui no Reino Unido, por exemplo, nós desmontamos tudo e acabamos com a possibilidade de nos mantermos de forma independente. Nós nos tornamos dependentes do comércio internacional e compramos o que queremos pelo menor preço possível de outros países. Com isso, nos isolamos e nos colocamos no lugar mais perigoso que existe.

Nos países em desenvolvimento ainda há mais independência, mas isso começa a ser desvalorizado, a se perder e a ser destruído. Acho que, nesse caso, a primeira coisa a fazer é colocar o valor de volta na produção de alimentos e nos conhecimentos tradicionais, porque, quando perdemos o valor nessas áreas, é muito difícil recuperar. Mas o movimento se traduz para todos os tipos de sociedade e casos. Não é rigoroso, é apenas um conjunto de princípios que pode ser adaptado a cada realidade, a cada cultura e contexto. É mais um convite do que um modelo rápido e duro.

Quais são os novos desafios do Transition Towns?

Estamos desenvolvendo um modelo de treinamento, um curso de dois dias em que as pessoas aprendem tudo o que precisam para começar a transformar suas comunidades. Esse treinamento é uma organização que está formando grupos de treinadores em todo o Reino Unido e começa a atuar, também, nos Estados Unidos, Canadá, Japão, Austrália e Nova Zelândia. Também estamos começando a dar consultoria para empresas em como elas podem ser mais independentes de combustível e mais sustentáveis. Trabalhamos também com o governo local para encontrar soluções. Assim, enfrentamos todas as frentes: sociedade, comércio e governo. Além disso, o “The Transition Handbook – from oil dependency to local resilience” (Ed. Green Books) está sendo traduzido em várias línguas e pode ser comprado através do nosso site.

* Matéria do sítio Planeta Sustentável, enviada por Edinilson Takara, leitor e colaborador do EcoDebate.

[EcoDebate, 22/04/2009]

PRATA COLOIDAL

•abril 24, 2009 sexta-feira • 97 Comentários

Água com Prata Coloidal

Veja atualização no final, como preparar a Prata Coloidal

Fontes na internet:

[PDF]Livro sobre a Prata Coloidal

Saúde Perfeita

Medicina Complementar

Processo da prata coloidal  – Wikipédia

Nova Ciência

Desmistificando o processo de produção da prata coloidal

Algumas informações fornecidas em [1].

Há alguns anos, os pesquisadores das grandes indústrias farmacêuticas vêm detectanto sinais progressivamente mais claros e recorrentes de um fenômeno da maior importância: as bactérias, fungos e vírus, que antes eram facilmente controlados pelo emprego de antibióticos, estão criando suas próprias defesas contra esses medicamentos específicos, que acabam invalidando os antibióticos, tornando-os não efetivos.

As novas cepas, as novas linhagens de germes, estão procedendo a uma impressionante ofensiva, invadindo campos que deveriam ser interditados ou proibido para eles, como hospitais, clínicas, consultórios médicos e odontológicos, laboratório de análises clínicas e assim por diante. O Streptococcus Aureus, por exemplo, já se tornou resistente ao mais poderoso antibiótico conhecido e as infecções por ele geradas já estão intratáveis (vide “Scientific American“, 1998). E, de nada adianta tentar produzir antibióticos ainda mais fortes, porque os microorganismos voltarão a sofrer novas mutações ou desenvolverão novos mecanismos para desativá-los.

É evidente que temos que procurar alguma nova alternativa. Quando começamos a estudar essa questão, apareceu a pergunta: O que se utilizava antes do aparecimento dos antibióticos? A pesquisa mostrou que a Medicina utilizava a Prata Coloidal como germicida e poderoso esterilizante.

De acordo com os estudos efetuados no começo do Século XX pelo Dr. Henry Crooks e pelo Dr. Alfred Searle, este último fundador do conglomerado farmacêutico do mesmo nome, a Prata Coloidal possui um extraordinário poder germicida, exterminando cerca de 650 tipos de bactérias, vírus e fungos, mas de maneira definitiva e isso em apenas 5 a 6 minutos. Com mais uma grande vantagem: não permite que se criem linhagens de germes resistentes, como está acontecendo no caso dos antibióticos.

Às vezes, quase sempre, resulta muito proveitoso verificar como trabalhavam nossos antepassados, tanto ps recentes. como os mais antigos (como os construtores das pirâmides…). Assim, por exemplo, os russos voltaram a estudar os grandes matemáticos desde a mais remota Antiguidade e descobriram verdadeiros tesouros, como os trabalhos do matemático inglês Whittaker que, em 1903-1904, publicou seus estudos, mostrando que todas as ondas, não importando o tipo, são duplas. E, sobre isso, fundamentaram a construção do mais fantástico sistema de armas, conhecido como Armas Escalares.

A Prata Coloidal, de acordo com a literatura antiga, é altamente efetiva contra infecções por germes que podem gerar moléstias muito perigosas. Pedimos ao Instituto Afolfo Lutz, em São Paulo, para efetuar um teste para comprovar o poder bactericida da Prata Coloidal produzida pela máquina MDS-11, fabricada por nós. Como o laudo comprova (no livro tem uma cópia desse laudo), o teste foi efetuado em 500 ml (mililitros) de água filtrada, sem cloro (Cl), contendo 10.000 Escherichia Coli por ml, 100.000 Streptococcus Faecalis por ml e 1.000 Vibrio Cholerae por ml. Nessa água, foram imersos os eletrodos geradores de Prata Coloidal (MDS-11), por dez minutos. Após esse tempo de contato, uma alíquota de 100 ml foi transferida para um frasco âmbar por um período de trinta minutos. Transcorrido esse tempo, as semeaduras realizadas, nas condições laboratoriais do experimento, revelaram:

a. Ausência de E. Coli/ml
b. Ausência de S. Faecalis/ml
c. Ausência de V. Cholerae/ml

Fica, portanto, comprovado que a Prata Coloidal destruiu completamente os microorganismos patogênicos presentes na água, confirmando o poder bactericida anunciado na numerosa literatura médica que trata desse assunto.

Algumas das moléstias em que o uso da Prata Coloidal já foi mostrado ser muito efetivo:

Acne
Antrax
Apendicite
Câncer de Pele
Cândida Albicans
Catarro
Cistites
Cobreiro
Coceira Anal
Colite
Conjuntivite
Coqueluche
Dermatites
Desordens da Próstata
Desordens Intestinais
Diabetes
Diarréia
Disenteria
Doença de Chagas
Doença de Menière
Doença dos Legionários
Eczema
Envenenamento do Sangue
Escarlatina
Febre Paratiroidea
Fendas nos Pés (Frieira)
Fibrosamentos
Gastrites
Gonorréia
Gripe
Hemorróidas
Herpes
Impetigo
Infecção da Bexiga
Infecções da Tromba de Eustáquio
Infecções por Cryptosporidium
Infecções por Salmonella
Infecções por Stafilococcus
Infecções por Streptococcus
Lepra
Lesões
Lúpus
Malária
Meningite
Oftalmia
Oitites
Pé de Atleta
Piorréia
Pleurisia
Pneumonia
Poliomielite
Psoríase
Queimaduras
Queimaduras Solares
Queratite
Reumatismo
Rinites
Seborréia
Síndrome da Fadiga Crônica
Septicemia
Sífilis
Tétano
Tinha Rosácea
Tifo
Tonsilites
Tuberculose
Úlceras
Úlcera Péptica
Verrugas

Embora impressionante, essa lista é apenas parcial e é uma amostra da extraordinária eficácia da Prata Coloidal no controle das infecções de maneira geral, o que a torna, literalmente, muito preciosa para consultórios médicos e odontológicos, laboratórios de análises clínicas, hospitais, clínicas terapêuticas, clínicas de acupuntura, ginásios de esportes e academias de ginásticas e, em geral, para toda a população que poderá se beneficiar desse fantástico material, produzindo-o em suas próprias residências, a um custo ridículo de alguns centavos por litro de água.

Pode-se perguntar: Como utilizar a Prata Coloidal? Aqui vão algumas sugestões. Caso queira usá-la para esterilização caseira, poderá produzí-la a partir da água de torneira. Mas se quiser para uso interno (beber), será melhor utilizar água destilada, que pode ser comprada em qualquer farmácia.

A solução mãe, produzida pelo aparelho, pode ser adicionada à água local, quando você estiver viajando ou acampando. Cicatriza rapidamente pequenas feridas, sem deixar marcas (cicatrizes). Esteriliza, com segurança, desde escovas de dentes até instrumentos cirúrgicos. Pode-se fazer seu uso tópico em cortes, feridas, abrasões, rachaduras, queimaduras solares, cortes ao barbear e bandagens. Pode ser pulverizada sobre o lixo, prevenindo ou reduzindo odores de putefração. Umedecendo esponjas de cozinha, toalhas, facas, garfos, etc. pode-se eliminar a E. Coli e a Salmonella que poderiam envenenar alimentos, originar infecções gastrointestinais e infecções genito-urinárias.

Quando estiver engarrafando, enlatando ou preservando algo, use Prata Coloidal, adicionando-a ao produto. O leite demorará mais para fermentar, a deteriorar-se e levará mais tempo para coalhar ou talhar.

Pulverize em sapatos (para combater o “chulé”), nas meias, nas virilhas, para eliminar coceiras e pé de atleta, fungos e coceiras no ânus. Diminui a caspa, a psoríase, as rachaduras da pele… Pulverize, como desodorante, as axilas, para combater o odor desagradável que costuma vir dessa região, quando suada (algo semelhante pode ser obtido usando água oxigenada nessa região).

Poderá adicioná-la à água do banho, gargarejar, fazer pulverizações nasais ou usá-la para limpeza dos dentes. Corta, dramaticamente, a duração dos resfriados, coriza, gripe ou pneumonia, infecções das vias respiratórias em geral, viroses da sinusite e infecções nos olhos (uso como colírio) e nos ouvidos. Pulverize todos o seu corpo após o banho, deixando secar naturalmente e use contra fungos nas unhas das mãos e dos pés.

Ela ajuda a neutralizar a deterioração dos dentes e do mau hálito. A Prata Coloidal destrói a halitose, eliminando as bactérias no fundo da garganta e na parte de trás da língua. Coloque algumas gotas em band-aids ou bandagens, para reduzir o tempo de cura. As dores de dentes, feridas na boca (aftas) e irritações bacteriológicas diminuem. Mergulhe as dentaduras na Prata Coloidal. Borrife a geladeir, o freezer e os recipientes destinados a conservar alimentos, eliminar odores e evitar que a comida se estrague ou fique rançosa.

Molhe os pentes e os potes de cremes para prevenir o crescimento bacteriano; adicione às maquiagens à base de água, à cola do papel de parede, à máquina de lavar pratos, às soluções usadas para limpeza e borrife nos pelos dos animais domésticos, deixando secar naturalmente.

Pulverize sobre o topo dos potes abertos de geléias, de condimentos e no interior das tampas, antes de fechá-los. Misture um pouco na água do cachorro/gato, do passarinho e no vaso de flores. Pulverize muito bem os filtros de ar condicionado para limpá-los. Limpe os dutos de ar de ventilação, com esfregão e Prata Coloidal, para evitar a formação de pontos de crescimento dos germes. Não fazer isso já matou muitos executivos, o mais famoso tendo sido o Ministro Sérgio Motta, morto por infecção pela Doença dos Legionários contraída pela prolongada exposição ao ar condicionado de seu escritório. Como se sabe, não foi possível reverter a doença no caso dele.

Use, rotineiramente, na água de lavagem final da roupa e sempre antes de guardar roupas sazonais. Toalhas de rosto e de banho não terão odores e nem estragarão. Elimine microorganismos indesejáveis em terras de plantação e em sistemas hidropônicos. Borrife na folhagem das plantas para eliminar fungos, vírus e muitas doenças que aparecem nos vegetais.

Trate piscinas, fontes, umidificadores, jacuzzis, tubulações de água quente, lavadoras de pratos. Limpe e esterilize o chuveiro, uma das fontes de crescimento bacteriano.

Umedeça com Prata Coloidal, frutas e vegetais antes de usá-los ou guardá-los. Use-a na água para cozinhar. Os xampus para pessoas ou animais tornam-se desinfetantes, quando a adicionamos. Preserve da ruína os tapetes, as cortinas e os papéis de parede. Molhe os telefones, os microfones, os auriculares, aparelhos de surdez, armações de óculos, escovas para cabelos e travesseiros de doentes, suas toalhas e lençóis de cama.

Literalmente, existem milhares de outras utilizações para a Prata Coloidal, para as quais você poderá executar sua capacidade inventiva [Obs: as “baixelas de prata” tornaram-se uma tradição, porque a prata ajuda a preservar o alimento colocado sobre elas…].

A Prata Coloidal é inodora, incolor, sem sabor, totalmente benéfica, poderoso germicida ,desinfetante não tóxico e agente altamente eficiente na preservação da saúde.

A Prata Coloidal e as Células-Tronco

Um trabalho bem recente mostra que qualquer ser vivente é capaz de produzir suas próprias células-tronco para usá-las onde forem necessárias em seu organismo, desde que haja presença de íons de Prata (Ag) no seu corpo.

Trata-se de uma técnica absolutamente nova e surpreendente, que poderá beneficiar milhões de pessoas no tratamento de suas próprias doenças, sem ter de enfrentar os astronômicos custos que a técnica atual, baseada em embriões, impõe.

Nos últimos tempos, os recentes estudos do vasto campo da Medicina, têm dado uma ênfase especial às chamadas células-tronco. Mas, antes de apresentar os surpreendentes e maravilhosos resultados obtidos por esses estudos, tratemos de entender alguns termos utilizados pelos médicos e pesquisadores a respeito dessas células. O que se entende por células-tronco? Sabemos que, normalmente, uma célula só pode reproduzir o tipo de célula a que pertence. Por exemplo, uma célula do fígado só poderá reproduzir uma célula do fígado, uma do coração só poderá produzir outra célula do coração, e assim por diante. É como se a célula de um determinado órgão tivesse uma assinatura própria que a obriga a reproduzir outra com a mesma assinatura.

Uma célula-tronco é um tipo de célula que não possui assinatura e pode produzir qualquer tipo de célula, da pele, do osso, do coração, do pâncreas e assim sucessivamente. Ela pode transformar-se em qualquer célula.

Mas, vamos entender melhor e, para isso, é necessário que saibamos quais as diferenças entre células-tronco, células indiferenciadas e células dediferenciadas. As células-tronco não se convertem facilmente em qualquer célula e, geralmente, são provenientes de um embrião, um feto ou um cordão umbilical. As células indiferenciadas vem da medula dos ossos, preferencialmente do fêmur. As células dediferenciadas são células que foram diferenciadas, como as células vermelhas do sangue, células da pele, células dos músculos, mas que se transformaram em células indiferenciadas. Agora, elas podem se transformar em qualquer tipo de célula que seja necessária.

O que distingue esses três tipos de células é a sua história. Todas são como células-tronco e possuem o DNA (ADN) das pessoas que as produz (doador). Algumas pessoas têm produzido embriões com a única finalidade de utilizar as células-tronco para ajudar alguém doente. Mas embriões também são produzidos por laboratórios, com a mesma finalidade, e isso tem se transformado em fonte de acalorados debates éticos.

Porém, para que as células-tronco possam ser utilizadas, seu DNA (do doador) e o do ser humano que vai usá-las (o receptor) devem ser tão próximos quanto possível. Mas, o sistema imunológico (do receptor) tende a rejeitar as células-tronco, porque estam possuem um DNA diferente do DNA do organismo do receptor. Por isso, normalmente, o sistema imunológico do receptor deve ser suprimido indefinidamente (para que não ocorra a rejeição usual). Este é um dos grandes problemas que as células-tronco devem enfrentar. No entanto, o sonho de qualquer pessoa é conseguir ter um forte sistema imunológico.

Surge, então, o dilema. Para poder utilizar o extraordinário poder de cura das células-tronco, deveremos barganhar nosso sistema imunológico, ficandona dependência de tratamentos indefinidos através de remédios (para não ter rejeição) para substituí-lo?

Sem as células-tronco, o organismo só pode se curar utilizando as células já presente do mesmo tipo de tecido. Se parte desse tecido for retirada, o tecido curador só pode crescer a partir do tecido ainda restante no organismo.

Mas, no esforço para reparar algum dano, quando nãofor possível cura apropriada, aparecem as cicatrizes, nas quais as células do novo tecido aparecem deformadas; isso só permite a formação de mais células deformadas e, dessa forma, as cicatrizes tendem a permanecer indefinidamente. Temos alguma maneira de evitar isso? Tudo indica que sim, e a magia chama-se Prata (Ag).

Em 1998, apareceu uma obra [2], que logo virou best-seller, do médico pesquisador norte-americano Robert O. Becker, junto com o co-autor Gary Selden. Neste livro, o Dr. Becker revela que, após sete anos de pesquisas, ficou claro que a cura de fraturas ósseas poderia ser conseguida com a utilização de fraquíssimas correntes elétricas contínuas entre dois eletrodos, um positivo e outro negativo. São correntes da ordem de picoampères. Esse cientista experimentou com eletrodos de vários tipos de metais, como Ouro (Au), Platina (Pt), Titânio (Ti), aço inoxidável e Prata (Ag) e notou que os melhores resultados apareciam quando se utilizava eletrodos de Prata. Então, ele resolveu descobrir o porque disso.

Ele achou que, ao utilizar eletrodos de Prata, os íons que se desprendiam do eletrodo positivo eram os responsáveis diretos pelo aumento dramático da velocidade de restauração da saúde do paciente. Dessa forma, o Dr. Becker mostrou que “em presença de íons de Prata, o organismo humano pode produzir todas as células-tronco que precisar. Sem íons de Prata, nada disso acontece“.

Em 1880, George Bredig inventou o método de produção dos íons de Prato por eletrólise (Método Bredig), que foi denominado de “Prata Coloidal Iônica”. É opinião médica corrente que as células vermelhas do sangue não podem sofrer dediferenciação, porque não possuem núcleo. O Dr. Becker concordava com isso, mas acabou descobrindo que a maioria das células-tronco, que ele produzia em pequenas quantidades, era proveniente de células vermelhas.

Estudos mais profundos mostraram que, antes de ser células vermelhas do sangue, as células possuem um núcleo. No processo de dediferenciação, a célula vermelha primeiro redesenvolve seu núcleo e, depois, fica dediferenciada. Portanto, quando se forma uma cicatriz, existem células suficientes para serem dediferenciadas, mas, nem sempre isso acontece. Elas só se diferenciam na presença de íons de Prata. De acordo com o Dr. Becker, apenas arranhamos a maravilha que é a Prata Coloidal que, segundo ele, constitui a varinha mágica da cura em grande parte de infecções de todo tipo de bactérias e estimula a formação da pele e de outros tecidos moles.

Segundo o Dr. Becker, a técnica do uso da Prata Coloidal permite produzir grande número de células dediferenciadas, mas é importante notar que tais células possuem o mesmo DNA do paciente (são geradas pelo próprio paciente!), não havendo problemas de rejeição. Portanto, não se justifica todo o alarde para produzir células-tronco a partir de embriões, com todas as objeções da ética ligadas a isso.

A Prata Coloidal (dissolvida em água) também pode ajudar muito na luta contra o câncer. Segundo o pesquisador Gerry Smith, que tinha chegado às mesmas conclusões do Dr. Becker, independentemente, “o sucesso no tratamento do câncer depende da presença da Prata no corpo do paciente. Quando a Prata está presente, as células do câncer dediferenciam e o corpo físico fica curado. Quando não há Prata, o câncer continua crescendo, porque as células não podem dediferenciar. Eu suspeito que a deficiência em Prata seja uma das razões da existência do câncer e de seu tão rápido crescimento“.

As experiências mais recentes sobre as células-tronco têm evidenciado resultados dramáticos e parece que o problema principal reside na obtenção de muitas células-tronco. O uso da Prata Coloidal permite ao organismo de qualquer pessoa produzir suas próprias células-tronco em sua residência e sem enfrentar elevadas despesas médicas e hospitalares, e sem enfrentar rejeições.

A maioria dos médicos recebe quase todas suas informações dos grandes conglomerados farmacêuticos produtores de drogas e medicamentos, que não têm qualquer interesse em permitir que a população saiba como produzir células-tronco facilmente em sua casa e com segurança. Se isso acontecer, todo o mundo científico médico/farmacêutico poderia perder bilhões de dólares em lucros (com suas patentes, já que a prata coloidal não pode mais ser patenteada).

Por causa disso, cria-se um estardalhaço sobre a Argiria, segundo a qual o uso (excessivo) da Prata Coloidal daria uma coloração azulada à pele. Mas, onde estão esses tais de “homens azuis”? Seria preciso beber água com muita Prata Coloidal por muitos dias seguidos, o que não é absolutamente necessário no caso da obtenção das células-tronco (Costuma acontecer algo semelhante com a cenoura: quem toma suco de cenoura por muitos dias, fica com sua pele com cor de cenoura; isso não quer dizer que a cenoura faça mal à saúde…).

Vejamos uma pequena comparação entre Prata Coloidal e Antibióticos:

1. Prata: Não há registros de efeitos nocivos; Antibióticos: 100.000 a 300.000 reações negativas por ano, das quais 30 a 50% são fatais (levam à morte).

2. Prata: Usuários e pesquisadores relatam resultados altamente efetivos para infecções por bactérias, vírus (lembrar que a Aids está associada a um tipo de vírus) e fungos; Antibióticos: Geralmente, altamente efetivos somente para bactérias específicas. Alguns são efetivos para a maioria das bactérias (de “espectro amplo”). Sem efeito em fungos e vírus.

3. Prata: Leva à cura acelerada; Antibióticos: Sem efeito para obter cura.

4. Prata: Reduz cicatrizes; Antibióticos: Sem efeito em cicatrizes.

5. Prata: Sem registro de imunidade patogênica desenvolvida (pelos microorganismos patogênicos) em milhares de anos de seu uso; Antibióticos: Comumente, os patógenos desenvolvem imunidade, com 40.000 mortes por anos, apenas na América do Norte.

6. Prata: Não se conhece problemas de overdose; Antibióticos: A dosagem deve ser feita com cuidado (pois é uma substância anti-vida, como o próprio nome indica).

7. Prata: Não precisa de prescrição médica; Antibióticos: Apenas disponível por prescrição médica (por ser uma substância perigosa).

8. Prata: Geralmente, funciona sem diagnóstico exato; Antibióticos: Requer diagnóstico exato, para sua prescrição.

9. Prata: Faz o corpo do paciente produzir células dediferenciadas (células-tronco), quando elas forem necessárias; Antibióticos: Não têm qualquer efeito sobre células dediferenciadas.

A Prata Coloidal e o Meio Ambiente

Ao contrário de qualquer outro produto fabricado pelo homem que combate as bactérias, a Prata (Ag) é um elemento mineral encontrado rotineiramente na natureza. Portanto, a volta de alguns átomos de prata, presentes na solução aquosa de prata coloidal, para a natureza não irá perturbar em nada o meio ambiente.

O mesmo não se pode afirmar com relação a praticamente todos os produtos fabricados pelo homem. Os produtos anti-vida dos antibióticos que usamos, por exemplo, vão parar nos esgotos – via urina – e acabam chegando aos mananciais de água (subterrâneos ou das represas de abastecimento público) que nós iremos usar novamente, para beber, cozinhar nossos alimentos ou nos banhar. Afinal, as mesmas moléculas de água que nós usamos hoje em dia, também foram usadas pelos dinossauros, há milhões de anos atrás, não é mesmo? O problema são as inúmeras substâncias venenosas, que nós fabricamos, e que “grudam” nas moléculas de água (na realidade, são transportadas pela água) que nós utilizamos. Outro exemplo, são as substâncias anti-vida das pílulas anti-concepcionais utilizadas por grande parte das mulheres atuais, que acabam indo para o esgoto, via urina, e que acabamos inserindo em nossos corpos novamente (via bebida, alimentos cozidos e banhos), pela utilização da água municipal distribuída ao público. Isso ocorre porque o sistema público de tratamento de água não tem condições que testar as milhões de substâncias perigosas que vão parar nos rios que abastecem as represas que fornecem água à população, além de – nesses mesmos tratamentos públicos – várias substâncias venenosas são introduzidas propositalmente na nossa água, como o cloro, o flúor e o alumínio, com as mais nobres intenções [respectivamente, “matar microorganismos patogênicos”, “proteger nossos dentes” e “tornar a água menos salobra, menos dura”].

A “Prata Coloidal Iônica” não é tóxica em qualquer nível e é saudável para qualquer ser vivente. Ela atua no ambiente e substitui traços de outros minerais que estão ausentes no solo. Plantas e árvores ficam mais saudáveis e crescem mais depressa quando borrifadas com ela. As sementes produzem mais e ficam mais saudáveis. Se a prata coloidal for utilizada em animais, através da água que eles bebem, eles ficam livres de doenças e crescem mais. Os peixes que receberam prata coloidal se recuperaram de doenças e ficaram mais ativos. As nossas feridas e nossas queimaduras saram em tempo muito mais reduzido, sem infecções, nem cicatrizes. Nunca foi possível observar qualquer nível tóxico.

Por sua vez, os antibióticos matam certas bactérias, às vezes um amplo espectro bacterial e, geralmente, algumas ou todas as bactérias benéficas ao nosso organismo, mas permanecem sem efeito sobre mofos, fungos e leveduras. Ao contrário, a prata mata 94% das bactérias patogênicas, mofos, leveduras e vírus (lembrar que Aids está associada a um vírus).

Atualmente, gastam-se bilhões de dólares em milhares de produtos para matar todo tipo de bactérias e alguns vírus e fungos, usando desde sabonetes até antibióticos. Isto cria um problema agudo, porque as bactérias adaptam-se ao ambiente que o homem cria para elas, com medonhas consequências. Diariamente, essas mutações são combatidas por milhares de médicos que gastam bilhões de dólares e perdem enorme número de vidas.

As companhias farmacêuticas respondem, produzindo novos tipos de antibióticos; as bactérias nunca desenvolveram resistência à Prata, durante milhares de anos.

Sabonetes antibacterianos e detergentes geram um enorme risco para o meio ambiente. A aliança para o uso prudente de antibióticos declara: “O uso exagerado do Triclosan nos sabonetes antibacterianos pode promover a resistência ao Triclosan. Esses sabonetes difundem-se em nossos ambientes e em nossa água, afetando negativamente todo o ecossistema e impedindo o tratamento correto do esgoto“.

Os produtos antibacterianos são poderosos agentes químicos e possuem perigosos efeitos colaterais e as bactérias que conseguem resistir a eles formam mutações que não são mais afetadas por esses produtos. Eles são fortemente poluidores de nossas águas subterrâneas e nossas águas potáveis. E matam formas de vida essenciais para nosso ambiente.

Nosso organismo é completamente dependente de bactérias “boas” para a vida. Os antibióticos as matam indiscriminadamente, o que gera sérios problemas de saúde. Às vezes, repentinamente, nós desenvolvemos alergias muito fortes aos antibióticos, o que torna perigoso adicionar mais antibióticos em sabonetes que já os possuem.

E tem mais!

Os antibióticos, no solo, contaminam nossas fontes subterrâneas e matam todas as bactérias benéficas à produção de alimentos orgânicos.

São muitas as razões para que você, querido leitor, comece a utilizar a prata coloidal para si e para seus entes queridos. Poderá desta forma substituir e, muitas vezes, eliminar a necessidade de usar antibióticos. Agora você tem a informação! Use-a com sabedoria!

Referências:
[1] Salvatore de Salvo e Mara Teresa de Salvo, Novos Segredos da Boa Saúde, Editado pela Biblioteca 24×7 [ http://www.biblioteca24x7.com.br ], São Paulo-SP, novembro 2008.
[2] Robert O. Becker e Gary Selden, The Body Electric: Electromagnetism and the Foundation of Life, Quill-William Morrow, New York, 1985.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

KEHOE, R.A. et al .:J Nutrients, 19 : 579, 1940.

KENT ,J.T .: Lectures on Homeopatic Materia Medica, Join Publishing Co., New Dehli , India , …. reprint, 1982.

MICHAELIS L.: The Effects of Ions in Colloidal Systems, Williams & Williams Co., …..Baltimore, M.D., 1925.

OSTWALD W.: Practical Colloid Chemistry, Metuen & Co. Ltd., London , UK , 1926.

SIMONETTI N. et al.:Eletrochemical Ag + for Preservation Use Applied and Environmental …..Microbiology , American Society for Microbiology, Washington , 1992, Vol. 58, nº 12 , pp. …..3834-3836.

*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*/*

Atualizando com informações coletadas pelo Enric da Comunidade 2012 GRUPO BRASIL – orkut

Extraido de sites, basta pesquisar .
O instituto ADOLPH LUTZ tambémr testou com sucesso 100 % em eliminar todas as bactérias de uma solução.

Para fazer a prata coloidal, voce vai precisar :

Duas peças de prata 0,999999 de pureza, se não for pura, voce vai contaminar a solução com outros elementos prejudiciais.
Podem ser duas láminas finas, ou tubular etc. Limpe polindo ou utilizando lixa fina para não perder muita prata.

3 baterias de 9 volts ligue em série, uma na outra (dá pra encaixar elas como um joguinho de lego duas em baixo e uma em cima encaixada no polo de uma e da outra. (alguém não entendeu) Liga positivo de uma no negativo de outra e os terminais negativo e positivo que sobrarem, vão produzir 27 volts. Eu pessoalmente uso um transformador de impressora, tem dois teminais e um deles dá 30 volts, se voce puder, corte os fios e meça entre eles qual o par que dá 30 volts.

200 ml de agua destilada . Compre em farmácia, não em posto de gasolina ! Vai saber, ou faça a sua própria com um destilador caseiro.

Mergulhe os fios de prata no copo de vidro, e com uma pinça em jacaré conecte aos pólos da bateria.

Se voce dobrar na borda do copo ou becker, você pode pinçar a borda e o fio ou eletrodo de prata que fica mergulhado na água , (é só fazer um gancho com o eletrodo de prata e pendurar na borda do copo, aí pinça com a garrinha jacaré (comprada em qualquer loja de eletrônica) (da até para amarrar o fio que vem das baterias no eletrodo …o nível de gambiarra e urgência voce decide.

Deixe a corrente fluir de 10 minutos até meia hora, você deve ir gentilmente mexendo a solução com um objeto de vidro (bastão de vidro) pode usar un termometro ou outro objeto DE VIDRO !!!!
A AGUA DEVE PARECER UM LEITE AGUADO

VOCE DEVE POR UMA OU DUAS COLHERES DE CHÁ NA BOCA, ESPERAR UM OU DOIS MINUTOS PARA QUE AS MUCOSAS ABSORVAM O PRODUTO E LOGO PODE ENGOLIR

EM CASO DE INFECÇÕES MAIS GRAVES.

O TRATAMENTO NORMAL É TRES VEZES AO DIA

EM CASO DE AFECÇÕES NOS PULMÕES OU CÂNCER E DOENÇAS MAIS GRAVES, VOCE PODE USAR A SOLUÇÃO NO INALADOR POR SEIS A SETE MINUTOS ..

ADEUS H1N1 E TODAS AS MALDITAS VIROSES E PARASITAS QUE VOCE POSSA TER !

O TRATAMENTO É RECOMENDADO DE FORMA PREVENTIVA TAMBEM OK !

A SOLUÇÃO QUE NÃO FOR USAR DEVE FICAR AO ABRIGO DA LUZ,
TAMBEM NAO PODE FICAR MUITO TEMPO ARMAZENADA POIS PERDE A EFICÁCIA, MELHOR FAZER QUANDO FOR UTILIZAR

OUTRA, CADA VEZ QUE FOR FAZER A SOLUÇÃO INVERTA A POLARIDADES DOS ELETRODOS PARA IR CONSUMINDO A PRATA POR IGUAL !!

Enric

Agradecemos a colaboração!

Mais informações:

http://www.4shared.com/file/155988404/be9cbb3/maquina_de_fazer_coloides.html

Agradecemos pela atualização com informações coletadas pelo Sandoval  da Comunidade 2012 GRUPO BRASIL – orkut

Mais um link: www.acquaprata.com.br/



					
				

Canola

•abril 23, 2009 quinta-feira • Deixe um comentário

Canola,

a planta que Deus não criou (*)

A canola é mais uma destas histórias atuais, que mostram como a ciência, afastada do comum das pessoas, se torna cúmplice de atitudes públicas, que podem ser perigosas para a saúde coletiva ou atenuar muitas dúvidas sobre produtos que se vestem com a roupagem de serem inquestionavelmente salutares.
Em primeiro lugar, é preciso estabelecer a seguinte questão: o que é canola, que, afinal, nem constava em enciclopédias (Comptons e Encarta de 96, Barsa 99)? Vejam só: Canola é um novo nome para a Colza. Colza? Novo nome? O que é isto afinal? Bem a Colza é uma planta do gênero brassica. As brassicas incluem um grande grupo de espécies, entre elas variadas espécies de mostardas, a colza, o repolho, o brócolis entre outras.

O óleo de colza foi utilizado como substrato de óleo lubrificante, sabões e combustível, e até para a fabricação de de inseticidas, (como outros óleos aproveitáveis pela indústria). No entanto o óleo de colza não poderia ser utilizado para alimentação humana pois tem qualidades tóxicas que são proporcionadas pela alta quantidade de ácido erúcico (e de glucosinalatos) que contém. O ácido erúcico é associado a distúrbios que afetam o coração.

No entanto, o fato de ter alto percentual de ácidos graxos monoinsaturados, e frente à onda de preocupação com as baixas taxas de ômega-3 na alimentação industrializada da sociedade atual, a possibilidade de se produzir e comercializar um óleo que pudesse ter o rótulo de saudável, naturalmente era tudo que as indústrias queriam. O óleo de oliva tem esses predicados, mas os bons óleos de oliva costumam ser caros para o consumidor.

A palavra Canola, é um acrônimo de CANadian Oil Low Acid (Óleo canadense com baixo teor de ácido, no caso ácido erúcico). Foi desenvolvido por plantadores canadenses, com pesquisas de aprimoramento genético convencional, e o padrão da semente, com no máximo 2% de ácido erúcico, foi desenvolvida em pesquisas da Universidade de Manitoba (Canadá). Esse nome foi patenteado pela associação de cultivadores canadense, o que valeu até 1999, quando passou a ser uma denominação genérica da variante brassica que atendesse as especificações sobre teor de ácido erúcico e outros componentes.

Mas como a canola ganha o mercado? Em meados da década de 80 vários estudos pareciam colidir com o conceito até então difundido de que os óleos poliinsaturados eram bons para a saúde, como a própria Associação Americana do Coração vinha divulgando. A indústrias ligadas à produção alimentar estariam entrando em situação bastante difícil. Retornar ao uso de gorduras tradicionais possivelmente não seria uma boa solução. Aí entram em cena a criatividade comercial em busca de um óleo rico em ácidos graxos monoinsaturados. A variante canadense têm alto teor de monoinsaturados e pode ser comparada com o azeite (óleo de oliva). Sua comparação aos benefícios do óleo de oliva é uma boa estratégia de venda: o óleo de oliva é bem mais caro, (embora a canola seja mais caro do que os outros óleos). Bom negócio, enfim. A indústria foi profícua em utilizar a preocupação com as pessoas em ter uma dieta saudável e a valorização da dieta estilo mediterrâneo que teria como maior virtude a presença de ômega-3, substância que também existe em boa quantidade no óleo de canola. Obviamente, os povos do mediterrâneo consomem mesmo é azeite (de oliva).

Bem, se você queria apenas utilizar alimentos que fossem benéficos para a saúde e ao mesmo tempo isento de controvérsias, talvez não fosse uma boa idéia escolher o óleo de canola. Esse produto aparece entre os profissionais de saúde como uma solução quase miraculosa como oferenda de boa saúde especialmente para o coração como um substituto de um produto tradicional como o azeite, e isento de quaisquer outros problemas que poderiam ser relacionados a outros óleos vegetais comuns na culinária e na indústria de alimentos. Porém há estudos que mostram que o excesso de consumo de gordura monoinsaturada pode também trazer problemas. É importante não se esquecer de ter em mente o contexto da tradição alimentar mediterrânea, e todos os outros aspectos de seu estilo de vida.

Mas o seu processo de produção também expõe as sementes a altas pressões e temperaturas, processo que pode gerar um percentual expressivo de gorduras tipo trans. Isso também acontecer durante a fase de desodorização do produto. Vão se oxidar em fritura como qualquer outro óleo. (Há textos na internet que relacionam uma série de problemas, mas boa parte desses artigos carecem de bons substratos de pesquisa).

Uma outra questão importante sobre a canola diz respeito ao tema transgênicos. Existem bons motivos para acreditarmos que essa preocupação não é um falso alarme. A Monsanto Canadense produz variações geneticamente modificadas de canola. Essa variante parece que facilmente contamina campos de canola convencional. Estimativas conservadoras indicavam que 65% da plantação de canola no Canadá seja transgênica. Um exemplo de problema que isso pode trazer para um agricultor pode ser visto na página de Percy Schmeiser e suas ações contra a Monsanto.

Outra questão muito mencionada em diversos artigos sobre a canola, incluindo os textos da Fundação Weston A Price, seria sobre os rumores de que a primeira liberação das novas sementes de colza pesquisadas no Canadá, teria sido auxiliada por um gasto do próprio governo do Canadá para sua regularização junto ao FDA americano. Esse órgão de controle deveria dar o certificado de GRAS (certificação de segurança para consumo alimentar) para a semente pudesse ser comercializada em território americano. (Especula-se em algo como 50 milhões de dólares). Se isso é verdade não saberemos ao certo. Mas como, infelizmente, temos motivos de sobra para desconfiarmos das ações dos grandes interesses comerciais, essa névoa dificilmente será esclarecida.

Enfim, novamente nos defrontamos com uma situação em que a mão do homem subverte o bom senso entre ciência e saúde, ao que parece porque os interesses econômicos são muito mais persuasivos que os interesses dos consumidores. Mais o pior é que não podemos contar com os meios de informação, que sistematicamente informam o que interesses maiores julgam mais oportuno.

O tema canola nos dá uma forte sensação de que sabemos apenas uma fração pequena do mundo obscuro do capitalismo científico, que pesquisa fontes de enriquecimento muito mais entusiasticamente do que as verdadeiras fontes de saúde, vida e paz!

Referências e observações:

(Efetivamente o agente mostarda é obtida de um espécie de brassica, mas não faz parte da espécie que foi modificada para a produção do agente mostarda, gás letal usado na Guerra.)

a.. O tema canola parece ser abordado com bastante lucidez na página: http://www.westonaprice. org/knowyourfats /canola.html

Há muitos artigos na internet sobre o tema. Infelizmente alguns links utilizados anteriormente não foram mais encontrados. Em todo o caso vale a pena olhar (sites em inglês):

a.. http://www.tetrahedron. org (The truth about canola oil);
a.. http://www.shirleys- wellness- cafe.com/ canola.htm parece estar sempre atualizado;
a.. http://www.percyschmeiser. com/ (sobre as ações desse agricultor contra a Monsanto canadense);
a.. http://www.dldewey. com/hydroil. htm (muita informação sobre gorduras vegetais e óleos comestíveis);
(Obs: O conteúdo do artigo foi modificado,substitu indo o anterior, em função de que muitas das informações anteriores não puderam ser confirmadas, muitas das páginas que haviam na Internet em 2002 e 2003, data que o primeiro artigo foi escrito já saíram do ar. Creio que o fato de haver expressões como aperfeiçoamento genético e pelo fato de ser uma época de grande debate sobre o tema trasgênicos tenha trazido à tona informações confusas e inspirarem artigos apressados e inconsistentes. )
(O texto foi atualizado de acordo com o que existe de disponível e de confiável sobre o grande número de artigos sobre o tema)

(*) por Dr. José Carlos Brasil Peixoto – médico

http://www.terraver di.com.br/ index.php? option=com_ content&task= view&id=90& Itemid=26

ODE aos GATOS

•abril 22, 2009 quarta-feira • 3 Comentários

ODE aos GATOS

180920080971Sim, este é o gato que me tem…

Os cães ‘pensam’ que seus ‘donos’ são ‘reis’, os gatos sabem que são eles os reis,  do ponto de vista de um gato, não somos nós que ‘temos’ gatos, mas os gatos que têm a nós …

Por Artur da Távola
Bichos polêmicos sem o querer, porque sábios, mas inquietantes, talvez por isso.

Nada é mais incômodo que o silencioso bastar-se dos gatos. O só pedir a quem amam. O só amar a quem os merece.

O homem quer o bicho espojado, submisso, cheio de súplica, temor, reverência, obediência. O gato não satisfaz as necessidades doentias do amor. Só as saudáveis.

Lembrei, então, de dizer, dos gatos, o que a observação de alguns anos me deu. Quem sabe, talvez, ocorra o milagre de iluminar um coração a eles fechado? Quem sabe, entendendo-os melhor, estabelece-se um grau de compreensão, uma possibilidade de luz e vida onde há ódio e temor? Quem sabe São Francisco de Assis não está por trás do Mago Merlin, soprando-me o artigo?

Já viu gato amestrado, de chapeuzinho ridículo, obedecendo às ordens de um pilantra que vive às custas dele? Não! Até o bondoso elefante veste saiote e dança a valsa no circo. O leal cachorro no fundo compreende as agruras do dono e faz a gentileza de ganhar a vida por ele. O leão e o tigre se amesquinham na jaula. Gato não. Ele só aceita uma relação de independência e afeto. E como não cede ao homem, mesmo quando dele dependente, é chamado de arrogante, egoísta, safado, espertalhão ou falso.

“Falso”, porque não aceita a nossa falsidade com ele e só admite afeto com troca e respeito pela individualidade. O gato não gosta de alguém porque precisa gostar para se sentir melhor. Ele gosta pelo amor que lhe é próprio, que é dele e ele o dá se quiser.

O gato devolve ao homem a exata medida da relação que dele parte. Sábio, é espelho. O gato é zen. O gato é Tao. Ele conhece o segredo da não-ação que não é inação. Nada pede a quem não o quer. Exigente com quem ama, mas só depois de muito certificar-se. Não pede amor, mas se lhe dá, então ele exige.

Sim, o gato não pede amor. Nem depende dele. Mas, quando o sente, é capaz de amar muito. Discretamente, porém sem derramar-se. O gato é um italiano educado na Inglaterra. Sente como um italiano mas se comporta como um lorde inglês.

Quem não se relaciona bem com o próprio inconsciente não transa o gato. Ele aparece, então, como ameaça, porque representa essa relação precária do homem com o (próprio) mistério. O gato não se relaciona com a aparência do homem. Ele vê além, por dentro e pelo avesso. Relaciona-se com a essência. Se o gesto de carinho é medroso ou substitui inaceitáveis (mas existentes) impulsos secretos de agressão, o gato sabe. E se defende do afago. A relação dele é com o que está oculto, guardado e nem nós queremos, sabemos ou podemos ver. Por isso, quando surge nele um ato de entrega, de subida no colo ou manifestação de afeto, é algo muito verdadeiro, que não pode ser desdenhado. É um gesto de confiança que honra quem o recebe, pois significa um julgamento.

O homem não sabe ver o gato, mas o gato sabe ver o homem. Se há desarmonia real ou latente, o gato sente. Se há solidão, ele sabe e atenua como pode (ele que enfrenta a própria solidão de maneira muito mais valente que nós). Se há pessoas agressivas em torno ou carregadas de maus fluidos, ele se afasta. Nada diz, não reclama. Afasta-se. Quem não o sabe “ler” pensa que “ele não está ali”. Presente ou ausente, ele ensina e manifesta algo. Perto ou longe, olhando ou fingindo não ver, ele está comunicando códigos que nem sempre (ou quase nunca) sabemos traduzir.

O gato vê mais e vê dentro e além de nós. Relaciona-se com fluidos, auras, fantasmas amigos e opressores. O gato é médium, bruxo, alquimista e parapsicólogo. É uma chance de meditação permanente a nosso lado, a ensinar paciência, atenção, silêncio e mistério. O gato é um monge portátil à disposição de quem o saiba perceber.

Monge, sim, refinado, silencioso, meditativo e sábio monge, a nos devolver as perguntas medrosas esperando que encontremos o caminho na sua busca, em vez de o querer preparado, já conhecido e trilhado. O gato sempre responde com uma nova questão, remetendo-nos à pesquisa permanente do real, à busca incessante, à certeza de que cada segundo contém a possibilidade de criatividade e de novas inter-relações, infinitas, entre as coisas. O gato é uma lição diária de afeto verdadeiro e fiel. Suas manifestações são íntimas e profundas. Exigem recolhimento, entrega, atenção. Desatentos não agradam os gatos. Bulhosos os irritam. Tudo o que precise de promoção ou explicação, quer afirmação. Vive do verdadeiro e não se ilude com aparências. Ninguém em toda natureza aprendeu a bastar-se (até na higiene) a si mesmo como o gato!

Lição de sono e de musculação, o gato nos ensina todas as posições de respiração ioga. Ensina a dormir com entrega total e diluição recuperante no Cosmos. Ensina a espreguiçar-se com a massagem mais completa em todos em todos os músculos, preparando-os para a ação imediata. Se os preparadores físicos aprendessem o aquecimento do gato, os jogadores reservas não levariam tanto tempo (quase 15 minutos) se aquecendo para entrar em campo.

O gato sai do sono para o máximo de ação, tensão e elasticidade num segundo. Conhece o desempenho preciso e milimétrico de cada parte do seu corpo, a qual ama e preserva como a um templo.

Lição de saúde sexual e sensualidade. Lição de envolvimento amoroso com dedicação integral de vários dias. Lição de organização familiar e de definição de espaço próprio e território pessoal. Lição de anatomia, equilíbrio, desempenho muscular. Lição de salto. Lição de silêncio. Lição de descanso. Lição de introversão. Lição de contato com o mistério, com o escuro, com a sombra. Lição de religiosidade sem ícones.

Lição de alimentação e requinte. Lição de bom gosto e senso de oportunidade. Lição de vida, enfim, a mais completa, diária, silenciosa, educada, sem cobranças, sem veemências, sem exigências.

O gato é uma chance de interiorização e sabedoria posta pelo mistério à disposição do homem.

Faça brilhar sua LUZ!

•abril 21, 2009 terça-feira • 3 Comentários

Faça brilhar sua LUZ!

spiritual_sun

Viemos sempre colocando que não estamos a enfrentar o fim do mundo, mas o fim de um mundo e o fim da forma humanidade como conhecemos hoje e passaremos a reconhecer que somos seres galácticos, universais, e não mais  humanos terrenos. No nosso entender essa é a grande transição, tranformação que se avizinha, não apenas aqui na Terra, e não acontecerá sem a passagem pelo desconforto do ‘parto’ para esta nova etapa…

Passeando na internet encontrei uma mensagem, não vou opinar deixo para que cada um tenha suas próprias conclusões…

*

Manteremos atualização das mensagens nesta página Faça brilhar sua LUZ!

29 de março 2009

06 de abril 2009

A fonte dos artigos abaixo se encontra em: www.autresdimensions.com


Mensagem de Miguel, Príncipe e Regente das Milícias Celestiais.

‘Por fim soou a era da Luz, – a era da volta à Unidade’

‘A nova energia ultravioleta já começou seu trabalho neste planeta’

‘A data de 25 de março foi o princípio do derrame das energias’

‘As primeiras ondas da ascensão começarão durante o mês de junho’

Só têm um prazo de três meses para preparar-se para um período muito intenso

‘A intervenção do Arcanjo Miguel vai desde o começo de 2.009 até maio de 2.010 e corresponde ao período da grande purificação’

‘Vocês não estão aqui para lutar contra a Sombra e sim
para desenvolver, criar e ampliar sua própria Luz’

‘O final dos tempos deve ser um grande período de alegria  que deve conduzi-los a reinstalar sua Pátria’

‘Chegaram ao momento que esperavam chegar: isso não está daqui
há dez anos, não está há um ano, mas isso é agora’

Entre 25 de março e 20 de junho ocorrerão muitas
modificações geofísicas na superfície de seu planeta’

‘O Sol já não aparecerá todo dia no mesmo lugar, pois modificará seu curso’

‘A partir do dia 7 de maio se produzirão muitos fenômenos climáticos
vinculados à água, obrigando milhões de pessoas a saírem das costas litorâneas’

‘Isto será o grande sinal e o princípio de grandes manifestações que desta vez afetarão não apenas as regiões do planeta, mas sim o conjunto deste Sistema Solar’

29 de março de 2009

Sou Mikael (Miguel) Príncipe e Regente das Milícias Celestiais. Recebam proteção e Amor. Vocês são amados. Como tinha anunciado, e como o confirmo solenemente neste dia, as energias ultravioletas começaram seu trabalho sobre este planeta. Os elementos da Terra começaram a ativar-se a partir do dia seguinte à incidência da energia ultravioleta, retransmitida por seu Sol e por minha potência vibratória.

Os efeitos vão começar a acumular-se em seu planeta. Já disse em muitas ocasiões, e o repito ainda esta vez: o que será provocado pela ação dos “elementos” (ar, água, terra e fogo) terá finalidades planetárias, e a melhor maneira de vocês lidarem com esses tipos de eventos é controlando os seus próprios “elementos” (NT – os “elementos” que constituem o ser humano da 3D são : os pensamentos (ar), emoções (água) e atitudes (terra) O elemento “fogo” faz parte do processo de criação e destruição).

A pressão da radiação vinculada ao ultravioleta vai provocar uma série de modificações dentro de seus organismos. Isso ocorrerá de diversas maneiras, mas a maioria pode correr o risco de manifestar moléstias temporárias vinculadas aos reajustes necessários para a entrada nos âmbitos do Pai (NT: os níveis da 5D) já que se trata efetivamente de uma preparação à entrada  nos reinos da Unidade e nos reinos da “não-separação”. Bem, amados humanos, devem preparar-se enquanto ainda podem realizar a escolha (já falamos sobre isso extensivamente).

Devem agora estar completamente de acordo com o porquê vieram para cá. Querem participar do combate do desastre da Terra ou querem ajudar a preparar a Nova Terra? Isso é sua escolha. Decidam. Vocês podem escolher e vão precisar fazer isso. Já não podem seguir em frente e “estar nos dois mundos” ao mesmo tempo.

Além disso, vão se encontrar em períodos de tempo cada vez mais amplos, (a medida que as próximas semanas e meses vierem) em imersão total no que chamam “a quinta dimensão”. Isto acontecerá primeiro em seus sonhos e em seus períodos de meditação, quando vão poder observar que terão um acesso cada vez mais fácil à vibração da Luz e aos novos potenciais em sua Consciência. Para isso devem fazer as escolhas inadiáveis enquanto ainda seja tempo. Os que não escolherem agora os mundos para onde vão querer ir, não poderão, infelizmente, fazê-lo daqui a alguns meses. Os acontecimentos, tal como estão se desenvolvendo na superfície de seu planeta e também dentro de cada ser humano, vão desencadear, pela pressão de minha radiação, fenômenos de lutas e tensões extremas.

Aqueles de vocês que não conseguirem (não quiserem) aceitar as novas energias, que não conseguirem (não quiserem) aceitar a nova consciência, ver-se-ão afetados em grande parte pelas manifestações dos elementos (água, ar, terra e fogo). Os elementos que usarei nestes momentos atuais constarão de uma alternância de água e fogo e, obviamente, o ar. O número de manifestações que chamam de “catástrofes naturais” vai, daqui em diante e a cada dia – até o equinócio de verão (Norte) e inverno (Sul), – ampliar-se até alcançar um ‘pico’ que lhes parecerá um tanto inaudito. Têm pois, um prazo de três meses em que devem enfrentar uma preparação intensa de seus corpos inferiores (físico, emocional e mental) e dentro de suas consciências, como também em suas vidas. Devem proceder de maneira urgente aos últimos ‘reajustes’ com o objetivo de se programarem a fazer o que vieram fazer neste planeta. Isso vale especialmente para a maioria de vocês que escutam minhas palavras.

Não esqueçam que a data de 25 de março foi o princípio do derrame das energias da radiação do ultravioleta sobre este planeta. Isso é um princípio que assinala a seqüência de uma série de profecias imemoriais anunciadas há muito tempo. Nestes momentos muitos vêm nos acontecimentos atuais os assim chamados ‘acontecimentos do fim dos tempos’. O fim dos tempos deve ser para vocês, um período de alegria, um período de Luz que deve conduzi-los, de maneira inexorável, a reinstalar sua pátria verdadeira.

Isto assinala o final do mundo da dualidade.

Mas este final não vai acontecer de um dia para outro. Existe uma série de combates que devem levar-se a cabo com o fim de purificar o que deve ser limpo, sobretudo o que assim pode ser. Voltam a entrar agora neste período abençoado. Minha radiação os protege como já o disse. Repito: certos fatos debitados à radiação ultravioleta, são derivados da luz ‘arcangélica’ e da luz de seu Sol. Não dêm muita importância ao que outros seres humanos possam lhes dizer quanto ao caminho que devem escolher, atenham-se à verdade que estão realmente vivendo.

A Luz que albergam, e que logo se manifestará no conjunto de seus centros de energia (chakras), fará que se vejam obrigados a fugir do mundo tal como o conhecem. Os seres humanos que possam se ver envolvidos em eventos catastróficos provocados pelos elementos e que rejeitaram anteriormente a chegada da Luz em sua realidade, podem correr o risco de entrar em conflito extremamente violento com sua Luz. Isso não precisa acontecer. Por isso pedimos a vocês que se preparem para assumir a escolha que fizeram.

Isto não é uma mensagem de medo, bem ao contrário, é uma mensagem de esperança: por fim soou a era da Luz, a era da volta à Unidade. Corresponde-lhes velar para que sua Luz não se apague. Corresponde-lhes velar por que sua Luz cresça cada dia em função da alimentação que recebem da Fonte do Sol Central. Isso é seu caminho, isso é seu destino e nada deve opor-se a ele. Para isso, o mundo antigo se desagrega e se desagregará cada vez mais rapidamente nos dias e as semanas que virão.

Como já o anunciei em minha primeira intervenção dentro deste canal, confirmo-lhes que não devem conceder importância que ao que passa fora de vocês. Não participem de nenhum dos combates a que, necessariamente, outros humanos participarão. Não estão aí para lutar contra a Sombra. Este é o trabalho da Luz. Estão ali para desenvolver, criar e ampliar sua própria Luz. Não lhes corresponde voltar a entrar neste último combate. O tempo do combate (crises, conflitos, etc) pertence à era antiga, a era da dualidade – e para vocês esse tempo já é passado. Corresponde-lhes cultivar a Unidade: Unidade de Coração, Unidade de Coração a Coração e vida na Unidade, sozinhos ou em grupo.

A hora dos primeiros reagrupamentos por fim soou. A hora das primeiras chamadas à Luz vai assinalar seu despertar total e final na Luz. Pouco a pouco, à medida que transcorrem as próximas semanas, vão reintegrar seus potenciais divinos, reintegrarem-se ao que verdadeiramente são e nada poderá opor-se a isso. É para isso e por estas razões que devem abrigar-se no interior de seu templo interno e também de fugir da agitação deste mundo. (NT: Arcanjo Miguel faz algumas referencias ao momento em que a França – local onde mora este canal – se encontra, um pouco a salvo das manifestações dos elementos – devido a muitas manifestações humanas – mas diz isso deverá mudar em breve.).

A pressão troveja dentro dos seres humanos não despertos que estão na distensão e no combate.  Não devem participar, nunca, neste combate. Corresponde-lhes ao contrário desenvolver cada vez mais sua Fluidez, sua Unidade e sua Luz. Só poderão acessar, em toda integridade, à etapa final e última da ascensão – se respeitarem as escolhas que estabeleceram.

Não é mais tempo de tergiversar. O tempo é agora, e faço pela presente mensagem, uma chamada solene, para que as energias dos corações abertos se agrupem, ou seja, que os seres humanos que trabalham para o Plano e o estabelecimento da Verdade, da Unidade e da Divindade se agrupem sob uma mesma egregora, com o fim de participar da volta da Luz. O que se anuncia é um ‘casamento cósmico’. Obviamente, os que não estão abertos à Luz viverão este período como um drama como a humanidade nunca viveu. O que não será o caso se assumiram suas decisões e criaram em suas vidas as condições propícias ao estabelecimento da Luz.

Aqui, bem amados humanos, o importante é entender bem que o que lhes anunciei: entre o período de 25 de março e em 20 de junho de seu ano 2009, numerosas modificações geofísicas vão ocorrer na superfície de seu planeta. Vocês vão assistir com seus próprios seus olhos, a manifestações que nunca teriam acreditado capazes de observar por seus próprios olhos. Isso já está aqui. Isso está acontecendo agora (NT: Itália). Isso não é o amanhã. Os derrames da Luz ultravioleta e a influência do Sol Central da Galáxia vão, de agora em diante, aumentar dia a dia e de hora em hora. Devem, a todo custo, eliminar as últimas zonas de sombra que estão dentro vocês. Isto não se fará somente através da aceitação da Luz. Se aceitarem deixar-se penetrar pela pressão da radiação da Luz dentro de seus centros energéticos (chakras), nada os molestará, a não ser alguns dores, algumas purificações, alguns períodos de cansaço. Mas isso não é nada com relação à qualidade da Luz, à quantidade da Luz e à realidade de sua Verdade que vão por fim, descobrir.

Bem amados humanos, o momento é solene, o momento é um único momento nos anais da humanidade. Um momento como este não se vive mais que uma vez em uma encarnação – e este momento é agora.

Corresponde-lhes aceitar completamente a direção da Luz. Corresponde-lhes aceitar integralmente o que lhes dita a Luz, o que lhes dita sua consciência, com o fim de materializar suas escolhas de Luz, suas escolhas de Consciência e suas escolhas de verdade. Não podem mais se enganar e enganarem-se uns aos outros. A autenticidade vai converter se em um critério formal de aceitação da Luz. Devem estar em alinhamento total com esta Luz, em alinhamento total com todos aqueles que, como vocês, abriram seus Corações com o fim de receber a Luz ultravioleta.

Bem, amados humanos, a hora é grave e ao mesmo tempo, histórica, no sentido espiritual. Muitos fenômenos luminosos (que alguns de entre vocês puderam ver em alguns lugares do planeta) vão começar a generalizar-se. As cores de seus céus vão mudar profundamente, e isto de maneira duradoura. Os movimentos planetários vão começar a alterar-se. O Sol já não aparecerá no mesmo lugar, tal como tem sido até hoje, pois modificará seu curso. Muitos fenômenos climáticos vinculados, uma vez mais, à água, vão tomar proporções (a partir de seu mês de maio e sobre tudo a partir de 7 de maio), catastróficas, fazendo com que alguns milhões de seres humanos se desloquem do perímetro das costas litorâneas (NT: não temos certeza se Arcanjo Miguel se refere ao litoral da Europa, ou a todo o litoral do planeta. Não há como saber através desta mensagem).

Começarão então a observar, nesse momento, sinais claros de que algo no cosmos não voltará a ser como antes. Isto será o grande sinal e o princípio das grandes manifestações que afetarão não só as regiões do planeta como também o conjunto deste Sistema Solar.

Humanos, vocês são muito amados e chegaram ao momento que esperavam chegar. Já chegaram. Não precisam esperar mais dez anos, dois ou três. É agora. Então, peço-lhes urgentemente recolher-se, afundar-se dentro de seu Coração, afundar-se dentro de sua Essência, com o fim de fazer surgir as boas decisões, as boas orientações quanto a suas escolhas de vida, inclusive os seus desejos para seu futuro. Isso lhes pertence. Nenhuma sombra, se se afirmarem em suas escolhas, poderá obstaculizar o que vão passar a ser. Entretanto, para isso, convém-lhes afirmar com força, com determinação e com vontade o que querem realizar para o que fica por realizar (para a Terra e para vocês) com o fim de favorecer a ascensão de um maior número de seres humanos. Como o disse, as primeiras ondas de ascensão começarão durante seu mês de junho. Mas a maioria de entre vocês estão destinados a assumir e manter a estrutura da Luz nesta terceira dimensão até seu final. E isso, só Deus o Pai, conhece a data. De minha parte, sabem que meu âmbito de intervenção, que se estende desde o começo de seu ano até o mês de maio de 2010, corresponde ao período da ‘grande purificação’. A grande purificação começa, a Luz se revela pouco a pouco, dia a dia, cada vez mais. Corresponde-lhes integrar cada partícula de Luz que recebem, de conduzir esta Luz para seu templo interior.

A Luz que verto, a Luz que se verte do Sol, é a chave última que lhes permitirá encontrar sua Essência. Não há outra alternativa, não há outra condição. Nenhum carma, nem idade, nem estilo de vida impediram isso. Alguns de vocês vão receber um aviso interior para afastar-se do lugar onde estão: que o façam sem demora. Outros vão sentir a necessidade de agruparem-se com o fim de interagir melhor uns com outros e ‘multiplicar’ a Luz. Nesse momento será conveniente obedecer a este impulso interior que não é um impulso do ego, mas sim um impulso para o bem da Alma e, diria inclusive, do Espírito Santo que habita em vocês. Não podem atrasar ou postergar as decisões que alguns de vocês já tomaram há muitos anos. Agora o momento é de trabalhar para a Unidade, para a Luz e para a Verdade. Quanto mais estejam em segurança dentro de seu Ser e dentro de suas estruturas internas, mais poderão trabalhar com as forças de revelação da Luz e com a Hierarquia Angélica, com o fim de manifestar esta Luz e permitir ao máximo que seres humanos, atualmente em perdição, incorporem-se à sua primeira Unidade.

Bem amados humanos, estas são as noticias importantes que desejava lhes passar. Realizar-se-ão, como o disse. Muitos profetas, efetivamente, deram datas que se revelaram falsas. Mas não sou um profeta, sou um enviado da Luz, um enviado celestial, portanto somente os mecanismos do tempo celestial me importam e devo imprimir minha marca em seu planeta e neste Sistema Solar.

O Momento está ali, o momento é agora, o momento é imediatamente. Assumam seus compromissos e vão onde devem ir. Agora. Aqui, bem amados humanos, o que tinha que lhes dizer.

Perguntas quanto à pressão da radiação ultravioleta?

Perguntas e respostas

– Pergunta: como reconhecer se houve ou não aceitação da Luz ultravioleta?

– A irradiação da Luz ultravioleta se manifestou durante o período preparatório de 25 de fevereiro a 25 de março através de uma efusão de energia que penetrou pelo chakra coronário. Agora, esta Luz deve penetrar seu coração e provocar uma compressão e uma pressão nisto que chamam chakra do coração. É deste lugar que deve vir seu próprio poder sobre você, sua própria força sobre você e o sinal de reconhecimento como que aceitaram a vibração que vem. Entretanto, alguns de entre vocês ainda não experimentaram esta vibração porque o caminho entre a cabeça e o coração não se limpou completamente das últimas escórias. Isso se fará entre este período que se manterá até 20 de junho. Isso pode demorar, para alguns de entre vocês, um período de três meses. Outros entre vocês já realizaram este trabalho. São os pioneiros do novo tempo. Convém – para os que estão experimentando a pressão da vibração no coração -, difundir esta vibração (tanto como considere conveniente) sobre todos os seres humanos e sobre o conjunto da humanidade. Isto não é um ‘combate’, isto é um derrame de Amor. É a única maneira que existe hoje, para ajudar aos seres humanos em caminho.

– Não temos mais perguntas, e agradecemos.

– Bem amados humanos encarnados proponho-lhes agora comungar com a energia da pressão da radiação e a energia da Unidade no Coração. Peço-lhes abrir seu chakra da coroa, aceitar a Luz que verto agora sobre vocês. Terão a possibilidade de recorrer a minha radiação com o fim de precipitar o movimento de encarnação da radiação ultravioleta em seu coração.

… (Pausa. Efusão de Energia)…

Vou agora a lhes deixar. Recebam, bem amados humanos, bençãos e amparos. Voltarei de novo a cada semana, durante o período que os separa do equinócio do verão/ (inverno), já que a informação é importante e vital nesta fase.. Sejam abençoados.

Até breve.

Mikael.

Fonte: www.autresdimensions.com

6 de abril de 2.009

Sou Miguel, Príncipe e regente das Milícias Celestiais. Transmito-lhes todo meu amor e proteção. Aqui estou como lhes disse e voltarei de novo e regularmente durante este período importante, por estar sentindo em meu coração cada ser vivo deste planeta, bem como o conjunto de todo este Sistema Solar. A cada semana aqui estarei.

Em numerosas ocasiões, já lhes falei sobre a série de elementos importantes que se acham na fase de manifestação em seus organismos e também no organismo do planeta Terra. Isto é reação à integração da minha Presença e da Luz ultravioleta que me está permitido retransmitir do Sol Central das Galáxias, do ponto central do pensamento de Deus, até vocês. Isto está sendo feito através da vibração da Minha Presença e também por meio dos outros planetas e de seu Sol, neste Sistema Solar.

Em numerosas ocasiões, falei-lhes da pressão da radiação ultravioleta. Minha Presença e esta energia têm efeitos profundamente transformadores em seus organismos humanos e planetários. A primeira destas transformações é despertar no DNA de vocês, códigos que lhes são desconhecidos ainda. Isto vai lhes permitir encontrar, em um futuro extremamente próximo, a totalidade de sua Essência e sua Divindade. Isso vem acompanhado de uma série de efeitos perturbadores, desde simples cansaços, passando por dores, e até mesmo por uma série do que chamam ‘enfermidades’, que representam, nesse caso , formas de eliminação de suas sombras, de suas energias negativas e do que se poderiam chamar, eventualmente, seus ‘carmas passados’, de natureza coletiva. Isto está acontecendo agora.

Um grande número entre vocês percebeu esta vibração da radiação ultravioleta em seu organismo. Não esqueçam que esta energia está destinada a penetrar em seu organismo por seu ‘ponto mais alto’. O ‘ponto mais alto’ do organismo humano é a cabeça. E é também no ponto mais alto neste planeta onde vivem que estão os vulcões e em particular os vulcões que se situam nas montanhas. Isto está em marcha. Podem constatar tudo isso neste momento – os seres humanos despertos estão sentindo vibrações, pressões e dores ocorrendo regularmente , já há algum tempo, em sua cabeça. Lembrem – a pressão da radiação ultravioleta se manifesta dentro dos organismos humanos em sua cabeça. O objetivo é fazer com que esta radiação ‘desça’ ao seu coração. Em efeito é aí que se encontra encerrados uma série de códigos vinculados a sua Divindade e a sua Essência.

A pressão da radiação vinculada a estas partículas de luz ultravioleta deve, à medida que transcorrem as semanas, atingir o centro de seu santuário interior e templo interior. Ali estão todas as condições ‘sine qua non’ de sua ascensão e a volta a sua Unidade. Isso está em curso.

Isso obedece a normas precisas em sua fisiologia interna e seus mecanismos energéticos internos sobre os quais voltarei a falar no momento conveniente, depois do período pascal, porque este período corresponde, simplesmente, a uma lua cheia especialmente ativa, precursora da lua cheia do mês que vem. Mas não estão ainda ali.

Façamos uma analogia entre o que está acontecendo em seus organismos internos e o ‘organismo planetário’.

A pressão da radiação ativou, literalmente, uma série de vulcões principais na superfície deste planeta, e isto é um fato inegável. Agora, constatam também uma série de anomalias vinculadas a fenômenos que chamam meteorológicos: subidas e descidas anormais de temperatura. Isto deve ser uma conseqüência desta energia que chega nos vulcões e que corresponde a um fogo terrestre , iniciado pelo fogo cósmico em relação a radiação ultravioleta. A radiação ultravioleta está profundamente vinculada às mudanças, à transformação. (NT – como a luz violeta, de Saint Germain). A energia ultravioleta nunca pretendeu ser uma energia de destruição, no entanto é uma energia de reconstrução destinada a eliminar as barreiras deste planeta, inclusive ao organismo humano, levando-o a atingir sua Unidade, sua dimensão Divina, que lhe era ocultada pela dualidade e pela encarnação. Isto está em marcha.

Etapa seguinte

A etapa seguinte ocorrerá no momento em que o número de vulcões ativos em seu planeta e o número de partículas ultravioleta acumuladas em sua cabeça permitirem à energia e à consciência concentrarem-se além da dualidade. A pressão da radiação irá crescendo até o período do equinócio do verão (inverno, no H. Sul).

Isto é também verdade em relação a seu planeta e ao conjunto de planetas que devem ascender antes de seu planeta. Isto está em marcha. Muitos vulcões devem ainda ser ativados durante este período até o inicio do verão (inverno, no H. Sul). Isto está em marcha.

A etapa seguinte dependerá, pois, da atividade vulcânica – e não do elemento água em si. O Ar estará mais vinculado às manifestações. Isto corresponde, na fisiologia planetária, a modificações profundas do que chamam de correntes aéreas e marítimas de seu planeta. Isto se traduzirá em uma ‘parada’ de algumas correntes marinhas e o desenvolvimento de outras, o que provocará furacões e ciclones que vão se manifestar em regiões que nunca estiveram presentes antes. E isso, uma vez mais, vincula-se somente com a reação dos elementos perturbados na fisiologia planetária.

Por tudo isso é que a energia ultravioleta é retransmitida por uma série de Seres das altas dimensões que precisam estar em relação com a energia deste planeta: o Conselho Galáctico, Conselho Intergaláctico, Conselho do Melchizedek, Conselho das Águias, etc. São numerosos e se encontram em níveis suficientemente elevados para que possam canalizar, dirigir e orientar a energia da pressão da radiação ultravioleta. Seu papel é fundamental.

Possivelmente alguns de vocês conseguem perceber em seus corpos os efeitos das flutuações vinculadas à energia ultravioleta. Como podem constatar existe faixas horárias em seu dia quando podem experimentar esta pressão da radiação, tanto em sua cabeça como, para os que estão mais avançados, em seu coração. Os seres humanos que não têem a possibilidade e nem os meios espirituais de receber a pressão da energia ultravioleta em seus chakras superiores (entre a cabeça e o cardíaco) verão estas energias afetar o que chamam de chakras inferiores (quer dizer, os chakras situados abaixo do cardíaco) provocando reações bastante ampliadas diante dos acontecimentos externos (movimentos sociais, crises econômicas, etc.).

Os maus fracassarão

Como já se sabe, numerosos seres humanos tentaram aproveitar este período para criar sobre seu planeta um clima propício ao medo, à desestabilização da alma humana. Isto não terá sucesso, apesar das tentativas infames. A pressão da radiação da Luz Divina, retransmitida pela radiação ultravioleta, por Minha Presença, por seu Sol e pelo conjunto dos Círculos e Cenáculos vinculados à Luz, deve perturbar em grande parte a humanidade como um todo, criando muita confusão. O importante é, como já disse, permanecer alinhados e centrados o mais possível, permanecer neutros o mais possível em relação à confusão. Podem conseguir isso permanecendo distantes dos acontecimentos que vêm. Saibam, amados, que não encontrarão a paz fora de vocês. Centrem-se. Ajudem os outros a aprenderem a fazer isso.

Isto leva todos vocês a reconsiderar o que chamam de “vida” – e antes de ascensionarem à 5D..

Vocês estão muito acostumados (durante muitas encarnações, inclusive) a viver uma vida exteriorizada caracterizada pela dualidade e pela estreiteza de suas experiências e envolvimentos. Hoje mais que nunca convém encontrar a Fonte de sua vida no centro de seu ser, no coração. É neste lugar, e somente aí que encontrarão a paz necessária para não entrarem em atrito/conflito com os acontecimentos sociais, econômicos, que vêm para vocês a grandes passos.

Isto não é uma mensagem de medo. E também nada há demais se alguns tiverem medo. Vim anunciar o que o Pai me pediu. Existe uma série de profecias que sempre existiram na superfície deste planeta. Seu objetivo não é provocar medo. Seu objetivo é somente acautelar, informar, para que os humanos ouçam estas palavras em seu interior.

A solução

Na atualidade, mais que nunca, isso vai se tornar muito verdadeiro. A única solução a esta situação, a única solução a seus desenganos em sua vida interior, econômica, social, familiar, pessoal pode estar no centro de seu ser e em nenhuma outra parte. Obviamente que saber disso os ajuda, mas saibam que ninguém pode ir a seus corações, por vocês. Isso lhes compete. É um trabalho de cada minuto, de cada respiração. Dar-se-ão conta, nas semanas que vêm e até o equinócio do verão (inverno, no H. Sul), que precisam se concentrar ao máximo em seu interior, concentrar-se ao máximo a entrar em seu coração, a concentrar-se ao máximo em conectar-se com sua Essência, e manifestar ao máximo a paz, a tolerância, o amor e a compreensão – qualquer que seja a dureza dos acontecimentos exteriores que devem afetar a fisiologia planetária e também a fisiologia de alguns seres humanos.

A única maneira de ‘agir-com-o-coração’ é não reagir. A única maneira de manter-se na Unidade é não envolver-se com a dualidade. Pois bem, a ‘reação’ faz parte da ‘dualidade’. É pois primordial que você aprenda, através de suas meditações, de suas orações, de seus momentos de silêncio, em seus encontros com a natureza, a desenvolver cada vez mais este sentimento de harmonia com sua própria Unidade, com sua própria Divindade.

Neste momento (4 de abril) vocês estão muito próximos daquilo que chamam de Páscoa. Não pretendo falar-lhes de religião, então prefiro falar da ‘lua cheia de abril’. Isso acontecerá daqui a 8 dias terrestres. Durante este período peço-lhe que encontrem momentos e oportunidades de entrar no centro de seu coração. Isso costuma durar só alguns instantes, por isso faça esse contato uma dezena de vezes, se assim puder. Isso lhe permitirá estabilizar o melhor possível seu estado interior (especialmente o emocional) para que consigam manter a estabilidade exterior em suas relações familiares, profissionais e sociais.

Mais uma vez: (e este será o grande aprendizado) a única maneira de passarem pelos acontecimentos que virão é através do coração. As soluções aparecerão se agirem com o coração. Manifestações emocionais relativamente sérias correm o risco de produzir-se caso se afastem do coração, e isso seria profundamente daninho com relação a sua Unidade e sua Divindade. Portanto, o próximo período deve ser vivido com a atenção voltada para a pressão da radiação em seu coração.

Fenômenos luminosos

Volto a falar sobre os fenômenos luminosos vinculados à presença da radiação ultravioleta. Podem perceber esta radiação com seus próprios olhos em sua realidade dual, ao anoitecer, no momento em que a lua começa a aparecer em seu céu. Observem seu céu e constatarão que os fenômenos luminosos começam a aparecer sobre o conjunto de seu globo. Não se tratará de fenômenos vinculados ao sol, inicialmente. Serão uma espécie de reflexão desta luz sobre a lua que se manifestará a seus olhos. Os fenômenos luminosos que ocorram em pleno dia se referem à iminência da manifestação de Minha Presença como energia de reconstrução, sobretudo se estes fenômenos persistirem além de 48h ou 72h. Já lhe disse isso.

O mais importante, uma vez mais, e o digo em cada canalização, não é tanto o fenômeno exterior, embora este se vincule à Luz em si mesma, e sim a sua reação interior à pressão da radiação que será a aceitação que lhe permitirá não reagir aos acontecimentos que a Terra vive e viverá.

Eis o que tinha que informar e orientar para que façam durante este período propício à meditação e silêncio: entrem em seu interior para que possam encontrar realmente quem são, o que são e para onde querem ir, em função não de seus desejos, mas sim de sua capacidade para elevar suas vibrações. Muitos de vocês já iniciaram este trabalho desde o mês de março, experimentando episódios de ascensões vibratórias sobre algumas partes do corpo ou na totalidade de seus organismos fisiológicos. Isto é uma aprendizagem. Isto requer um tempo.

Nestes tempos vocês podem vislumbrar – ainda que por períodos breves e curtos – uma espécie de ascensão de corpo ou uma ascensão à quinta dimensão, antecipando, de maneira ilustrada e real, o que ocorrerá no momento de sua ascensão vibratória definitiva à quinta dimensão – estejam vocês com seu corpo ou fora dele. Isto compete a vocês, a cada humano: escolher elevar suas vibrações, ou não. Não importa a idade que tenham neste momento, nem suas condições de saúde ou estilos de vida, pois estão vinculados somente à sua capacidade interior para elevar sua alma ao Espírito.

Aumento da vibração

A ascensão da vibração da alma ao Espírito se traduz em uma vibração da totalidade do corpo e também em uma pressão da vibração na cabeça e no coração e, posteriormente, no conjunto de seu corpo. Nesse momento, quando a pressão da vibração se manifesta no conjunto de seu organismo fisiológico, torna-se muito mais fácil entender o que é a ascensão realmente. Todo o resto são apenas suas projeções vinculadas a seus desejos, a suas emoções ou ao seu mental. A ascensão é um processo vibratório.

O derrame da Luz do Pai, que vim trazer-lhes através da pressão da radiação ultravioleta, está diretamente vinculado a este aumento vibratório. Há ascensão sem aumento de sua vibração interior. Isto é a garantia de sua capacidade ascendente para o futuro. Entretanto, neste momento estão diante da reconstrução. Esta reconstrução, observam-na, está em curso, ao nível do planeta, ao nível do indivíduo, e ao nível do conjunto da humanidade. Existe uma percepção, maior ou menor, de que a realidade da mudança está ali. Isso está realmente ali. A isto chamaria ‘subir de vibração’.

A elevação da vibração é a única resposta adequada à pressão da radiação ultravioleta.

Corresponde-lhe acolher em vocês esta energia e, se a acolherem completamente, constatarão próxima e muito rapidamente esta capacidade de vibração do conjunto de seu corpo físico. Não falo das percepções vinculadas a seus corpos sutis, que não traduziriam a capacidade de seu corpo físico para entrar completamente em vibração. A vibração que recebem está destinada, se o desejarem e se o aceitarem, a transformar completamente sua fisiologia. É o que é já para alguns, a reativação do entusiasmo de viver. Este período de maturação ou de elevação da vibração acontecerá de agora até o equinócio do verão (inverno, no H. Sul).

Aí têm alguns elementos importantes que desejava lhes transmitir. Se tiverem agora perguntas com relação a estes processos, vou tentar contribuir com luzes adicionais.

Perguntas e respostas

– Pergunta. – Poderia nos falar dos códigos que despertarão?

– Já se falou sobre isso. Preocupem-se simplesmente em elevar a vibração. Falarei sobre esses códigos depois do período do fim da semana Pascal.

– Pergunta. – Como é possível manifestar a vontade da elevação da vibração o melhor possível?

– A única maneira de elevar a vibração é aceitar a pressão da radiação ultravioleta.

Não temos mais perguntas. E agradecemos.

Então, amadas almas humanas em encarnação, antes de me retirar e lhe dizer ‘até na próxima semana de seu tempo humano’, vou emanar uma radiação de Minha Presença em suas estruturas.

… Efusão de energia…

Eu Sou Miguel, Príncipe e regente das Milícias Celestiais. Recebam todo meu amor, o amor do Pai e sobre toda minha proteção. Até muito em breve.

Fonte: www.autresdimensions.com

Nibiru – A polêmica continua

•abril 21, 2009 terça-feira • 13 Comentários

Nibiru

A polêmica continua

Salvatore De Salvo responde ao artigo escrito por Marco Petit na edição da UFO 151, de março de 2009
A edição UFO 151 traz a reportagem Uma Nova Visão sobre a Existência e Suposta Ameaça deste Misterioso Astro a Terra de autoria do célebre e estimado ufólogo Marco Antonio Petit, um dos nossos mais assíduos pesquisadores no campo da Ufologia e uma das principais colunas nas quais se apóia essa ciência, no Brasil e, por consequência, a Revista UFO. Todavia, em que pese à profunda admiração que nutro em relação ao autor do artigo, do qual me considero amigo, não é possível assistir calado ao que ele escreve e, por isso, passo a tentar esclarecer tanto ao público quanto ao Petit. Assim, tentarei responder às principais dúvidas por ele levantadas, trazendo mais informações e mais detalhes, de maneira que, espero, as nuvens sejam dissipadas.

Esclarecimentos

No XIII Diálogo com o Universo, realizado de 21 a 24 de fevereiro de 2009, em Curitiba, apresentei a palestra A Próxima Chegada do Planeta X. Na mesma, logo no início, revelei a fonte de minhas informações: um livro mundialmente conhecido e famoso de título: Planet X Forecast and 2012 Survival Guide, que, em sua primeira página traz sete citações de vários autores, que aqui transcrevo:

· A tour de force Planet X – 2012 Page Turner. Required reading for those who get it want to live through it (“Tour de force” Planeta X – 2012, Aquele que Virará a Página. Leitura obrigatória para aqueles que querem sobreviver à sua passagem) por Echan Deravy, autor de Solar Code.
· Written in an easy-to-read style that honors the 2012 predictions of the Maya (Escrito num estilo de fácil compreensão que honra as previsões Maias sobre 2012), pelo antropólogo maia George Erikson, autor de Atlantis in America: Navigators of the Ancient World.
· Chilling insights into how the world’s power elite are preparing for 2012. Truth that’s hard to handle (Deprimentes critérios de como a elite das potências mundiais estão se preparando para 2012. Verdade difícil para ser controlada), por Philip Gardiner, autor de Secret Societies, Gnosis e The Shinning Ones.
· Delivers practical, life-sparing concepts that make sense (Distribuição prática, conceitos que fazem sentido para poupar vidas), por Frank Joseph, autor de There Are No Coincidences, Survivors of Atlantis e Discovering the Mysteries of Ancient America.
· Required reading for those who are beyond the Planet X debate and now want to do something about it (Leitura obrigatória para aqueles que estão além do debate do Planeta X e que querem fazer algo a esse respeito), por Greg Jenner, autor de Planet X and The Kolbrin Bible Connection.
· Be prepared, be very prepared: you need this book for 2012 (Esteja preparado, muito bem preparado: você precisa deste livro para 2012), por Andy Lloyd, autor de The Dark Star.
· Excellent analysis of the looming 2012 solar threat, and how Western governments are responding to it (Excelente análise do aparecimento gradual de um perigo solar em 2012 e como os governos ocidentais estão respondendo a isso), por Patrich Geryl, autor de How to Survive 2012, The World Cataclysm in 2012 e The Orion Prophecy.

Para quem quiser adquirir as obras a quais me baseei, eis algumas informações mais: os autores são Jacco van der Worp, MSc, Marshall Masters & Janice Manning. Editora: Your Own World Books, Silver Springs, NV, PlanetXForecast.com, Youbooks.com ou Yowusa.com, registrada na Category: Non Fiction Astronomy – Categoria: Astronomia Não Fictícia, ou seja, Categoria de Astronomia não imaginária. O que me moveu a escrever o artigo foi a revolta crescente em mim, ao longo dos últimos anos, ao encontrar, em várias ocasiões, referências a esse misterioso planeta e aos esforços que os governos estão fazendo para esconder de nós esses conhecimentos, de maneira acintosa e totalmente desrespeitosa para nós, que, embora pagadores de impostos, estamos sendo vítimas de um complô mundial para esconder algo que temos o direito de conhecer. É minha opinião que, seja o que for o Planeta X, seja o que for que poderá ocorrer a esse nosso maravilhosos planeta, nada justifica a atitude dos governos de escamotear, confundir, controverter, negar, abster-se de informar, na que considero uma das maiores “sacanagens” perpetradas contra quem paga impostos e sustenta esses governos que, supostamente, deveriam ser nossos principais protetores.

Infelizmente, Marco Antonio Petit costuma não assistir minhas palestras, embora eu assista todas as dele. Talvez, ache que o que tenho a dizer não seja interessante, não sei, mas se tivesse presente não teria porque apresentar dúvidas quanto às minhas fontes de informação. Elas foram apresentadas logo no início da palestra. Considero minhas fontes como dignas, do maior respeito e as aceito como legítimas. Há algo mais a esclarecer. O título do livro diz claramente: Forecast, cuja tradução precisa é: Previsão, profecia, prognóstico. Acho não ser necessário explicar mais. O que os governos, a mídia, os cientistas e estudiosos têm hoje são previsões. E, no decorrer da palestra, várias vezes confirmei esse conceito. O retorno do Planeta X está sendo anunciado ao mundo, mas poderá não ocorrer – hipótese da qual sou ardoroso defensor, porque faço parte desta humanidade e a coisa poderá atingir-me e à minha família.

Respostas às afirmações de Petit

Diz Petit: “A edição UFO 148, de dezembro de 2008, veiculou um artigo bombástico de autoria do professor universitário Salvatore De Salvo…”. Bombástico não foi o artigo que escrevi. Bombástica seria a situação, e o artigo não poderia ser diferente. O que eu queria era chamar a atenção do público a respeito de um eventual perigo que ameaçaria a Terra. Como, então, deveria começar? “Queridos amigos – como disse a edição do Fantástico de 01 de março de 2009 – não tenham medo, tudo que dizem é mentira e nada acontecerá, fiquem tranqüilos” – e paguem suas dívidas. Isto é exatamente o que os governos apresentam à mídia que manipulam. Não é o que eu queria dizer e não é o que eu disse. Embora se trate de previsões, todos concordam que as informações que vazam continuamente convergem apenas numa direção: a do retorno do diabólico Nibiru. Vejamos:

Convergência de informações

Segundo Petit, a discussão sobre Nibiru começou com a publicação de Zecharias Sitchin, O 12º Planeta, Editora Best Sellers, 1990. Discordo, porque a discussão sobre esse astro existe há milênios, porque há referência sobre ele na Bíblia Sagrada, na Bíblia Kolbrin, nas obras dos Maias, nos textos védicos dos hindus e em numerosos livros, que considero excelentes, entre os quais sugiro Mundos em Colisão e Earth in Upheaval, de Immanuel Velikowsky. Quanto ao fato que Sitchin sustenta que a atual humanidade seja resultado de um cruzamento do animal que vivia aqui com os Annunaki que estariam chegando de Nibiru, também há algo a ser dito. Concordo com essa tese, tanto que a apresentei em meu livro O Enigma de Mu, de recente publicação. Concordo com o que declara Petit em sua obra Terra, Laboratório Biológico Terrestre [LIV-002, da coleção Biblioteca UFO] que a vida só é possível em certa faixa de distância da estrela mãe – o Sol, no nosso caso -, o que excluiria qualquer possibilidade de vida em Nibiru, devido à forte excentricidade de sua órbita; segundo Sitchin, os Annunaki têm tipo físico igual ao ser humano.

Pergunto: Por que isto seria impossível? Nada sabemos sobre esses visitantes, nem tampouco sobre o nível de avanço tecnológico que poderiam ter alcançado. Mas sabemos que vieram e que interferiram com a vida daqui. É algo lícito admitir que seres capazes de se deslocar nos espaços siderais devem ter alcançado níveis absolutamente impensáveis para nós. Ao se afastar do Sistema Solar, os Annunaki morreriam pelo frio. Quem pode afirmar que eles não tenham conseguido utilizar a energia do ponto zero ou, em outras palavras, a energia do vácuo, infinita e, desde sempre, a completa disposição de quem consiga capturá-la? Com energia infinita a disposição seria absolutamente possível a viagem interestelar e a vida, como a conhecemos, mesmo em situação aparentemente adversa. Sugiro que Petit leia minhas obras Sinfonia da Energética I e Sinfonia da Energética II, recentemente lançadas em Curitiba, para saber mais sobre essa energia. Esses dois livros são os únicos, em português, que falam sobre as energias virtuais e as ondas escalares. No volume I, trago as informações de dois dos nossos melhores físicos que calcularam que a energia contida no vácuo de uma xícara de chá seria suficiente para evaporar – não simplesmente aquecer – todos os oceanos da Terra. E é bom saber que nós também sabemos utilizar essa energia. Há cerca de 30 anos, na Suíça, existe uma comunidade cristã primitiva que é aquecida e iluminada em todas suas dependências por uma máquina que é posta em movimento com um dedo e, a partir daí, produz 2-3 kW/h, sem qualquer aporte de energia. Esta não é desinformação. É informação!

Fui, pessoalmente, participar a quatro Congressos mundiais, em Colorado Springs (EUA) sobre Nikolas Tesla, do qual sou um feroz admirador e lá aprendi que existe esse tipo de energia. Nas últimas semanas, 02 a 08 de março de 2009, o History Channel veiculou uma série de reportagens sobre Nibiru, previsões bíblicas e maias etc. e, numa delas, apresentou todos os tipos de energia que poderíamos utilizar na Terra em substituição ao petróleo e ao carvão. Todos os tipos. Mas nem uma palavra sobre a energia virtual ou do ponto zero. Pergunto: por quê? A resposta parece simples. Esta seria a maior de todas as revoluções, porque tornaria obsoletas todas as outras tecnologias e mudaria substancialmente nosso mundo, porque esse tipo de energia pode ser convertida em eletricidade e mover tudo, sem poluição. Pense um pouco nisso, amigo Petit. Baseados em meu livro Sinfonia da Energética II, dois jovens engenheiros do grupo do doutor Norberto Keppe, um genial psiquiatra, desenvolveram um motor que revelou ser superior a tudo que a ciência conhece e que foi apresentado e testado num Congresso em San Diego (EUA), em 2008. O mesmo motor foi apresentado no Evento Ecogerma 2009, realizado na Transamérica Expo Center, em São Paulo, de 12 a 15 de março de 2009. Outro motor, mais avançado, está para ser certificado pelo Centro de Pesquisas Nucleares da França como “motor overunity”. E, então, se nós já chegamos a isso, onde teriam chegado os eventuais “impossíveis” habitantes de Nibiru?

Outra questão

Afirma Petit que me baseei num informe do Washington Post sobre a observação do satélite IRAS [Satélite Astronômico Infravermelho]. Quanto ao IRAS, o texto consultado declara: “IRAS – A Primeira Observação Não Oficial do Planeta X. Lançado em 1983, o satélite astronômico infravermelho foi um projeto conjunto dos Estados Unidos, Reino Unido e Holanda, para mapear o céu com um telescópio infravermelho embutido. Colocado em órbita em volta à Terra, funcionou por 10 meses antes que um defeito forçou sua derrubada, mas, até então, ele conseguiu 350.000 fontes de radiação infravermelha e mapeou 96% do céu visível”. O livro no qual me apoiei publica o seguinte quadro:

Medidas de radiações:
Nanômetro (nm): um bilionésimo de metro; Mícron (m): um milionésimo de metro;
UV = 200 a 380 nm; Luz visível = 380 a 780 nm;
Infravermelho (próximo) = 780 nm (0,780 m) a 10 mícrons;
Infravermelho (distante) = 10 mícrons a 200 mícrons.

A desculpa formal para o término da missão IRAS foi o mau funcionamento do sistema de resfriamento do satélite. De acordo com John Maynard, ex-oficial da inteligência norte-americana, que se tornou um “alcaguete” do governo, esta explicação oficial não foi a verdadeira razão, porque os astrônomos do IRAS tinham detectado uma maciça fonte de calor no mais afastado ângulo do Sistema Solar, bem debaixo da eclíptica, vários meses antes. Para poder elaborar e disponibilizar uma efeméride melhor, os controladores de terra declararam o defeito do resfriador e cessaram de compartilhar os dados com os sócios europeus. Então, os controladores usaram os combustíveis remanescentes do satélite para continuar as observações em privado, antes dele ser definitivamente extinto. E o ufólogo Petit dedica boa parte de seu estudo para apresentar várias tentativas dos astrônomos para explicar e encontrar o tal Planeta X, que, segundo ele, não existe. Isto já aconteceu no passado. Tudo que precisamos fazer é persistir na busca com instrumentos mais sensíveis. E queira Deus que não o encontrem. Em questões de astronomia e de universo devemos sempre lembrar o que Isaac Newton declarou: “O que sabemos do universo é uma gota. O que ignoramos é um oceano”. Algo mais sensato, creio eu, seria observar os sinais indiretos que já existem para tentar ajuizar melhor uma ideia. E estes são inúmeros.

Sinais indiretos da presença de Nibiru

Para começar, cientistas como Stephen Hawkins já concluíram ser possível a chegada de Nibiru e, com eles, uma nutrida fila de astrônomos, cientistas e estudiosos. O autor, Petit, estranha a declaração, segundo a qual a presença de Nibiru, que, em 15 de maio de 2009, estaria a 11 UA [unidades astronômicas] do Sol, causará o descongelamento da água subterrânea de Marte e indaga se, por acaso, Nibiru é uma estrela. Existem várias razões pelas quais tal descongelamento pode ocorrer; por exemplo, a aumentada atividade vulcânica em Marte ou a enorme e ampla atividade elétrica que vitimará nosso vizinho vermelho. Sugiro ler, atentamente, Mundos em Colisão de Velikowsky, que fornecerá preciosas informações a respeito. É sabido que a maior dificuldade na comunicação ocorre quando alguém quer questionar algo, de alguma forma, conhecido como verdadeiro. Quando se quer sustentar um princípio, a confiança depositada antes numa ideia pode ser tão sólida que a própria discussão pode apresentar-se sem sentido. E essa dificuldade é agravada pelo fato que as fontes de informação são fragmentadas e avaliadas separadamente.

A especialização de um inquérito intelectual traz junto certos riscos, quando afirmações numa disciplina são despejadas sobre informações anteriores em outras disciplinas. Ninguém é expert em tudo e quando se consideram possibilidades além do que se conhece, é apenas natural aceitar o que especialistas em outras áreas afirmam saber. Mas, indagamos: quais seriam as consequências disso quando uma suposição teórica, mesmo percebida como um fato, não consegue abrigar novos campos de dados? A ciência de hoje é extremamente fragmentada e fica difícil imaginar que a tentativa, como um todo, possa colecionar todo o conteúdo. Um grande passo adiante poderá ser dado por uma nova aproximação, na qual os fenômenos elétricos recebam a atenção total que merecem e na qual estejam incluídos todos os tipos apropriados de evidências. Para todos aqueles que querem instintivamente procurar princípios unificadores, esses novos horizontes poderão ser cheios de esperança. O universo elétrico é uma resposta holística à miopia – esta falta de inclinação a conhecer a existência de algo que estrangula a visão que acompanha naturalmente a fragmentação do conhecimento e de sua aprendizagem. Lembro que, em 1950, foi aberta uma controvérsia ao aparecimento de Mundos em Colisão, de Velikowsky. Nesta obra, ele demonstrou uma técnica multidisciplinar e comparativa para cobrir pesadas evidências de catástrofes do planeta, a partir das memórias registradas por antigas civilizações. Seu método seguia uma tese de tipo inusitado, mas confirmada globalmente por culturas totalmente separadas. Então, aplicando o conhecimento científico de causa e efeito, foi possível elaborar um modelo mais detalhado da sequência desses eventos. Esse modelo permitiu predições específicas a serem feitas e confirmadas, o que é objeto da teoria científica. Naquela época, várias dessas predições soavam como ultrajantes: Vênus seria quase incandescente, Júpiter estaria emitindo “sinais rádio”, as rochas lunares teriam magnetismo e assim por diante. O autor foi vilipendiado, desprezado e esquecido. Mas, Velikowsky estava certo e os astrônomos da época, errados. Apesar das evidências, ninguém se desculpou e, ainda hoje, é quase impossível achar algum livro que lhe dê crédito, porque se continua a negá-lo.

Isto já aconteceu várias vezes, se levarmos em conta que quem inventou o rádio não foi Marconi e sim Nikolas Tesla; quem inventou o telefone não foi Bell e sim Antonio Meucci; quem desenvolveu o super microscópico e a cura eletromagnética do câncer foi R.R. Rife, que, como recompensa, ganhou a prisão, na qual faleceu de desgosto. A lista é enorme. Para Velikowsky estava claro que o conceito newtoniano de gravidade não era suficiente para explicar, sozinho, o comportamento dos planetas. E, com certeza, não poderia responder à pergunta óbvia: Por que os céus parecem tão tranquilos agora? Isto originou uma resposta dogmática pelo avanço construtivo de Velikowsky no meio acadêmico. Foi objetado que sua teoria não obedecia às leis de Newton. Mas o que Newton conhecia de eletricidade? E as leis newtonianas, que Petit considera absolutamente válidas, não o são, porque foram modificadas e aperfeiçoadas por Einstein e outros cientistas mais próximos a nós. A questão permanece: O que produz a observada estabilidade do Sistema Solar? Velikowsky sustenta que a chave reside em sua descoberta que as forças elétricas dominam as incrivelmente fracas forças da gravidade, por ocasião de encontros ou proximidades de planetas. E, se meu amigo Marco Antonio Petit se der ao trabalho de ler meu livro Sinfonia da Energética I verá que, segundo as teorias mais modernas, essa diferença está na casa de 42 para um entre as forças elétricas e as gravitacionais. Porém, Velikowsky não foi capaz de explicar a estabilidade do Sistema Solar. E, por isso, toda a perspectiva catastrófica dele foi considerada errada pelos cientistas céticos de turno. Entretanto, os princípios básicos dos encontros de planetas foram confirmados e os detalhes convergem de maneira extraordinária.

Atualmente, vários pesquisadores pioneiros nesses estudos, concordam que encontros planetários já ocorreram na pré-história. Existem claras e definidas memórias disso na cultura das mais antigas civilizações. Elas inspiraram as pirâmides, as estruturas megalíticas, estátuas, totens e a arte sagrada esculpida em rochas. É evidente que os sobreviventes da catástrofe global consideraram imperativo que essas memórias fossem preservadas e passadas adiante para as futuras gerações, uma vez que os deuses poderiam retornar. Esta memorização foi expressa em forma de arquitetura, rituais para reordenar o poder apocalíptico dos deuses planetários sobre os destinos da humanidade. E isto explica o aparecimento repentino da civilização que, num relâmpago, originou-se de nenhum lugar. A teoria do Universo Elétrico cresceu da compreensão que uma nova cosmologia do plasma e o entendimento dos fenômenos elétricos no espaço poderiam iluminar o trabalho novo a ser realizado, comparando as mitologias. Em compensação, as imagens de eventos testemunhados nos céus pré-históricos e suas consequências poderiam auxiliar a revelar a história recente da Terra, de Marte e Vênus. Isto levou o vencedor do Prêmio Nobel, o físico Hannes Halfvén, a buscar as observações no passado, em vez de no futuro, a partir de algum início teórico idealizado. E, Alfvén G. Arrhenius, em Evolutions of Solar System [NASA, 1957, p. 257] diz: “Temos que reaprender a ciência sem contatos com experiências, num empreendimento que é como ir completamente fora de conjecturas imaginárias”. O que resulta, agora, é um “grande quadro”, que enfatiza a dramática pré-história e as conexões essenciais do universo. Não podemos continuar olhando a nós mesmos e ao universo através do espelho distorcido da ciência moderna.

A implicação da atividade elétrica entre planetas incomodará muito os que terão construído sua cosmologia em volta da fraca força da gravidade atuando num universo eletricamente estéril. Esta nova e dogmática visão garante que, no futuro, nada ficará da fantástica teoria do Big Bang ou da história simplificada do Sistema Solar. De fato, o astrônomo Halton Arp provou que “o universo não está em expansão” e se Arp estiver correto, muitos experts farão papel de bobos. Suas descobertas soaram como alarme no meio acadêmico; a resposta foi que Arp foi negado, seus estudos foram rejeitados e ele foi forçado a sair dos Estados Unidos para poder continuar seus estudos. O mesmo aconteceu com Galileu Galilei, quando convidou os astrônomos de sua época a olhar em seu telescópio. Simplesmente, recusaram-se a olhar, numa atitude nem científica, nem honesta e tampouco prudente. Há mais de 10 anos, os físicos do plasma possuem um modelo elétrico das galáxias. Ele funciona com a física do mundo real. E consegue explicar o que é observado na dinâmica das galáxias, sem recorrer à matéria negra invisível e ao buraco negro central. Simplesmente, o modelo explica os poderosos jatos observados a partir do eixo de rotação, no coração de galáxias ativas. Estudos recentes e seus resultados confirmam o campo magnético de uma galáxia espiral e o modelo elétrico. Mais recentemente, foram descobertos campos magnéticos intergalácticos. O modelo gravitacional teve que recorrer à invenção do buraco negro invisível para explicar como a força da atração gravitacional resulta em matéria sendo ejetada do centro galáctico numa estreita faixa a velocidades relativísticas. Tudo o que acabamos de ver, apenas serve para mostrar que os fenômenos elétricos entre planetas, o Sol e Nibiru são, não apenas previsíveis e sim altamente prováveis de acontecer. Todavia, é bom que fique claro que ainda estamos estudando o universo e as aparentes leis imutáveis não são tão imutáveis assim, nem tampouco leis. Temos muito que aprender e é bom que a ciência adote uma atitude, no mínimo, prudente antes de condenar conceitos ou ideias aparentemente confirmadas e que, a qualquer momento, podem ser condenadas.

E mais: quando os telescópios não encontram o astro procurado, é melhor seguir o conselho de Winston Churchill, quando, ao se apresentar numa conferência numa universidade inglesa, olhou para a audiência, tirou o chapéu e o famoso charuto e disse: “Nunca desista”. Não existe nada de mais sintético e objetivo: persistir é o que devemos fazer, com instrumentos mais perfeitos e precisos e observações mais cuidadosas. Afirmar que algo não existe é, no mínimo, perigoso e pouco científico. Bastariam poucos mililitros de álcool no sangue do observador para que ele veja dois planetas. É claro que estou brincando. Todavia, isso deveria ser levado em conta. Os famosos canais de Marte observados no telescópio, não existiam realmente, assim como foram apresentados inicialmente, ao mundo científico. Agora, sabemos muito mais sobre eles, especialmente devido aos persistentes estudos de Marco Antonio Petit sobre o planeta Marte, dos quais temos muito a aprender e que Petit não hesita em apresentar. É por isso que, sempre que possível, não perco nenhuma de suas palestras, pela seriedade e honestidade de propósitos que o animam. É por isso que sou um seu profundo admirador.

Outros aspectos da polêmica sobre Nibiru

No artigo de Petit não são feitas menções sobre outras partes por mim apresentadas na palestra de Curitiba, em 2008. Por exemplo, não se comenta o que foi revelado pelo jornalista italiano Cristoforo Barbato, que foi um dos pioneiros a tentar alertar o mundo, baseando-se nas confissões de um sacerdote jesuíta inconformado com as atitudes do Vaticano em também querer esconder da população o que sabe a respeito de Nibiru. Dessas confissões resulta que não é apenas a ciência que tenta negar esse astro; os Governos também tentam. Mas tem gente que tem algo a dizer a respeito e o diz. Na palestra de 2009, apresentei vários slides sobre o que foi revelado, envolvendo o Servizio Informazioni del Vaticano (SIV), em nível de Secretum Omega, equivalente ao “Top Secret” da OTAN. É estranho que esses trechos tenham sido omitidos no artigo de Petit. Como já declarei, grande parte da palestra e do artigo escrito por mim na edição da UFO 148 está baseada no livro Planet X Forecast and 2012 Survival Guide, que considero uma das melhores, se não a melhor obra das que foram escritas envolvendo o tal planeta. Mas, quando há fumaça, provavelmente encontra-se fogo. E se existir muita fumaça, o fogo, se já não existe, está próximo. Há muitas evidências, todas convergindo, inexoravelmente, para a realidade da existência de Nibiru. Caso contrário, por que o cientista Stephen Hawkins sustentaria a procura de novas Terras extra-solares? Essa procura já está em andamento há vários anos.

Novas informações

Na página 137 do texto por mim consultado, encontra-se: “Schneider, geólogo, engenheiro geral e estrutural, teve acesso a conhecimentos governamentais top secret durante 17 anos, pois trabalhou durante 11 anos em Groom Lake, na base aérea da Força Aérea Norte-Americana no estado de Nevada, ao norte de Las Vegas. Ele co-inventou a carga explosiva plástica e era filho de um comandante de um submarino nazista da II Guerra Mundial. Após a guerra, seu pai trabalhou ajudando na construção do Nautilus, primeiro submarino nuclear norte-americano. O aparelho que Schneider inventou, utilizando maser-laser é utilizado para criar túneis e complexos subterrâneos, fundindo e solidificando rochas. É usado para perfurar túneis de 8,53 m de largura por 8,53 m de altura, no ritmo de 11,27 km por dia”. A minoria que não acredita no envolvimento secreto de nossos governos com outras raças, considerará tudo que Schneider disse como algo lunático. Mas, deveriam ficar atentos em suas palestras, onde afirma que “os Estados Unidos, como possivelmente outras nações, estão em contato com 11 raças alienígenas, das quais duas são benignas. As outras nove raças são aproveitadoras, que, implacavelmente, exploram esse planeta, seus recursos e suas formas de vida”. Por outro lado, a maioria que acredita na existência de raças extraterrestres encontrará grande relação entre o que ele disse sobre a globalização, em 1995, que está criando maiores subclasses, transferindo mais riqueza e poder para as mãos de muitos poucos. Schneider nos alertou que a Nova Ordem Mundial tem desmantelado governos nacionais, incorporando-os às Nações Unidas, que poderia converter-se no governo único mundial.

Diz-se, para os que servem essa finalidade secreta, que eles estão trabalhando para por um fim às guerras. Após 17 anos de fiéis serviços, Schneider renunciou, ao chegar à conclusão que uma finalidade mais negra estava sendo manipulada e que isso era controlado pelas raças alienígenas que, rotineiramente, violavam os acordos. Esse comportamento causou a guerra áliens-humanos, na base de Dulce, Novo México, que aconteceu por acidente. De acordo com Schneider, foram mortos 66 agentes do Serviço Americano e membros da Força Especial, durante essa curta e não planejada batalha e ele foi um dos sobreviventes. Em certo momento, ele foi surpreendido por dois altos grays e, tendo sido treinado, sacou o revólver e matou os dois. Então, apareceu um terceiro e o atingiu com o raio de uma arma que queimou um de seus pulmões e dois dedos de sua mão. Ele declarou ter sido salvo por uma boina verde que, mais tarde, perdeu a vida nessa luta. Em seguida, ficou 400 dias em tratamento com radioterapia. Os outros dois sobreviventes estão em casas de repouso, no Canadá.

O aspecto específico desse relatório gera algumas questões, visto que a arma de raios do álien foi usada num ataque e que 400 dias de radioterapia é altamente irregular. Existem outras formas de fazer isso. Em 1996, Schneider morreu, aparentemente por suicídio, mas isso é altamente suspeito. Segundo a esposa, Cynthia Drayer, seu corpo foi achado já decomposto em seu apartamento em Wilsonville, Oregon. O delegado que o examinou considerou a morte como sendo suicídio. Schneider foi encontrado com um cateter de borracha enrolado três vezes no pescoço e amarrado pela metade na testa. Isto era estranho, pois o homem não tinha dois dedos e possuía uma caixa de remédios de poderosas medicinas contra dores. Segundo a esposa, os fluidos do corpo de seu marido nunca foram testados e não foi achada nenhuma nota do suicida.

Os livros pessoais de Schneider sobre as “operações negras” do governo e suas pesquisas pessoais foram roubados e desapareceram, enquanto considerável quantia em dinheiro e outros valores foram deixados intactos. Durante as palestras de 1995, o engenheiro disse aos ouvintes que já tinha sido alvo de 13 tentativas contra sua vida. E a esposa declarou que ele sempre dizia aos amigos que, se alguma vez, aparecesse como tendo cometido suicídio, eles saberiam que tinha sido assassinato. Isto fornece uma ideia de um homem que foi silenciado na 14ª tentativa e isto gera um alto grau de credibilidade a suas conclusões quanto às bases subterrâneas e submarinas. De acordo com Schneider, em dezembro de 1995, existiam 131 bases subterrâneas no mundo todo. As variantes dessas bases são conhecidas na comunidade das “operações negras” como Deep Underground Military Bases (DUMBs). As versões submarinas são designadas como DUMB2 Bases. Schneider focalizou, principalmente, as bases subterrâneas e ofereceu as seguintes informações:

· USA Subterraneans Locations: DUMBs estão tipicamente localizadas em terrenos de propriedades governamentais. Por exemplo, nove DUMBs estão situadas debaixo da Base da Força Aérea de Nellis, ao norte de Las Vegas;
· Volume médio e custo: 4,5 milhas cúbicas (18,76 km cúbicos) ao custo entre 17 e 31 bilhões de dólares cada;
· Base maior, volume e custo: localizada na Suécia, tem 125,04 km cúbicos, ao custo de dois trilhões de dólares. Demorou cinco anos para construí-la e foi totalmente subscrita pelas Nações Unidas;
· Alcance da profundidade: varia de 152,4 m, nos depósitos mais antigos até 3.218,64 m ou que é quase tão fundo quanto a mina South Rand, na África do Sul; esta mina chega até 3.585 m;
· Profundidade média: durante terremotos, é mais seguro estar fundo no subsolo do que na superfície e é por isso que a profundidade média das DUMBs é de 737,36 m. Esta é a profundidade ótima em termos de sobrevivência, sem a necessidade de calor e pressão associados a profundidades maiores;
· Tipos de DUMBs subterrâneas: as mais velhas, de mais de 40 anos, estão localizadas em profundidades mais rasas e são usadas como armazéns. As mais novas e profundas são auto-suficientes e contêm instalações militares de vários níveis ou prisões;
· Número de DUMBs subterrâneas: em 1995, o número ativo era de 131. Atualmente, a cada ano, são construídas duas novas DUMBs, enquanto vários antigos depósitos estão sendo retirados do serviço. O número total de DUMBs é desconhecido;
· Trabalho de construção: cada DUMB requer de 1.800 a 10.000 trabalhadores treinados para a construção, com salários de 4.000 a 40.000 dólares por mês, dependendo da posição e do período trabalhado. Todos os trabalhadores são obrigados a observar um acordo de segurança que inibe revelações proibidas;
· Distribuição nos Estados Unidos: em média, existem três DUMBs por estado, das quais, aproximadamente ¼ são campos de prisioneiros. A maioria está localizada nos estados mais meridionais;
· Rede de transporte: dois diferentes tipos de rede de túneis unem as DUMBs. Uma é uma simples rede de duas linhas próximas. A outra é uma sofisticada linha magnética com trens movidos eletricamente, capazes de viajar a duas vezes a velocidade do som. Entre esses trens, cada um com 143 lugares, alguns estão destinados para transferência de prisioneiros das Nações Unidas;
· Fontes de energia: são utilizados motores nucleares do tamanho de uma pequena geladeira. Desenvolvidos por engenharia reversa de discos alienígenas, cada um desses motores é bastante poderoso para movimentar três porta-aviões; e
· Fontes de financiamento: algumas provêm de taxas e impostos, mas a maior parte provém de operações clandestinas, incluindo o comércio de drogas. Os fundos alcançam, em conjunto, 500 bilhões de dólares por anos.

De acordo com Schneider, a tecnologia dos militares está mil anos à frente da tecnologia do público. E isso avança 45 anos em favor dos militares para cada ano de avanço público. Trinta milhas a leste de Coeur d’Alene, na pequena comunidade mineira de Kellog e de Bunkerhill Mine, está a propriedade de Robert Hopper. Segundo a Environmental Protection Agency [EPA – Agência de Proteção Ambiental], esta propriedade é a maior mina de Chumbo-Zinco-Prata dos Estados Unidos e, logo no início da administração do governo Clinton, a EPA fez a primeira tentativa para roubar a mina de Hopper. Mas este se defendeu e demonstrou não ter violado qualquer lei estadual ou federal de mineração. Hopper conseguiu paralisar a EPA e continua lutando, apesar do uso abusivo extra dos poderes judiciais para conseguir confiscar a mina, sem pagamento dos direitos de Hopper. Em abril de 2004, Hopper apareceu no programa Internet Radio com Marshall Masters [yowusa.com/radio]. Durante a entrevista, Hopper assim se expressou em relação à Bunkerhill Mine:

· Níveis: a EPA descreve que a mina possui 25 cidades colocadas cada uma sobre a outra. Cada nível é completamente desenvolvido, com fontes de água e de eletricidade, ar comprimido, ferrovias e áreas de trabalho;
· Trabalhos horizontais: 150 milhas de 3,05 x 3,05 metros de passagens horizontais, bastante grandes para deixar passar uma pick-up;
· Escavações verticais: a navegação vertical através dos 25 níveis da mina é feita através de 9,66 km de escavações, que são usadas como elevadores utilizados em modernos arranha-céus;
· Reservas de minérios: a mina possui ainda 36,24 milhões de toneladas cúbicas de Chumbo-Zinco-Prata, com valor de cerca de 52 bilhões de dólares;
· Água potável: a mina é adjacente a um vasto reservatório subterrâneo de água natural. Em anos recentes, os níveis inferiores da mina ficaram completamente inundados por água artesiana pura;
· Acesso ao transporte terrestre: a entrada principal da mina está a 305 m abaixo da rua principal da cidade e da rodovia interestadual 90; e
· Acesso por transporte aéreo: a entrada principal da mina está a cerca de três quilômetros por rodovia do Kellog City Airport, que possui uma pista de 1.830 m, o que possibilita operar com o avião C-17 Globemaster III, que pode pousar em pistas de 1.064 m.

A longo prazo, a EPA acabará vencendo. O proprietário sabe disso, mas, de qualquer forma, continua lutando. Isto é o que encontramos no livro supracitado. Mas não temos apenas essas informações. Sabemos, por outras fontes que seria impossível citar por serem muito numerosas, que essas mesmas construções de abrigos subterrâneos estão sendo completadas, “a toque de caixa”, na Europa, Rússia, China, Índia, Japão e assim por diante. E ainda querem que acreditemos que Nibiru seja, apenas, uma mentira? Sem falar das milhares profecias bíblicas, maias, egípcias, de Nostradamus, da Mãe Shipton, na Bíblia Kolbrin etc.

Por fim

Apesar das afirmações e correções trazidas pelo excelente pesquisador Marco Antonio Petit baseadas nas imutáveis leis da física e da astronomia – para mim, não tão imutáveis assim -, considero que já existem conhecimentos suficientes para se suspeitar que algo de grande está se aproximando deste planeta, não apenas em termos de tamanho como em termos de catástrofes que poderão nos atingir. Caso contrário, se fosse tão simples eliminar o perigo de Nibiru, bastando apenas negá-lo, como explicar as febris aberturas de novos abrigos para os eventuais escolhidos a reiniciar a humanidade, em novos paradigmas, com nova moral e, espero, com uma nova religião, mais abrangente e mais próxima do Divino? Como explicar a busca frenética de uma nova Terra, fora do Sistema Solar? Não é negando-o que se consegue apagar Nibiru. Esse diabólico planeta não está nem aí com nossas polêmicas, não toma parte alguma e nos deixa, apenas, amontoando palavras. Mas Nibiru, se é que existe – e espero, sinceramente, que não exista – continua em sua trajetória, com tudo de trágico e mortal que isso poderá trazer. Se eu estiver errado, não haverá catástrofes, o que me deixará ultra feliz, pois também sou um terrestre. Se alguma civilização extraterrestre superavançada conseguir desviar de sua rota o astro fatídico, afastando de nós esse perigo, serei bem feliz de reconhecer o erro. Mas, se nada disso acontecer, se nossos amigos de outros espaços não puderem ou não quiserem interferir porque a moral cósmica os impede, provavelmente não terei qualquer oportunidade de declarar: “Eu estava certo!”, porque estarei do outro lado, junto a vários bilhões de terrestres. Tudo que é possível fazer é nada. É só esperar e verificar. Mas quem será capaz de fazê-lo? Resumindo: continuo com minha opinião, mas cabe-me agradecer as palavras de meu amigo Petit, pela elegância com que conduziu seu artigo. Esta é mais uma característica desse fantástico ufólogo pesquisador, do qual permaneço ardoroso fã.

Autor: Salvatore De Salvo
Fonte: Salvatore De Salvo
Crédito da foto: Arquivo UFO

Fonte :  Revista UFO – Nibiru A polêmica continua

Nassim Haramein

•abril 20, 2009 segunda-feira • 15 Comentários

Nassim Haramein

Nassim Haramein é um investigador brilhante que me deixou perplexo com a quantidade de informação cientifica que consegue cruzar. Para quem já contactou com conceitos de física moderna, Nassim Haramein leva-nos um pouco mais adiante em temas como: buracos negros, expansão/contracção simultâneas, geometria sagrada, vacum, cropcircles, pirâmides, dimensões, paradigmas das leis quânticas e newtonianas, espirais e muito mais nesta palestra de oito horas. Tudo de um ponto de vista cientifico.

Nassim Haramein é um físico nascido na Suíça que dedicou toda a sua vida em pesquisas e pensamentos no campo da física quântica e teorias sobre o hiperesaço, espaço de uma maneira não muito convencional mas profundamente esclarecedora trazendo novas e corajosas discussões e revelaçoes nesse campo e relacionando elas à nossa realidade, à nossa existência e ao conhecimento das civilizações antigas.

The Resonance Project

Traduzido via google  Projeto Ressonância

São 8 horas de uma palestra imperdível, que fatalmente vai mudar sua forma de pensar e entender a física que foi ensinada nas escolas, de maneira didática, compreensiva e divertida. Certamente você não vai se arrepender.

Para continuar assistindo clique neste link que o levará a lista de reprodução do canal no youtube ds partes já traduzidas.

Mínimo solar

•abril 20, 2009 segunda-feira • 8 Comentários

Com informações da Apolo11.com

21/04/2009 – 10h24

Sol passa por sua mais baixa atividade

e intriga estudiosos

Da Redação

O Sol está passando por um período de baixa atividade e isso vem chamando atenção dos astrônomos. É quase um século praticamente sem explosões na atmosfera e emitindo poucas chamas. Foto: Imagem do disco solar feita pelo telescópio espacial Soho em 21 de abril de 2009 mostra a total ausência de manchas solares. Crédito: Soho/Apolo11.comNormalmente, o astro passa por ciclos de atividade de 11 anos e durante o pico adquire uma atmosfera efervescente lançando chamas e partículas gasosas super quentes. Após esse pico, a atividade solar tem naturalmente uma queda.

O que tem deixado os astrônomos intrigados é que depois de uma temporada de calmaria, esperava-se que o sol aumentasse de novo sua atividade no ano passado. Mas em vez disso, sua atividade está extremamente baixa.

A pressão do vento solar chegou ao seu nível mais baixo em 50 anos, as emissões radiológicas são as mais baixas dos últimos 55 anos e as atividades de manchas solares também são as menores dos últimos 100 anos.

As razões para esse comportamento ainda não estão muito claras e não se sabe quando a atividade do sol vai voltar ao normal, é o que diz a professora Louise Hara, do University College London. “Não há sinais de que ele esteja saindo deste período”, afirma Hara.

Em meados do século 17, um período de calmaria, conhecido como Maunder Minimum durou 70 anos. Alguns especialistas sugerem que um esfriamento semelhante do sol poderia compensar os efeitos atuais das mudanças climáticas.

Outros cientistas não veem essa relação. O professor Mike Lockwood, da Universidade de Southhampton, demonstrou em um estudo que a atividade do sol vinha decrescendo gradualmente desde 1985, mas que as temperaturas globais continuavam subindo no mesmo intervalo.

Foto: Imagem do disco solar feita pelo telescópio espacial Soho em 21 de abril de 2009 mostra a total ausência de manchas solares. Crédito: Soho/Apolo11.com

Link Permanente
http://www.apolo11.com/notasenoticias.php?posic=dat_20090421-102444.inc

Com informações da MetSul:

Mínimo solar ainda não teria sido atingido

Autor: Eugenio Hackbart
Publicado em 19/04/2009 16:16

-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*-*

Leia artigo anterior: CALMARIA NO SOL• Abril 3, 2009 Sexta-Feira

Leia também interessante artigo em outro blog (link atualizado em 06-06-2009) :   Sol: onde estão as manchas solares afinal?

PARE. PENSE!

•abril 19, 2009 domingo • 3 Comentários

PARE. PENSE!

Esta campanha, composta por cinco vídeos, faz parte das ações de conscientização do Projeto Criança e Consumo. Com o objetivo de divulgar conteúdos de fácil absorção sobre as conseqüências do consumismo infanto-juvenil, a campanha aborda os impactos desse comportamento por meio de mensagens educativas direcionadas a pais, educadores e formadores de opinião. Esses vídeos têm a finalidade de despertar a reflexão sobre obesidade infantil, erotização precoce, alcoolismo, stress familiar, delinqüência e violência.
Instituto Alana
http://www.alana.org.br/default.aspx

Man´s right to know

•abril 18, 2009 sábado • Deixe um comentário

18 outubro 2009 a 18 de abril 2009

Arauto do futuro completa seis meses ‘no ar’ e o presente é preciso, precioso.

A vida e obra de  Wilhelm Reich

o “arauto de um futuro”  que é nosso hoje.

“o direito de saber do homem”

Um video oficial, do Wilhelm Reich Infant Trust, que conta claramente a história de Reich e explica as bases da teoria da Energia Orgone. Legendado em português e  em quatro partes.

.

Parte 2

.

Parte 3

.

Parte 4

CRIANÇA – A ALMA DO NEGÓCIO

•abril 17, 2009 sexta-feira • 3 Comentários

CRIANÇA

A ALMA DO NEGÓCIO

Um documentário sobre publicidade, consumo e infância.


Produtora: Maria Farinha Produções
Direção: Estela Renner
Produção Executiva: Marcos Nisti

Sinopse: “Por que meu filho sempre me pede um brinquedo novo? Por que minha filha quer mais uma boneca se ela já tem uma caixa cheia de bonecas? Por que meu filho acha que precisa de mais um tênis? Por que eu comprei maquiagem para minha filha se ela só tem cinco anos? Por que meu filho sofre tanto se ele não tem o último modelo de um celular? Por que eu não consigo dizer não? Ele pede, eu compro e mesmo assim meu filho sempre quer mais. De onde vem este desejo constante de consumo?” Este documentário reflete sobre estas questões e mostra como no Brasil a criança se tornou a alma do negócio para a publicidade. A indústria descobriu que é mais fácil convencer uma criança do que um adulto, então, as crianças são bombardeadas por propagandas que estimulam o consumo e que falam diretamente com elas. O resultado disso é devastador: crianças que, aos cinco anos, já vão à escola totalmente maquiadas e deixaram de brincar de correr por causa de seus saltos altos; que sabem as marcas de todos os celulares mas não sabem o que é uma minhoca; que reconhecem as marcas de todos os salgadinhos mas não sabem os nomes de frutas e legumes. Num jogo desigual e desumano, os anunciantes ficam com o lucro enquanto as crianças arcam com o prejuízo de sua infância encurtada. Contundente, ousado e real, este documentário escancara a perplexidade deste cenário, convidando você a refletir sobre seu papel dentro dele e sobre o futuro da infância.

Instituto Alana: http://www.alana.org.br/

Não guarde só para você, divulgue.

No YouTube:
PARTE 2
http://br.youtube.com/watch?v=UkcVM0V…
PARTE 3
http://br.youtube.com/watch?v=eq0gqEe…
PARTE 4
http://br.youtube.com/watch?v=2d0DWuZ…
PARTE 5
http://br.youtube.com/watch?v=88v1i9B
CRÉDITOS
http://br.youtube.com/watch?v=Oqk7uUn…

SAL

•abril 16, 2009 quinta-feira • 2 Comentários

Sal

função purificadora de energia

M. Selath

O sal, cloreto de sódio, é considerado um potente purificador de ambientes.

Povos distintos usam o sal para deixar a casa a salvo de energias nefastas, como as da visualização, de formas negativas de pensamentos.

O sal é um cristal. Visto ao microscópio, o sal bruto revela que é um cristal, formado por pequenos cubos achatados. Tem propriedades piezelétricas e por isso emite ondas eletromagnéticas que podem ser medidas pelos radiestesistas.

Tem o mesmo comprimento de onda da cor violeta, capaz de neutralizar os campos eletromagnéticos negativos.

O sal elimina as energias densas que costumam se concentrar nos cantos da casa, já que os ângulos facilitam a estagnação de energias.

Colocar um copo de água com sal grosso, ou mesmo o refinado sal de cozinha, equilibra essas forças e deixa a casa mais “leve”.

Isso pode ser confirmado pela medição radiestésica, um trabalho que o radiestesista, prof. Georges Charbel Farah, vem desenvolvendo e ensinando há muitos anos.

Faça a experiência:

Para uma sala média, onde não circula muita gente, um copo de água com sal em dois cantos é suficiente. Em dois ou três dias, já se percebe a diferença. Quando formam-se bolhas, ou um anel de sal cristalizado ao redor do copo é hora de renovar o conteúdo.

A solução de água e sal também é capaz de puxar os íons positivos, isto é, as partículas de energia elétrica da atmosfera, e reequilibrar a energia dos ambientes, principalmente em locais fechados, escuros ou mesmo antes de uma tempestade. As tempestades são eletromagnéticas. Íons gerados pelas tempestades têm efeito intensificador e podem provocar tensão e irritação nas pessoas que habitam o local.

A prática simples de purificação com água e sal deve ser feita à menor sensação de que o ambiente está desarmônico, para que o sono não seja perturbado.

Banho de sal grosso

Banho de sal grosso e o antigo escalda-pés (mergulhar os pés em salmoura bem quente) têm o poder de neutralizar a eletricidade do corpo. Para quem mora longe da praia, é um ótimo jeito de relaxar e renovar as energias.

Banhos energéticos e de limpeza.

Tomar banho de água salgada com bicarbonato de sódio descarrega as energias ruins e é relaxante.

Não molhar a cabeça, pois é aí que mora o nosso espírito e ele não deve ser neutralizado.

Técnicas de usar o sal, como as abaixo descritas:

Da sabedoria popular:

“Uma pitada de sal sobre os ombros afasta a inveja.

Para espantar o mau-olhado ou evitar visitas indesejáveis; caboclos e caipiras costumam colocar uma fileira de sal na soleira da porta ou um copo de salmoura do lado esquerdo da entrada. “A mistura de sal com água ou álcool absorve tudo de ruim que está no ar, ajuda a purificar e impede que a inveja, o mau-olhado e outros sentimentos inferiores entrem na casa.”

Purificação de louças.

Depois de uma festa, lavar todos os copos e pratos com água e sal fino ou grosso, para neutralizar a energia dos convidados, purificando a louça para o uso diário.

O sal é usado em diversas culturas e tradições.

Na tradição africana, quando alguém se muda, as primeiras providências que tomam ao entrar na casa são: colocar uma quartinha de água viva e outra com sal. Usam sal marinho seco, num pires branco atrás da porta para puxar a energia negativa de quem entra. Também tomam banho com água salgada com ervas para renovar a energia interna e a vontade de viver.

Na cultura tradicional japonesa é, também, símbolo de lealdade (2).
O sal é considerado um poderoso cristal para purificar.

Os japoneses mais tradicionais jogam sal todos os dias na soleira das portas e sempre que uma visita mal-vinda vai embora.

A purificação pela “água viva” e pela água do mar.

Águas de fonte na nascente dos rios são chamadas águas vivas. A Bíblia fala da purificação pela água na fonte de Siloé.

A água já foi chamada de “solvente universal”. O corpo humano tem, em média, 63 por cento de água.

Banhos de rio, por ter água corrente, limpam energias, mesmo as vitais. É mito pensar que uma pessoa se hidrata ao tomar banhos. Em grandes volumes de água, doce ou salgada, a pessoa, ao contrário, perde peso.

É fácil comprovar: basta uma pesagem com o corpo nu antes e depois da ablução prolongada. É importante que o banho seja demorado e que nenhum líquido seja ingerido, já que a perda é pequena.

Outro sintoma é a sonolência após os banhos prolongados.

Como conservante de alimentos

Ainda hoje a salga é um processo de conservação de alimentos. No passado, quando a refrigeração e o congelamento em frigoríficos eram inexistentes, esse era um dos processos mais difundidos.

Proteção pessoal

É sabido que os cristais, (corpos cristalinos) protegem contra energias negativas e vampirizações. Por ter a forma cristalina, o cloreto de sódio tem uma vantagem sobre outros cristais. Se usado junto ao corpo, vai acumulando energias negativas, impedindo que elas perturbem a aura da pessoa. Ao final do dia, basta descartá-lo antes de entrar em casa e a chuva o desintegrará. Outro cristal poderá ser apanhado por uma pessoa e esta levará as energias negativas que impregnaram a pedra de sal, assim estaremos fazendo o mal a alguém o que e incorreto.

Caso um cristal não solúvel seja usado, teremos de ter o trabalho de desimpregná-lo antes de voltar a usá-lo, além de a hipótese de que pode haver a possibilidade de roubo.

Notas do autor:

(1)-Sal como pagamento. Já foi usado como moeda. A palavra salário corresponde a essa forma de pagar por serviços.

(2)-Símbolo de lealdade na luta de Sumô. Os campeões jogam sal no ringue para que a luta transcorra com lealdade.

O parto

•abril 15, 2009 quarta-feira • Deixe um comentário

Um paralelo entre o desenvolvimento do feto humano e a evolução da humanidade – 7,000,000,000 – uma emocionante reflexão!

Superstição

•abril 14, 2009 terça-feira • Deixe um comentário

Segurança é, principalmente, uma superstição.

Não existe na natureza,

nem os filhos dos homens experimentam-na por completo.

A longo prazo,

evitar perigos não é mais seguro

do que atirar-se e arriscar-se.

A vida é ou uma audaciosa aventura, ou nada.

Hellen Keller

DiAmantes da vida

•abril 13, 2009 segunda-feira • 2 Comentários

Diriam que, embora, quem quase morto ainda vive, quem ‘quase’ vive já morreu, portanto lapide os diamantes da vida…

24122008439

“Hay que buscarse un Amante”

(Dr. Jorge Bucay – tradução do original “Hay que buscarse un Amante”)

Muitas pessoas têm um amante e outras gostariam de ter um. Há também as que não têm, e as que tinham e perderam.
Geralmente são essas últimas as que vêem ao meu consultório para me contar que estão tristes ou que apresentam sintomas típicos de insônia, apatia, pessimismo, crises de choro ou as mais diversas dores.
Elas me contam que suas vidas transcorrem de forma monótona e sem perspectivas, que trabalham apenas para sobreviver e que não sabem como ocupar seu tempo livre. As vezes nem se permitem “tempo livre”. Enfim, são várias as maneiras que elas encontram para dizer que estão simplesmente perdendo a esperança.
Antes de me contarem tudo isto, elas já haviam visitado outros consultórios, onde receberam as condolências de um diagnóstico firme: “Depressão”, além da inevitável receita do anti-depressivo do momento.
Assim, após escutá-las atentamente, eu lhes digo que elas não precisam de nenhum anti-depressivo; digo-lhes que elas precisam de um AMANTE!
É impressionante ver a expressão dos olhos delas ao receberem meu conselho.
Há as que pensam: “Como é possível que um profissional se atreva a sugerir uma coisa dessas?!” Há também as que, chocadas e escandalizadas, se despedem e não voltam nunca mais.
Àquelas, porém, que decidem ficar e não fogem horrorizadas, eu explico o seguinte:
AMANTE é “aquilo que nos apaixona”. É o que toma conta do nosso pensamento antes de pegarmos no sono e é também aquilo que, às vezes, nos impede de dormir. O nosso AMANTE é aquilo que nos mantém distraídos em relação ao que acontece à nossa volta. É o que nos mostra o sentido e a motivação da vida.
Às vezes encontramos o nosso amante em nosso parceiro, outras, em alguém que não é nosso parceiro, mas que nos desperta as maiores paixões e sensações incríveis.
Também podemos buscar e encontrá-lo na pesquisa científica ou na literatura, na música, na política, no esporte, no trabalho, na necessidade de transcender espiritualmente, na boa mesa, no estudo ou no prazer obsessivo do passatempo predileto… Enfim, é “alguém” ou “algo” que nos faz “namorar” a vida e nos afasta do triste destino de “ir levando”.
E o que é “ir levando”? Ir levando é ter medo de viver. É o vigiar a forma como os outros vivem, é o se deixar dominar pela pressão, perambular por consultórios médicos, tomar remédios multicoloridos, afastar-se do que é gratificante, observar decepcionado cada ruga nova que o espelho mostra, é se aborrecer com o calor ou com o frio, com a umidade, com o sol ou com a chuva.
Ir levando é adiar a possibilidade de desfrutar o hoje, fingindo se contentar com a incerta e frágil ilusão de que talvez possamos realizar algo amanhã.
Por favor, não se contente com “ir levando”; procure um amante, seja também um amante e um protagonista … da SUA VIDA…
Acredite: o trágico não é morrer; afinal a morte tem boa memória e nunca se esqueceu de ninguém. O trágico é desistir de viver; por isso, e sem mais delongas, procure um amante…
A psicologia, após estudar muito sobre o tema, descobriu algo transcendental:

“PARA SE ESTAR SATISFEITO, ATIVO E SENTIR-SE JOVEM E FELIZ, É PRECISO NAMORAR
A VIDA.”

RODAMOINHOS E ÁGUAS PARADAS

•abril 12, 2009 domingo • 1 Comentário

RODAMOINHOS E ÁGUAS PARADAS


VIVENDO ZEN
Charlotte Joko Beck

Somos bem parecidos a rodamoinhos no rio da vida.

Em seu fluxo, o rio ou riacho encontra pedras, galhos ou irregularidades de leito que levam ao aparecimento espontâneo de rodamoinhos aqui e ali.
A água que passa por esses pontos rapidamente os atravessa e se reintegra ao rio, podendo mais adiante entrar em outro rodamoinho e prosseguir depois. Embora por curtos períodos ela pareça distinta, um evento separado, a água do rodamoinho é apenas o próprio rio.

A estabilidade do rodamoinho é temporária.

A energia do rio da vida forma as coisas vivas – o ser humano, o gato, o cachorro, as árvores e as plantas. A energia que foi um certo rodamoinho se dissolve e a água prossegue, talvez para ser novamente retida e, por um momento, transformar-se em outro rodamoinho.
Preferimos no entanto não pensar sobre nossas vidas dessa maneira. Não queremos nos ver como uma formação temporária e simples, um rodamoinho no rio da vida. O fato é que assumimos uma forma por um certo tempo e, quando as condições são propícias, saímos de cena. Não há nada de errado em sair de cena; é uma parte natural do processo. Contudo, gostamos de pensar que esses pequenos rodamoinhos que somos não fazem parte do rio.

Queremos nos ver como seres permanentes e estáveis.

Toda a nossa energia é dirigida para nossas tentativas de proteger nossa suposta realidade em separado. Para proteger essa nossa separação, criamos limites fixos e artificiais. Em consequência disso, acumulamos excesso de bagagem, coisas que deslizam para o fundo do rodamoinho e não podem fluir de novo.

Assim, as coisas vão entupindo nosso rodamoinho e o processo fica confuso. O rio precisa fluir naturalmente, sem empecilhos. Se o nosso rodamoinho particular está todo entulhado de coisas, acabamos também prejudicando o rio em sí. Ele não conseguirá ir a parte nenhuma. O melhor que podemos fazer é manter a água fluindo e limpa para que apenas continue seu curso.

Quando fica represada, criamos problemas mentais, físicos e espirituais.

A energia da vida busca uma rápida transformação. Se conseguirmos ver a vida dessa maneira e não nos apegarmos a nada, a vida simplesmente vem e vai. Quando detritos chegam ao nosso pequeno rodamoinho, e se seu fluxo for harmônico e forte, eles ficam girando ali durante um certo tempo e depois seguem adiante. Não é assim porém que vivemos. Como não percebemos que somos simples rodamoinhos no rio do universo, consideramo-nos entidades separadas que precisam proteger seus limites.
Noventa por cento da vida é gasta na tentativa de criar limites em torno do rodamoinho.

Estamos constantemente na defensiva: “Ele talvez me magoe” ; ‘Isso pode dar errado’’; ‘Não gosto dele de jeito nenhum” . Esse é um completo mau uso da nossa função vital e , mesmo assim, todos nos comportamos dessa forma, em maior ou menor escala.
As preocupações financeiras refletem nosso esforço para manter limites fixos. “E se meu investimento fracassar? Talvez eu perca todo o meu dinheiro.” Não queremos que nada ameaçe nosso suprimento monetário. Sendo protetores e ansiosos, apegando-nos aos nossos bens materiais, entulhamos nossas vidas. A água que deveria estar correndo, entrando e saindo, para poder servir, torna-se estagnada. O rodamoinho que ergue um dique à sua volta e se isola do resto do rio se torna estagnado e perde sua vitalidade.
A prática consiste em não se estar mais preso ao que é particular, mas em enxergá-lo como realmente é – uma parte do todo. Apesar disso, gastamos a maior parte de nossa energia criando água parada.

É isso o que acontece quando se vive no medo.
O medo existe porque o rodamoinho não entende o que é – ou seja, nada além do próprio rio. Enquanto não tivermos um vislumbre dessa verdade, toda nossa energia estará indo na direção errada.
Criamos muitos pontos de estagnação que geram contaminaç ão e doenças. Águas paradas causam muitos problemas.

O frescor da vida está perdido.
Os maiores problemas são criados por aquelas atitudes que não conseguimos enxergar em nós. A depressão, o medo e a raiva que não são reconhecidos criam rigidez. Quando reconhecemos a rigidez e a estagnação, a água começa a fluir de novo, pouco a pouco. Sendo assim, a parte mais vital da prática é o desejo de ser a própria vida – que é apenas o conjunto das sensações que nos chegam – como aquilo que cria nosso rodamoinho.
Ao longo de muitos anos, treinamo-nos para fazer o oposto: criar pontos de água estagnada. Essa é a nossa falsa conquista. Desse esforço incessante nascem todos os nossos problemas e o nosso distanciamento com a vida. Não sabemos como ser íntimos, como ser um fluxo de vida. Um rodamoinho estagnado, com limites defendidos, não está próximo de nada. Prisioneiros de sonhos centrados em nós mesmos, sofremos.

Aquilo que chamamos de nossa vida nada mais é que um pequeno desvio, um rodamoinho que se forma para em seguida se desfazer.

Extraido do livro
Nada de especial, vivendo zen
Editora Saraiva.

MEDO

•abril 11, 2009 sábado • 2 Comentários

ACABE COM ELE

(meditação)

Sente-se em uma cadeira que lhe permita manter a coluna ereta. Relaxe, de verdade. Isso implica em você – mantendo a coluna reta – procurar sentir-se o mais confortável que puder. Nada, nem ninguém, deve tirar o foco da sua atenção no exercício proposto. Leve o tempo que quiser para atingir essa “zona de conforto”. Antes disso não adianta continuar. Use a respiração para conseguir isso. Ajuda muito (espero que você já tenha aprendido a respirar corretamente).


Esses preparativos todos são absolutamente necessários no processo inicial do aprendizado da meditação.


Na meditação você vai contar com uma energia real e não visível (na 3D) : a imaginação.

Sem ela o ser humano não ativa – efetivamente – seus poderes interiores, especialmente o da concretização dos desejos de sua alma.

Portanto, com isso bem esclarecido, passemos à meditação proposta.

O objetivo dela é conseguir a conexão com a alma, pois isso é tudo que o SH precisa para ter a ativação de suas reais – e divinas – capacidades. Ou, em outras palavras, a ativação dos seus reais – e divinos – poderes.


Imagine um feixe de luz do diâmetro do seu polegar unido ao dedo indicador. Esse feixe de luz vem “de cima”, passa por dentro do seu corpo sentado e penetra no subsolo. A visão é como se tivéssemos um “cabo de vassoura”  feito de luz atravessando em nosso corpo …


Use a sua imaginação para criar o seguinte: esse “tubo” de luz (ou feixe) vai entrando (de cima para baixo) pelo alto da cabeça (sétimo chakra). E lentamente vai expandindo a luz contida dentro dele para cada chakra que for encontrando na sua descida rumo ao subsolo.

Enquanto isso vai acontecendo, você – sempre através da sua imaginação – vai direcionar essa luz para realizar uma limpeza em cada um dos chakras.


A “sujeira” básica que existe em cada um deles é o MEDO.


No chakra existe o medo de desapegar-se de tudo e de todos que já não são realmente importantes em seu caminho . O medo da morte. Imagine a luz retirando esse medo. Não precisa visualizar coisas, situações ou pessoas. Não é necessário. Apenas deixe que a luz faça o seu trabalho de libertação desse medo. Ela sabe como. Se quiser, coloque uma cor violeta na luz. É opcional.


No chakra existe o medo de errar. De não saber “fazer a coisa certa”. De não saber discernir. A luz se encarregará de “limpar as suas ilusões”. Apenas permita que ela faça isso. Lembre-se: ela sabe como. Se quiser coloque a cor rubi no feixe de luz.


No chakra existe o medo de não conseguir viver a sua verdade. Continue permitindo que a luz faça sua faxina básica. Com certeza ela retirará as muitas mentiras em que você tem acreditado ao longo de sua vida. E que só tem atrasado sua caminhada de volta para casa. Se quiser, coloque a cor azul na luz.


No chakra existe o medo de ser feliz. O medo de amar. Nesse momento da sua meditação respire profundamente. Profundamente. Uma, duas, três, quantas precisar…Depois imagine toda a energia da tristeza acumulada através de suas dores-de-amor  saindo através de cada expiração. Faça isso parecer tão real quanto puder.

Nesse momento do processo não tenha pressa. Tente trabalhar com a luz branca enquanto permanecer aí.

No chakra existe o medo de ficar sozinho. O medo da rejeição. Quando chegar a este chakra saiba que estará iniciando a fase mais pesada da faxina energética – a limpeza dos 3 primeiros chakras. . Imagine você caminhando ao encontro de SI mesmo, ao encontro daquele Ser Superior que está – o tempo todo – esperando por você. Esse Ser é a sua Alma. Portanto a limpeza do medo radicado neste chakra é fundamental para se conseguir a conexão com a Alma. Trabalhe seriamente aqui, com a serenidade da crença de que você nunca está sozinho e jamais será “rejeitado” por quem realmente importa. Luz amarelo-dourada.


No chakra existe o medo do prazer de viver. Infelizmente o ser humano foi condicionado, há milênios, a explorar predominantemente o prazer sexual. E por isso tem muito medo de perder a capacidade de sentir prazer sexual. É o “grande engano” de toda esta última civilização. Imagine a luz – alaranjada – limpando este medo e ao mesmo tempo reativando as outras fontes de prazer (os 5 sentidos). Lembre-se que a luz sabe como fazer isso. Confie.


No chakra existe o medo-padrão: a insegurança. O medo de “não-se-sentir-capaz-de”. Ai neste chakra está o medo de “não ter dinheiro suficiente” para viver uma vida digna. O medo de não conseguir sobreviver neste mundo material. Use a cor vermelha para limpar este chakra e a sujeira desse medo.


Nesse momento você encontra-se “limpo” da sujeira do medo, seja ele qual for. Usufrua desse estado por alguns momentos, pois é muito prazeroso. Você está numa conexão consciente com sua Alma.

Logo após o seu momento pessoal de bem-estar, continue o exercício.


Através da sua imaginação “circule” pelo feixe de luz, à vontade. Suba até os céus, dê uma olhada nesse cenário, aproveite para sentir a plenitude, mesmo que por instantes. Depois, quando quiser, vá descendo – sempre abrigado pelo feixe de luz e já em companhia da sua Alma – até penetrar no subsolo do planeta Terra. Não crie nenhum tipo de medo, por favor… Lembre-se que você está dentro da luz e conectado com seu Ser Superior. Olhe para este mundo invisível à maioria: há vida ali. A vida intraterrena e sua civilização de 5D.

Se conseguir, estabeleça algum contato. Só para experimentar. Se sentir serenidade e paz, você conseguiu. Para muitos pode ser um bom momento para “trazer as energias do Céu à Terra” e elevar as energias da Terra aos Céus”.

Finalizando, direcione o feixe de luz para voltar à superfície do planeta, onde você vive.

Se sentir confortável, fique dentro dessa luz por mais algum tempo e aproveite para expandi-la para onde você quiser. Se você chegou até aqui já sabe que através da sua imaginação você o conseguirá. De verdade.

Quando quiser, vá abrindo lentamente seus olhos e conectando-se com todo seu corpo físico.

Ressonância Mórfica

•abril 10, 2009 sexta-feira • 4 Comentários

RUPERT SHELDRAKE: RESSONÂNCIA MÓRFICA


Neste ensaio, dividido em três partes, o bioquímico Rupert Sheldrake expõe sua teoria dos campos e da ressonância mórfica. Investigando a “causa das formas”, Sheldrake propõe a existência de campos orientadores do modo de ser e evoluir de todas as coisas, dos corpos dos seres vivos aos hábitos comportamentais. Reinterpretando a concepção de inconsciente coletivo, o autor fala sobre a natureza da mente, os limites da consciência e o poder do pensamento. Na terceira parte do ensaio, discute-se a existência do “olho-do-mal”.

I. Memória, arquétipos e inconsciente coletivo
II. Campos mórficos: sociedade, espírito e ritual
III. Extensão da mente, energia e consciência

Fonte: centro de estudos em ciências humanas

Amigos

•abril 9, 2009 quinta-feira • 1 Comentário

Amigos

“Você não está só. Você tem um amigo que te ajudará em suas dores e penas e sempre estará ao seu lado”… Uma nova arte de areia de Ilana Yahav para 2009. Voce^pode ver mais clipes no site http://www.sandfantasy.com

“Usted no está solo. Usted ha conseguido a un amigo, que ayudará usted por sus dolores y pena y siempre estará en su lado. ..” Una nueva arte del arena de Ilana Yahav para 2009. Usted puede ver más clipes de video en su sitio web- http://www.sandfantasy.com

“You are not alone. You’ve got a friend, who will help you through your pains and sorrow and will always be at your side…”
A new sand art from Ilana Yahav for 2009.
You can see more video clips in her website-
http://www.sandfantasy.com

MUNDO INVISÍVEL

•abril 8, 2009 quarta-feira • 1 Comentário

EVIDÊNCIAS

DE UM MUNDO INVISÍVEL


Enquanto isso, aqui na Terra as evidências do mundo invisível tornam-se evidentes, não apenas pessoalmente, mas no âmbito coletivo também. Por tempo demais, nossa humanidade deu as costas ao melhor dos mundos, o invisível, de onde vem a luz que a vivifica e, por isso, confortou-se com sua própria sombra. Como a riqueza pretendida poderia advir da sombra? Não poderia! Só miséria e ignorância, a coluna vertebral de nossa civilização moderna, mas fingimos que estas condições são efeitos colaterais e marginais. Não são! Nossa civilização é miserável, porque viola o ritmo cósmico. Não fosse assim, todo período de Lua Vazia serviria para descansar e praticar a sagrada arte da despreocupação. Vai tentar convencer seu chefe disso!

Labels: