Arautos – Matías de Stefano

Arautos – Matías de Stefano

Organizando e Informando

desde os Registros Centrais do Universo

WebSite de Matías : http://www.ghan.com.ar/ 

Aqui vamos traduzir, ou intentar traduzir o material disponível no site de Matías de Stefano. São muitos artigos que ajudam a esclarecer sobre os momentos que estamos vivendo Agora! Esta será uma longa página que iniciará apresentando :

Quem é Matias de Stefano?

Meu nome é MATÍAS GUSTAVO DE STEFANO. Nasci em agosto de 1987, em VENADO TUERTO, ARGENTINA.
Sou uma destas tantas crianças novas que tem nascido desde 1987 adiante para trazer e ancorar a nova consciência, sou uma dessas crianças, adolescentes e adultos denominados comumente como ‘raros’, fracassados escolares, desertores sociais, ou “índigo”.

Sou um dos tantos trabalhadores, organizadores e guias deste começo de Era, desta transição que todos estamos vivendo. E é por este trabalho diante desta mudança que decidi realizar este espaço dentro da internet, na qual posso expressar que sou, quem somos, o que fazemos, e contar um pouco sobre o que eu vim fazer, como tem afetado a minha vida humana este trabalho, com a intenção de ajudar aqueles que estão no caminho de despertar seus potenciais, assim como eu estou fazendo. Como meu trabalho é guiar as almas que não estão centradas ainda na terra, meus “guias” e eu temos determinado que tudo quanto faça eu sobre a terra,   deve estar relacionado com a educação, e é por isso que decidi estudar psicopedagogia. Não obstante isso, meus estudos iniciados na Universidade Nacional de Rio Cuarto, Córdoba, Argentina, durante o ano de 2007, não puderam ser concretizados justamente por minha condição de índigo; não conseguia adaptar-me ao sistema e me era intolerável a maneira de sua educação arcaica para as novas e futuras gerações. Hoje em dia, estou me dedicando a trabalhar com as energias, preparando e ajudando a todos os humanos que possa para enfrentar com a nova Era, organizando seus corpos físico, emocional e etérico desde o trabalho com seu corpo energético.

Neste espaço, espero poder plasmar tudo aquilo que me tem representado desde pequeno, com a intenção de mostras que a vibração índigo e as tantas outras que estão entrando neste mundo, estamos cada vez mais presentes na sociedade. Os convido a recorrer minhas memórias, e a recordar as suas, e assim poder saber para que estamos trabalhando nesta vida , na qual temos decidido nascer.

Minha Vida
Minha infância foi levada a cabo em um entorno na qual ninguém tinha relação alguma com as temáticas que representam toda minha vida. Minha família católica não praticante ou não crente, teve que lidar de certa forma com meus problemas ou realidades… Durante os primeiros 7 anos de minha vida, podia observar aos seres etéricos, os quais quase todas as crianças vêem, e os adultos chamam de “amigos imaginários” . Estes amigos, eram seres elementais, fadas, gnomos, e também seres angelicais, que me ajudavam a compreender a realidade em que me encontrava.
Até aproximadamente meus 12 anos, compartilhei meu dia a dia com estes seres que me ensinaram a tratar aos demais como humanos, a manejar minhas emoções, minha sociabilização, e tudo que me era difícil levar diariamente.
A partir desta idade, estes seres desapareceram, me anunciando que começaria um novo período em que recordaria tudo o que havia feito antes, e que deveria escrever e desenhar tudo isso, utilizando ferramentas que me haviam ensinado para não sofrer o que estava por vir. Foi assim que neste mesmo ano , uma semana depois, começaram as visões, recordações e terríveis dores de cabeça que não cessaram até meus 17 ou 18 anos. Dentro deste período, meus amigos sempre estiveram me apoiando, ainda assim quando tivemos que mudar para a Espanha, onde terminaria meus estudos.
Estas dores traziam milhões de emoções, recordações da vida, história, idéias e momentos soltos, grandeza… tudo que levou a muitos acreditarem que eu padecia de enfermidades mentais como a esquizofrenia.
Durante estes anos, sempre tive incondicional apoio de minha mãe, que sem entender nada, aceitava tudo, e sentia que por algum motivo estava acontecendo tudo isso. Estes foram anos difíceis até que gente desconhecida começou a aparecer e das indícios do que me acontecia. Foi assim que minhas idéias começaram a organizar-se, através de conversas e terapias energéticas, encontrando pessoas que compreendia e ansiava por ouvir o que eu tinha para contar através de minhas memórias.
Durante este período, meus guias me comunicaram que devia voltar a Argentina, para começar meus estudos de psicopedagogia e pedagogia, eles diziam que era por ai onde encontraria a maneira de comunicar o que devia fazer, e que ensinando a aprender ajudaria aos demais. Por isso me dirigi a Rio Cuarto, para estudar tal carreira, a qual terminou um ano depois, quando os tempos se aceleraram.
Seguindo o caminho da pedagogia, começaram a aparecer pessoas que colaboraram em minha organização, dando sentido a tudo que sabia, dando o sentido psicopedagógico  as recordações que tive durante 6 anos…
Nestes tempos , meu trabalho seria de ajudar a entender , aprender e apreender as pessoas sobre os processos gerais do universo, da galáxia, e da terra, e de nos mesmos como humanidade.
E isso é o que sou e faço no aqui e agora, um “psicopedagogo da existência”, ajudando a quem necessite a ordenar suas idéias sobre a totalidade, nos preparando para os novos tempos que chegam, e compreendendo os porque que há milhões de naos nos tem confundido.
Agradeço por compartilhar esta descoberta dentro do plano de ATER TUMTI…
MATÍAS G. DE STEFANO

Fonte: Matías de Stefano


14 Respostas to “Arautos – Matías de Stefano”

  1. Estou muito impressionada com o que tenho lido e visto em videos de Matias. É como se eu soubesse de tudo isso e que por fim alguem confirmasse.
    Sou argentina, tb da provincia de Santa Fé, e tenho primos em Capilla del Monte , lugar considerado sagrado pela passagem do Uritorco , uma bela montanha, onde se chega a ERTH, que é uma civilização no centro da terra.
    Agora nos dias 11/11/11 vào acontecer eventos importantes por lá, entre eles palestras do Matias. Meus primos e amigos lamentam o alto preço da entrada,, 300 pesos para os argentinos hoje, é muito dinheiro. Por que esse alto custo?

    abraço de luz a todos

    • Bia, seja bem vinda!

      Cremos que o alto custo é para as pessoas aprenderem a valorizar o que recebem, para que seja realmente valoroso internamente e subjetivamente do que qualquer outro bem material . Além de que as pessoas precisam aprender a compreender que realizar qualquer evento implica em uma logística que tem um custo geralmente alto e que precisa ser dividido entre os presentes. E não é incomum as pessoas que lamentam o alto preço de um evento desses não se importar em pagar o mesmo valor para um festa ou a aquisição de bens materiais que acabam por se tornar inúteis.

      Quanto mais caro, mais a pessoa deve estar certa e decidida internamente de que irá receber algo muito mais valioso e valoroso. Se não tiver esta clareza de nada adiantará participar de um evento destes.

      Agradecemos sua participação.

      • Que triste, por um lado nega-se a vivência na dualidade, e por outro justifica-se a importância das ferramentas da dualidade quando se é necessário..o que faz uma coisa ser lmportante e valiosa não é o preço que se paga e sim a importância que ela tem para nós. Eis aí um grande equívoco…

  2. Agradeço a todos os seres iluminados que ajudam a humanidade e a terra na sua evolução.

    Sinto-me implicado no processo, assim a ajuda Superior seja efectiva…

    Saudações do Universo

    Fernando Ramos

  3. Tenho imensa pena de nao poder estar nesse evento apesar do preco que de boa vontade pagaria nao fosse ser de tao longe Porto PORTUGAL mas tenho uma amiga que conseguiu ir e estou mt feliz por ela. Em pensamento tambem estarei la junto dessa energia maravilhosa agradecendo a esses mestres queridos todo o empenho e ajuda ao nosso querido planeta e seus habitantes . Um abraco pleno de luz para todos e saudacoes aos nossos amigos esses grandes iluminados mt obg.

  4. Olá, caro Arauto, como vai? Dei uma voltinha por aí, mas gosto mesmo de voltar pra cá. Blogs se tornam segundas casas, com parentes que não conhecemos o rosto, mas que não se tornam menos parentes por isso.

    Olho, discordo da tua avaliação da questão da grana cobrada pelo garoto azul. Me parece verdadeiro e honesto uma pessoa que por opção trabalha com assuntos relativos a Nova Era, por exemplo, cobrar pelo seu serviço, principalmente se ele o faz com qualidade, de forma séria e inteligente, de modo a beneficiar quem o pague. Não vejo nada de errado nisso, acho louvável, são desbravadores de novas consciências por opção, também pagam seu preço.

    Mas alguém que se intitula mensageiro celestial, portanto portador das verdades maiores das quais todos necessitam ter acesso, – para se libertarem das tremendas ilusões as quais estão submetidos e escravisados – , esse ser em si deveria ter a dignidade de não cobrar absolutamente nada por aquilo que realiza, sabe muito bem que uma verdade universal assim o é porque pertence à todo o Universo, emanada seja ela de onde for. Ele é apenas um portador, um mensageiro, a verdade não é dele, e quem a tem não cobra em pesos ou dólares, mas em consciência profunda do que é mais importante em qualquer situação dada.

    Compaixão costuma acompanhar a consciências de todas as grandes almas conhecidas, e esta o faria ver a necessidade de, pelo menos, fazer um evento semelhante sem cobrar nada, direcionado para quem não tem nada mesmo.

    Apesar destas preliminares não me parecerem boas, vou ler a mensagem, vamos ver se tem eco.

    • Compreendo mas não concordo, acho engraçado as pessoas pensarem que não se deve cobrar por eventos. Quem não tem nada não está preocupado com as coisas do espírito e geralmente são as que mais sabem valorizar este trabalho e economizam para poder pagar o valor solicitado pois compreendem quão valioso é o que recebem, muito mais valioso que o dinheiro investido.

      Penso que a dignidade maior dele está justamente em cobrar. Acho que cobra barato. Muito barato pela quantidade de informação que aporta. Muito do seu material está disponível gratuitamente na internet, mas se a pessoa decide ir a um evento deve estar consciente que há custos de execução para isso. Vivemos no mundo em que precisamos comer, pagar contas, nos vestir, pagar as passagens hospedagens, aluguel de auditório e não vejo porque ele deveria arcar com estes custos para falar para as pessoas que querem lhe ouvir. Acho que deve ser pago e muito bem pago. Ele e qualquer outra pessoa que se disponha em sair do conforto da sua vida dentro de uma redoma social para se dispor a uma missão como esta. Ele poderia ficar na sua vida, bem tranquilo, mas resolveu assumir sua missão mas para isso também tem que assumir responsabilidades comuns a todos nós enquanto estamos na ‘matéria’.

      Justamente o ‘ser celestial’ está em saber que no momento enquanto está ‘encarnado’ tem necessidades e responsabilidades materiais a cumprir como qualquer outro ser humano na face da terra.

      Não é possível ser ‘celestial’ sem o equilíbrio com o ser ‘material’. Isso é uma ‘espiritualidade’ falsa pois excluí a parte material da qual ele também existe e é parte. Neste caso, o Matias é honesto, pois equilibra sua prosperidade tanto material quando celestial.

      Ele já ‘dá de graça o que de graça recebeu’.
      Há um grande equívoco na nossa cultura em pensar que estes seres deveriam dar gratuidade no que oferecem.
      Dar ‘de graça’ não é o mesmo que dar gratuidade. É muito diferente.

      Pois se você recebe 10 dons e sabe multiplicar estes dons, mais você receberá, porém se lhe for dado um dom e você não souber multiplicar , até o pouco que lhe foi dado será retirado. Isso implica em também manter a responsabilidade dos compromissos materiais. Nada mais justo de receber pelo seu dom.

      E sinceramente pelo que vejo acontecer com muita frequência é que as pessoas não aprenderam a valorizar o que realmente tem valor, quem reclama do ‘alto preço’ é quem geralmente tem sua casa, sua televisão moderna, celular, carro, e computador com internet. Não tem nada de miserável , pobreza ou escravidão, mas sim tem e muito é de mesquinharia.
      É uma questão de prioridades. De pensar seriamente em “O que você realmente valoriza?”

  5. Boa resposta. Troca de idéias é isso, não é apego à idéias. Sou obrigado a concordar contigo em muitos aspectos, principalmente pelo fato do Matias ter disponibilizado de graça suas mensagens na internet. Evento é outra coisa e requer mais recursos para a sua realização.

    O meu receio em casos como este é o dos meios sobrepujarem os fins, a mensagem é sempre o mais importante mas, estando na matéria, meios materiais são de fato requeridos para que a mensagem se expanda.
    Curiosa foi a questão colocada de que os dons recebidos devem ser compartilhados e multiplicados, do contrário se esvaziam paulatinamente na alma e perspectivas de quem os recebeu. Já perdi e recuperei muita coisa assim, por não ter a coragem e o método devido para colocar essas redescobertas no chão.

    Nossa necessidade de postar assuntos e debatê-los vai muito por aí também.
    Neste sentido, resolvi reativar meu blog que criei em 2007, o ABREASAS, para logo considerá-lo inútil. Relendo as poucas matérias postadas, percebí que não era bem assim, tinham algum proveito. Então, caro arauto, tens aí um “blog irmão” para estas e outras procuras e discussões: http://abreasas.blogspot.com
    Ainda é um bebê, e por isso aceito sugestões para o seu crescimento.
    Abraços e obrigado pela resposta bem elucidativa.

  6. Estava lendo as “prediciones” do Matias para 2011 e, mesmo que aparentemente pareçam vagas e abertas demais para uma série de interpretações, percebí que a maioria das coisas e fluxos de energia que apontava tinham muita pertinência com aquilo que vivi e atravessei, enquanto processo, neste mesmo ano. Ou seja, o rapaz está mesmo com seus pés na Realidade. Isso, não significa, contudo, que sendo encarnado, não sofra com a possibilidade do engano.

    Isso não é uma desculpa para sempre sermos desconfiados em relação à ele, ou mesmo dizer: “o cara é bom, mas não é tudo isso”. É tudo isso sim, hoje em dia, apontar a verdade é tudo, enquanto real necessidade dos seres humanos.

    Mas algo em minha consciência me vez voltar à possibilidade dos meios que sobrepujam os fins. É sempre uma possibilidade concreta. Tudo na atual sociedade gira em torno da manutenção do poder de pequenas elites através do artifício do dinheiro e de nossa extrema dependência dele. Outras sociedades passadas criaram e sucumbiram aos próprios expedientes de manutenção do poder. As civilizações pré-colombianas, por exemplo, foram rapidamente destruídas pelos europeus, apesar de sua sofisticação maior em muitos aspectos. O que lhes causou ruína quase que imediata foi a questão de substituir os fins pelos meios. Afinal, qual era a real finalidade de todos os profundos conhecimentos que possuíam?

    De certo, não era fazer de seu pilar a captura dos povos circundantes para realizar sacrifícios humanos – com a desculpa de apaziguar o Sol e as forças naturais destrutivas (na verdade, renovadoras) com sangue humano. Essa necessidade, este “meio” sobrepujou ética e energéticamente todas as demais conquistas, inclusive na mente de seus idealizadores. De fato, mantinha as coisas “nos seus lugares de sempre”, o poder local tinha um instrumento para se fortalecer que justificava a conquista de ricos territórios, além do reforço da autoridade divinamente classificada nos chefes, dentro dos territórios já conquistados.

    O mesmo hoje acontece com o dinheiro e com muitos movimentos espiritualistas. Não é porque somos “modernos” que não corremos o risco de criarmos mensageiros e novos deuses regados pela grana, o documentário Zeitgeist 2007 mostra bem esse “deus” que é onipotente, mas não sabe lidar com o dinheiro. Por uma razão muito simples: ele é o próprio dinheiro.

    Então, a pergunta assombrada da leitora e comentarista um pouco acima tem pertinência: mas eles precisam cobrar tudo isso?

    Provavelmente, não. Mas existem os apoiadores, os recursos necessários, toda uma classe desde tenra idade acostumada ao dinheiro que não será provavelmente capaz de elaborar algo mais criativo e acessível para a captação de recursos no dito evento. Há sempre saídas preferíveis a cobrar 300 pesos por presença e mensagem. Isso é inegável. Buda, Cristo, Lao Tsé e mais recentemente Ghandi e Madre Teresa nunca cobraram um único centavo para conseguirem apoio, mesmo em dinheiro. Doações acontecem se você criar as condições corretas e justas para isso.

  7. Salve irmão Beija!! Coincidência encontrá-lo nos mesmos dias em que sai da dormência.

    E o Kryon, onde anda mesmo? Uma vez no fórum sobre ele eu e o Arauto não conseguimos irmanas nossa interpretação, não que isso devesse acontecer.

    A coisa parou na instituição que o Carrol e uma amiga dele mantém, e está inclusive no BR, que cobra bem caro, mas caro mesmo, para adaptar no DNA das pessoas que nasceram antes de 1980 e querem vibrar numa sintonia mais pura e elevada.

    Acho que o caso do rapaz argentino seja semelhante, é claro que existem pessoas que precisam ouvi-lo, entendo, que ainda muitos busquem fora de si o amparo, a “muleta” análoga a qualquer religião, assim como os neo-pentecostais que tem a prática de cobrar caro pelas graças e pelo elevação que o conhecimento bíblico doutrinado por eles acabo por induzir na pessoa interessada na busca.

    Embora questionável, mas útil… sob certos aspectos, quais.. aí cabe a cada um saber qual a sua necessidade.

  8. Matias, sou seu irmão Solar.
    O sol em forma humana.
    Estou num momento decisivo em minha vida e preciso da sua ajuda.

    Muitíssimo Agradecido!

    Eoberto

  9. Olá Arauto.
    Faço parte de um grupo que está objetivando traduzir os livros e vídeos do matias de Stefano com a finalidade de divulgá-lo aqui no Brasil e trazê-lo para um encontro, quem sabe.

    Gostaríamos de unir esforços a quem pessoas/grupos que estejam também nesse processo para que possamos vibrar juntos e dar mais potência a esse pensamento.

    Vocês tem alguma informação sobre esse assunto?

    Muito grata,
    Renata
    (renata@prospercom.com.br)

  10. OLÁ!!
    POSSO PARTICIPAR DAS TRADUÇÕES? COMO SE DÁ? SOU FORMADA EM LETRAS ESPANHOL E JÁ FIZ ALGUMAS TRADUÇÕES DO IDIOMA. TENHO ASSISTIDO MUITOS VÍDEOS DO MATIAS E ME SINTO PROFUNDAMENTE CONECTADA. SOU DO RIO DE JANEIRO!
    GRATIDÃO _/\_

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s